20 de março de 2018

Amantes das cartas: Sobre minha coleção de postais

   Olá meu povo, como estamos? Hoje trago no quadro Amantes das cartas a minha humilde coleção de postais, uma das minhas paixões desde que entrei no mundo das cartas. Vem ver! 😉

Amantes das cartas

   Bom, já contei aqui como foi meu início no mundo das cartas. Mas além das cartinhas, do carinho e das várias amizades que já recebi por escrito, algo me fez ficar apaixonada: postais. 
   Não me lembro quando foi que recebi o primeiro, mas sei que a emoção foi tão grande de saber que ainda se faziam postais turísticos, que saí que nem uma louca pelas bancas do centro do Rio procurando imagens da Cidade Maravilhosa para trocar. 
   Minha coleção começou com postais nacionais, por conta das minhas correspondentes, muitas das quais moram nas capitais ou em cidades turísticas, onde postais são fáceis de conseguir. Mas logo os internacionais chegaram e, por incrível que pareça, são a maioria em minha coleção, mesmo eu nunca tendo saído do país. 
   Os postais internacionais começaram a chegar por correspondentes que viajavam para fora, mas o real motivo pelo qual se tornaram a maioria em minha coleção foi porque entrei numa rede social só para troca de postais (sim, existe uma rede social só para isso, rsrs), o Postcrossing. Hoje não sou membro ativo por lá, devido a questões financeiras (enviar postais para fora sai caro no fim do mês),  mas conheci muita gente legal por meio desse site, além de ter em minhas mãos paisagens maravilhosas, com as quais sonho um dia poder ir conhecer. 
Postcrossing
Foto: Divulgação
   Acho que o motivo que me fez querer uma coleção de postais era realmente esse: o de conhecer o mundo, não importa a forma que fosse. Como não posso viajar da forma convencional por aí, a solução era mandar um pouco do Rio pelo Correio e receber um pouco do mundo em troca… o que consegui e muito bem, diga-se de passagem. Descobri países que nem sabia que existiam, vi culturas incríveis e curiosidades sobre os países já conhecidos. 💓

Postais internacionais
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Postais internacionais
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Postais internacionais
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Mas como postais precisam ser guardados em algum lugar, eu tenho uma forma de organizá-los. Normalmente eles ficam acondicionados em álbuns fotográficos pequenos, separados por ordem de recebimento e nas categorias de “nacional” e “internacional”, além de códigos numéricos, que criei para organizar em álbuns também no meu PC. Assim, se eu quiser saber qual país/Estado tenho um postal, eu procuro no álbum digital antes de ir olhar os postais físicos. 😉

Postais internacionais e nacionais
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Álbum de fotos
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Postais internacionais
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna
   Além dos postais em si, tem alguns países, em especial do oriente, que me encantam também pelos selos. Sério, tem uns selos que chegam a ser mais bonitos que os postais em si! Então acabo tendo uma paixão secundária por eles (rsrsrs).

Selos internacionais
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Selos internacionais
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna
   Isso sem contar as pessoas com quem troco os postais. Muitos eu consegui também através de clubes de trocas no Facebook. Pois é, não apenas os clubes de cartas, mas os de cartões postais existem nas redes sociais, e em número maior do que você imaginava (rsrsrs). Conheci pessoas incríveis, um em especial eu nunca vou esquecer. Foi um rapaz da Alemanha, que conheci pelo Postcrossing e fiz uma troca de postais. Ele me enviou um do país dele e ficaria por isso mesmo… até que ele viajou para a Tunísia de férias e parou um tempo para separar um postal de lá e me enviar, contando sobre umas curiosidades do país. Acho que é um dos meus favoritos, principalmente pelo valor sentimental! 😍

Tunisia
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna
   E se tem algo que aprendi, é que quanto mais velho o postal mais valioso ele é. Além disso, tem todo um “paranauê” para o postal ser considerado raro. Ele tem que ser da cidade, enviado pela agência dos Correios da cidade, com o carimbo da cidade. Isso faz com que ele tenha mais valor numa coleção e tem quem pague caro por ele… Não chego a esse ponto, mas é bom falar para quem quiser ser um colecionador profissional (tem isso também). 
   Em questão de números, hoje tenho um total de 325 postais, sendo 89 nacionais e 236 de todo canto do mundo (eu disse que a maioria era de fora, rs). Ela ainda é bem humilde, mas sempre está em crescimento, pois meus amigos sabem da minha coleção e sempre que viajam procuram postais para me trazer um pouco do lugar por onde passaram.

   Apesar de ser algo quase em desuso, acaba sendo uma coleção relativamente barata, já que é algo fácil de guardar e pode-se comprar em quantidade nos aeroportos/bancas de jornal. Isso me incentivou a manter as trocas por um tempo, as quais pretendo voltar ainda esse ano, mas vamos ver como ficará meu bolso… (rsrsrs)
   E é isso. Vocês já tinham ouvido falar do Postcrossing? E dos clubes de trocas de postais? Na cidade de vocês tem postais? Me conta aí! 😉
    
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui