2 de junho de 2020

A metamorfose – Franz Kafka

  Olá meu povo, como estamos? Hoje temos resenha de um livro considerado clássico da literatura, que foi tema de uma leitura coletiva com minha parceira Babi Bueno, do blog Meu mundinho quase perfeito.  

A metamorfose
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

18/12
Livro: A metamorfose
Autor: Franz Kafka

Editora: Rideel

Páginas: 34 
Ano: 2007 (edição original em 1915)
Skoob | Amazon



A Metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. O texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante – o famoso Gregor Samsa – transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana – tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.

A metamorfose
   Gregor Samsa é um rapaz jovem e cheio de sonhos, mas que tem compromisso e precisa sustentar sua família. 
   Ele trabalhava num escritório, mas acabou se aventurando como caixeiro viajante, por causa de uma dívida que seu pai contraiu anos atrás, a qual não podia arcar. 
   Até aí, vemos uma família comum, que passa seus apertos financeiros, mas que consegue se virar no final do mês, com o que Gregor ganha na nova profissão. 
   Empregado exemplar, ele sempre chega no horário, pegando o trem pela madrugada, para ser um dos primeiros a chegar no trabalho. 
   Mas um dia ele não consegue, pois sua vida vira por completo. 
   Confesso que nunca pensei que leria esse livro na vida, mesmo sendo tão comentado entre os intelectuais e até citado na sinopse como uma das obras mais importantes do mundo. 
   Mas o mundo dá voltas e acabei sendo desafiada pela Babi Bueno a fazer uma leitura coletiva desse bendito… que vou te contar… me fez pensar num monte de coisa… 
   Ele é um livro beeeem curtinho, com apenas 34 páginas e três capítulos, mas sinceramente, não consegui ler em menos de um dia… Apesar de ter pouquíssimas páginas, o que faria dele mais um conto que um livro, propriamente dito, ele não é uma leitura muito fácil de ser feita, que já começa pelo linguajar rebuscado (e eu ainda dei tanta sorte, só que não, de achar o bendito em Português de Portugal, o que deixou a leitura ainda mais densa). 
   Por ser um livro deveras antigo, foi super tranquilo achar para baixar em pdf, já que ele se encontra em domínio público.  
   Sem ilustrações ou introduções, somos logo apresentados ao nosso protagonista, Gregor Samsa, um caixeiro viajante, que está doido para mudar de emprego. 
   Funcionário dedicado que é, sempre chega cedo no trabalho, e é tão dedicado, que até sonha que está pegando o trem.
   Porém, nesse dia em questão, ele acorda num verdadeiro pesadelo, que parece nunca ter fim. Já começando por páginas e mais páginas descrevendo como foi sua incansável luta para sair da cama, não por preguiça, mas por condições físicas, ele percebe que sua vida nunca mais será a mesma. 
   Isso porque ele dormiu como um homem, mas acordou como um inseto, cheio de patinhas, as quais estão para o ar ele não consegue se levantar! 
   Esse primeiro capítulo é o que nos apresenta a metamorfose do rapaz, propriamente dita, o qual é considerado até cômico e leve de ler. 
   Mas eu não consegui ver nada engraçado numa pessoa que acorda num mundo real e se vê como um inseto. 
   Além disso, o coitado está tão desesperado, que ainda pensa que vai poder ir trabalhar, levando uma vida normal, como se nada tivesse acontecendo! Mas só consegue levar pânico a todos que o vêem. 
   Uma coisa que me marcou foi que, dentre os personagens que dão de cara com Gregor transformado são sua família e seu patrão, que chega em sua porta 15 minutos depois que ele deveria estar no trabalho. 
  Me pergunto até agora se Gregor era o único funcionário atrasado naquela empresa aquele dia, pois ele vai apenas na casa do coitado, para tomar o susto com o inseto gigante tentando abrir a porta do quarto. 
  Enfim, os segundo e terceiro capítulos, pulamos do que deveria ser “cômico” para o cotidiano da família Samsa, lutando para compreender a nova vida que eles tinham, agora que Gregor não poderia mais trabalhar e sustentar a casa. 
  A verdade é que a família toda era bem acomodada, a não ser pela irmã mais nova, que era ainda menor de idade. Os pais tinham condições de trabalhar, mas ficaram na aba do coitado do Gregor. 
  Mas a situação cômoda vai embora quando os cobradores começam a bater na porta deles. Aí vemos o quanto eles poderiam ser mais produtivos, mas deixavam tudo nas costas do filho. 
   A outra grande dúvida é quem é o inseto que está no quarto de Gregor. Para os leitores, aparentemente é nosso protagonista, mas a dúvida permanece diante da família, que não sabe lidar com um inseto em tamanho 1000 vezes aumentado no quarto do rapaz, querendo sair e ver o mundo. 
   E aí eu comecei a ficar angustiada. Pois o coitado do Gregor não tinha culpa de ter acordado do jeito que acordou, transformado. Ele apenas estava tentando se entender como novo ser no mundo, mas a família mesmo tinha mais medo do que cuidado com ele. 
   Era mais fácil mantê-lo trancado dentro do quarto e fingir que nada tinha acontecido. Apenas a irmã mais nova tem um pouco de compaixão e tenta entender o irmão, ou o que ela acha que é o irmão dela. 
   Vemos aí uma certa cumplicidade entre os dois, que são os únicos momentos de amor do livro. 
   Os pais de Gregor tem vergonha e medo do monstro dentro do quarto, e fazem de tudo para esquecer que ele existe. Mas em momento algum vemos uma mãe chorosa querendo saber o que houve com seu filho. 
  Isso me fez questionar se realmente os pais amavam o rapaz, ou apenas o viam como uma forma de ganhar o salário no final do mês. 
  São três capítulos tristes, impactantes e bem esquisitos, falando a verdade. Não sei como definir o que senti lendo esse livro, a não ser choque, medo pelo que somos capazes de fazer com o que não conhecemos e, de certa forma, preconceito pelo filho “diferente”, que preferiam manter escondido em casa. 
  Como foi um desafio, missão dada foi missão cumprida. Mas sinceramente, é um livro que não quero ler novamente. Darei apenas três estrelinhas a ele, por não ter me agradado quanto eu gostaria. 
  
   Para quem quiser comprar o livro, ele está disponível na Amazon, através do link abaixo. Lembrando que, comprando através dele, vocês ajudam o Mundinho, sem que isso afete no valor de sua compra. 😉
 




   Já tinham lido esse livro? Gostam de fazer leitura coletiva? Me contem aí! =)



Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui