23 de novembro de 2021

5 autores negros que você precisa conhecer

    Olá meu povo, como estamos? No último sábado (20/11), foi celebrado o Dia da Consciência Negra. Essa data é uma homenagem a Zumbi dos Palmaressímbolo da resistência histórica contra a escravidão e o racismo no Brasil, que foi morto nessa data (20/11/1695). 


Dia da Consciência Negra
Foto: Divulgação/Unihorizontes


   De acordo com Dionísio Poey, coordenador da Casa de Estudos Brasil-África, da Universidade Federal do Pará (UFPA): 

“O Dia da Consciência Negra é uma data muito importante, pois marca o reconhecimento dos descendentes africanos na construção da sociedade brasileira e valoriza a presença da África que vive em nós.” [Fonte]

   Apesar de já ter passado um pouco da data, gostaria de aproveitar e indicar alguns autores negros, que fazem parte da literatura brasileira e que você precisa conhecer. 

5 autores negros que você precisa conhecer

1. Machado de Assis (1839-1909)

Machado de Assis
Foto: Divulgação/Revista Galileu

   Filho de Francisco José de Assis (Brasil) e Maria Leopoldina Machado de Assis (Açores), o autor nasceu em 1839, e vivia com os pais no Morro do Livramento, Rio de Janeiro. Sua primeira obra era um poema, chamado ‘Ela’, publicado em 1855, no jornal Marmota Fluminense. 
  Falava Português, Francês e Latim, e trabalhava na livraria Paula Brito, onde teve boa parte de sua educação e atuou, também, como crítico, jornalista, escritor, cronista e contista.  
   Foi ordenado cavaleiro em 1867 (Ordem da Rosa) e, em 1886, foi o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras
   Algumas de suas principais obras são: 
Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)
– O Alienista (1882)
– Quincas Borba (1891)
– Dom Casmurro (1899)
   Para quem quiser saber mais sobre as obras do autor, e até baixar algumas delas, está tudo disponível de maneira legal no machado.mec. Lá vocês encontram mais sobre a história dele, assim como vários trabalhos acadêmicos sobre a história do autor.  

2. Lima Barreto (1881-1922)

Lima Barreto
Foto: Divulgação/Anarquista.net

   Também carioca, Lima Barreto nasceu no bairro de Laranjeiras, filho de Joaquim Henriques Lima Barreto e Amália Augusta, ambos mestiços e pobres. Alvo de preconceito a vida inteira, sua educação foi garantida por ser afilhado do Visconde de Ouro Preto. 
   Porém precisou parar seu curso de Engenharia na Escola Politécnica do Rio de Janeiro, para cuidar do sustento da família. 
   No ano seguinte, em 1905, ele começou a trabalhar no Correio da Manhã, como jornalista. Sua estreia na literatura foi em 1909, com a publicação de Recordações do Escrivão Isaías Caminha. A obra fala sobre um jovem mulato que sofre preconceitos raciais eu vir do interior que, há quem diga que fosse uma autobiografia, além de uma crítica do jornalismo carioca.  
   Algumas outras obras do autor são: 

– O triste fim de Policarpo Quaresma (1915)
– Aventuras do Dr. Bogoloff (1912)
– Numa e Ninfa (1915)
– Vida e Morte de M. J. Gonzaga e Sá (1919)
– Os Bruzundangas (1923)

3. Jarrid Arraes (1991-)

Jarrid Arraes
Foto: Divulgação/Jarrid Arraes

   Jarrid é de Juazeiro do Norte. É escritora, cordelista, poeta e recebeu até o prêmio Biblioteca Nacional, com  ‘Redemoinho em dia quente’. Atualmente vive em São Paulo, onde criou o Clube da Escrita para Mulheres, coordenado com Ana Clara de Vitto, além de ter cerca de 70 títulos publicados em cordel. 
   Algumas de suas principais obras são:
– Um buraco com meu nome (2018)
– As lendas de Dandara (2015)
–  Heroínas negras em 15 cordéis (2017)
   Para quem quiser saber mais sobre a autora, ela tem um site  próprio, com várias informações sobre sua história e suas obras. 

4. Conceição Evaristo (1946-)

Conceição Evaristo
Foto: Divulgação/Wikipedia

   Escritora mineira e de origem humilde, Conceição Evaristo veio para o Rio de Janeiro em 1970, onde se formou em Letras pela UFRJ (a primeira de sua família a ter um diploma de curso superior, inclusive) e trabalhou como professora de rede pública. É mestra em Literatura Brasileira pela PUC-RJ e doutora em Literatura Comparada pela UFF (Universidade Federal Fluminense). 
  Suas obras passeiam por ensaios, poesias e e contos, que já são objeto de estudo tanto no Brasil quanto no exterior. Seus livros já foram publicados na França e tem atraído cada vez mais leitores, especialmente por retratarem o protagonismo negro e serem símbolo de resistência à pobreza e discriminação. 
  Algumas de suas principais obras são: 
– Ponciá Venâncio (2003)
– Olhos d’água (2004)
– Becos da memória (2006)
– Insubmissas lágrimas de mulheres (2011)

   Para saber mais sobre a história e as obras da autora, a UFMG tem uma página muito legal e bem completa. 

5. Ryane Leão (1989-)

Ryane Leão
Foto: Divulgação/O Globo

   
    Nascida em Cuiabá, essa moça de 34 anos se formou em Letras pela UNIFESP em 2008. Seus textos começaram sendo divulgados nos chamados “lambe-lambes” pela cidade, por saraus e slams, além do seu próprio perfil no insta
   Seu primeiro livro foi publicado em 2017, o ‘Tudo nela brilha e queima’, pela Editora Planeta. Pela mesma editora, a escritora publicou seu mais recente livro ‘Jamais peço desculpas por me derramar’, de 2019.  

   Vocês já conheciam alguns desses autores? Tem algum outro autor negro que você conhece e não está nessa lista? Aproveite e deixe nos comentários, vou amar conhecer e é uma ótima forma de ajudar a valorizar essas pessoas incríveis.  

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui