5 de fevereiro de 2022

5 Livros que não tive coragem de ler até hoje

    Olá meu povo, como estamos? Ao montar nossa estante, normalmente temos um hábito (ainda que feio, mas comum) de acumular mais livros do que tempo para ler. 
    Esse fenômeno chamamos de “livros encalhados”. Para diminuir esse número por aqui, comecei o projeto 12 Livros para o Ano XXXX, que tem dado bastante certo desde 2019. 
5 Livros que não tive coragem de ler até hoje
Foto: Creative Commons/Pixabay

    Apesar disso, alguns títulos nem entram para a votação da lista desse projeto, pois simplesmente ainda não me sinto pronta para ler. 
    E hoje separei cinco livros que estão encalhados na estante de propósito, esperando que um dia eu tenha coragem de lê-los.  

5 Livros que não tive coragem de ler até hoje

1. Oliver Twist 

Autor: Charles Dickens
Editora: Principis (Ciranda Cultural)
Ano: 2019  (edição atual)
Páginas: 352
Skoob | Amazon

Oliver Twist é um menino órfão que perdeu sua mãe ao nascer e cresce em uma paróquia. Aos 10 anos retorna ao asilo de pobres onde nasceu, lá Oliver é castigado e encaminhado para ser aprendiz em uma funerária, onde é muito maltratado e por isso decide fugir. Em Londres, conhece John Dawkins, que lhe oferece abrigo e comida, ingenuamente Oliver o segue e se envolve em uma gangue de ladrões. Qual será o destino deste pobre menino?

Oliver Twist | Charles Dickens
Foto: Divulgação/Amazon

    Na onda dos clássicos da Principis, peguei esse livro para troca, especialmente por ser o primeiro livro da História com uma protagonista criança. Mas depois de ler várias resenhas emocionantes sobre ele, não sei se tenho maturidade emocional para ler nesse momento. 
   A parte boa é que ele está no plástico, desde que chegou. Vai ficar assim por um tempo ainda, até que eu crie coragem e arranje uma caixa de lenços.   

2. Os Testamentos 

Autora: Margareth Atwood
Editora: Rocco
Ano: 2019
Páginas: 448
Skoob | Amazon


Após quase 35 anos do lançamento de O conto da aia, distopia que arrebatou o mundo todo e nos transportou para o centro de um governo teocrático em que as mulheres perderam seus direitos e identidade, Margaret Atwood nos brinda com Os testamentos, uma obra igualmente genial, que responderá perguntas que não saíram de nossas cabeças desde que a porta da van se fechou, levando Offred para um destino imprevisível. Dessa vez, teremos três narradoras, que, através de seus testamentos, apresentarão mais detalhes sobre o mundo além dos muros de Gilead, e darão luz a espaços obscuros que revelam mais do que podemos imaginar sobre um regime ditatorial e sobre as pessoas que sustentam sua estrutura.  

Os testamentos se passa quinze anos após os acontecimentos aterrorizantes de O conto da aia. Mesmo diante de inúmeras tentativas de desestruturação, o regime da República de Gilead permanece de pé, mas há sinais de que suas pilastras começam a apresentar rachaduras. É nesse momento que a vida de três mulheres se entrelaça.





Os Testamentos | Margareth Atwood
Foto: Divulgação/Magazine Luiza


   Li ‘O Conto de Aia’ em 2019 e achei um livro assustadoramente pesado. Não apenas o assunto em si, mas eu me imaginei em várias cenas e tive pesadelos com isso por dias depois da leitura. Comprei a sequência na Bienal do Livro do mesmo ano, mas até hoje não me sinto preparada para ler e encarar tudo de novo. 
   Até fui louca o suficiente para colocar ele em votação e compor o 12 Livros para 2022. Mas felizmente (ou não) ele perdeu. Talvez seja um sinal de que ainda não para eu ler esse bendito. 

3. Vozes do Joelma 

Organizador: Thiago Toy
Editora: Faro Editorial 
Ano: 2018
Páginas: 288
Skoob | Amazon


Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini são autores reconhecidos pela crueldade de seus personagens e grandes reviravoltas nas narrativas. As mentes doentias por trás dos livros A Casa dos Pesadelos, O Escravo de Capela, Dança da Escuridão, Horror na Colina de Darrington, Quando ela desaparecer, O Casamento, Colega de Quarto, e da série As Crônicas dos Mortos, se uniram para criar versões perturbadoras sobre as tragédias que ocorreram em um terreno amaldiçoado, e convidaram o igualmente perverso Tiago Toy para se juntar na tarefa de despir os homicídios, acidentes e assombrações que permeiam um dos principais desastres brasileiros: o incêndio do edifício Joelma. O trágico acontecimento deixou quase 200 mortos e mais de 300 feridos, além de ganhar as manchetes da época e selar o local com uma aura de maldição. Esse fato até hoje ecoa em boatos fantasmagóricos que envolvem a presença de espíritos inquietos nos corredores do prédio e lendas sobre lamúrias vindas dos túmulos onde corpos carbonizados foram enterrados sem identificação. Algo que nem todos sabem, é que muito antes do Joelma arder em chamas no centro de São Paulo, o terreno já havia sido palco de um crime hediondo, no qual um homem matou a mãe e as irmãs e as enterrou no próprio jardim. Devido às recorrentes tragédias que marcaram o local, há quem diga que ele é assombrado por ter servido como pelourinho, onde escravos eram torturados e executados. E sua maldição já fora identificada pelos índios, que deram-lhe o nome de Anhangabaú: águas do mal. Se as histórias são verdadeiras não se sabe… A única certeza é que a região onde ocorreu o incêndio tornou-se uma mina inesgotável de mistérios. E, neste livro, alguns deles estão expostos à loucura de autores que buscaram uma explicação.





Vozes do Joelma
Foto: Divulgação/Faro Editorial



    Esse foi um dos últimos recebidos do ano passado. Apesar de curtir um bom terror, eu morro de medo de fantasmas (vai entender) e não sei onde estava com a cabeça quando solicitei esse bendito para troca. 
    Poderia colocar para troca novamente? Poderia. Mas o meu lado de leitora masoquista fala mais alto e estou guardando esse livro para ler algum dia… que tiver grana para pagar a conta alta de luz, pois certamente vou dormir por uns dias com a luz acesa depois. 

4. Vox 

Autora: Christina Daucher 
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 320
Skoob | Amazon


Uma distopia atual, próxima dos dias de hoje, sobre empoderamento e luta feminina.

O SILÊNCIO PODE SER ENSURDECEDOR #100PALAVRAS

O governo decreta que as mulheres só podem falar 100 palavras por dia. A Dra. Jean McClellan está em negação. Ela não acredita que isso esteja acontecendo de verdade.

Esse é só o começo…

Em pouco tempo, as mulheres também são impedidas de trabalhar e os professores não ensinam mais as meninas a ler e escrever. Antes, cada pessoa falava em média 16 mil palavras por dia, mas agora as mulheres só têm 100 palavras para se fazer ouvir.

…mas não é o fim.

Lutando por si mesma, sua filha e todas as mulheres silenciadas, Jean vai reivindicar sua voz.
Vox | Christina Daucher
Foto: Divulgação

    Esse também foi um dos últimos recebidos do ano passado por aqui. Era um livro que estava de olho desde que li ‘O Conto de Aia’, especialmente por falarem que ‘Vox’ era melhor. 
   Mas esse tipo de distopia é tão perto da realidade que assusta. Até hoje não consegui superar o que li sobre Gilead e estou esperando para quando conseguir ler ‘Os Testamentos’, ler esse também. 

5. Contos de Fadas (Edição capa dura)

Autor: Diversos
Editora: Zahar
Ano: 2013
Páginas: 352
Skoob | Amazon



Branca de Neve, Cinderela, João e Maria, Rapunzel, O Gato de Botas, O Patinho Feio, Pele de Asno, A Pequena Sereia, O Pequeno Polegar… Essa bela Edição Comentada e Ilustrada traz as mais famosas histórias infantis em suas versões originais, sem adaptações. São ao todo 26 contos de Grimm, Perrault e Andersen, entre outros, enriquecidos por centenas de notas que exploram suas origens históricas e complexidades culturais e psicológicas, além de uma apresentação, elaboradas por Maria Tatar, eminente autoridade no campo do folclore e da literatura infantil. O volume conta também com uma extraordinária coleção de cerca de 240 pinturas e desenhos, muitos deles raros, de ilustradores célebres como Arthur Rackham, Gustave Doré, George Cruikshank, Edward Burne-Jones, Edmund Dulac e Walter Crane. E traz ainda biografias de autores, compiladores e ilustradores, além de apêndices com diferentes versões de alguns contos.


Contos de Fadas
Foto: Divulgação/Amazon

    Esse livro tem uma das capas mais lindas da minha estante. E eu comprei, com planos de ler logo em seguida, coisa que fiz… mas não consegui terminar. 
    Eu acho maravilhoso o trabalho que os editores fizeram, de colocar uma avaliação psicológica dos personagens principais de cada conto, além de um apanhado histórico de cada versão que ganharam ao longo dos séculos. 
   Mas não sabia que ler os contos originais (ou o mais próximo disso, pois aqui estão os mais famosos e sombrios) me daria pesadelos. Eu não tenho problemas com livros de terror, mas os contos de fadas conseguiram realmente me deixar assustada. 
    Parei na metade e deixei na estante. Um dia eu termino de ler, mas hoje não. 
   E aí, já conheciam algum desses títulos? Vocês também tem livros que não tem coragem de ler, mas ainda assim estão na estante esperando o momento? Me contem aí! 

   
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui