30 de julho de 2020

Amantes das séries: 12 jurados

   Olá meu povo, como estamos? O Amantes das séries de hoje traz uma dica de série que vi recentemente no catálogo Netflix, e que muito me surpreendeu: 12 jurados

Os 12 jurados | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

Ficha técnica: 
Série: 12 jurados 
Temporadas: 1 (em andamento?)
Episódios: 10 (45min em média)
Ano: 2018 (mas foi exibida pelo Netflix em 2019)

Um júri formado por doze cidadãos comuns deve decidir o destino de uma mulher acusada de matar sua melhor amiga e sua própria filha.

12 jurados | Netflix
   Muitas séries trazem os julgamentos pela visão da acusação… da defesa… mas e o papel dos jurados? Sempre composto por pessoas aleatórias, que apenas observam o desenrolar dos fatos, mas no final selam o destino dos réus. 
  E, em 12 jurados, são eles as estrelas do famoso “Crime do milênio”. Frie Palmers é a acusada mais famosa da Bélgica, prestes a ser condenada pelos assassinatos de sua melhor amiga, na virada do milênio, e mais recentemente, de sua própria filha, Ross, de apenas 6 anos. 
  Depois de anos, o julgamento parece que finalmente vai sair, pois a cereja do bolo parece ter sido o assassinato da filha. 
  Todas as provas apontam contra ela. Mas Frie jura inocência, alega que foi acusada injustamente pelo ex-marido. 
  A questão é: quem está mentindo nesse caso? Cabe ao juri decidir. 
  Descobri essa série muito por acaso, enquanto procurava uma para ver junto com minha mãe. Nós duas gostamos muito de séries de suspense e essa caiu como uma luva, quando vi que os casos seriam observados pelo lado que nunca lembramos de mencionar num julgamento: o do juri popular. 
 A série já começa com o juri sendo escolhido. Aos poucos, seremos apresentados aos personagens, que tem histórias bem peculiares. 
12 jurados | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
 Temos aposentados, donas de casa, empresários… Todos podem ser convocados para ser parte do juri popular, até aí, mistério algum revelado.  
 Ninguém quer participar de um julgamento, ainda mais um tão famoso e longo como o de Frie Palmers. E, aos poucos, vamos entendendo o motivo. 
 No desenrolar dos episódios, temos não apenas a apresentação do caso de Frie, mas também as vidas dos membros do juri, que poderiam muito bem estar sentados no banco dos réus. 
  Isso porque a série mostra que ninguém é santo. Ninguém é totalmente bom, nem totalmente ruim. Todos temos uma balança e escolhemos para qual lado pendemos quando nossa sobrevivência está em jogo. 
 Até onde você iria para ter a pessoa que ama ao seu lado? Que sacrifícios faria para ter um status de família exemplar?  
12 jurados | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
 São perguntas como essas que nos vemos obrigados a nos fazer enquanto assisitmos. Como podem pessoas que tem seus próprio demônios, acusarem outra pessoa de alimentar os seus? 
 O caso de Frie pode ser famoso, mas ele acaba birlhando ao lado dos membros do juri, que passam a ser mais conhecidos e próximos do público a cada minuto. 
 Frie alega inocência e tem uma defesa forte, com um advogado brilhante. Apesar de serem séries completamente distintas, inclusive de países distintos, olhando a atuação do advogado de Frie, eu não consegui dissociar de Annelise Keating, a estrela dos tribunais em How to get away with murder.     Sinceramente, se me permitem a observação, acho que das duas, uma: ou o advogado de defesa de Frie foi colega de turma, ou foi professor de Annelise (rsrsrs).
  Sendo assim, se você assistiu a HTGAWM, então sabe que o advogado de Frie era da p* e faz um trabalho incrível no tribunal. 
12 jurados | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  No entanto, as próprias testemunhas de acusação apresentam falhas, assim como a própria polícia. Todos parecem estar muito motivados a acusar Frie, e alguns pontos, beira a preguiça de encontrar um novo culpado. 
  Por isso, nos questionamos até o último minuto (último minuto mesmo) se Frie realmente foi capaz de matar sua melhor amiga e sua filha, pelos motivos alegados por seu ex-marido. 
  Isso porque todos mentem o tempo inteiro. E a cada mentira, nos vemos apontando um novo acusado para os crimes. 
  Mas a pergunta que fica martelando em nossa cabeça é: se Frie é inocente, quem seria tão cruel e vingativo, a ponto de incriminar a moça assim, sem dó? 
  E outra pergunta: se ela é culpada, onde estão as provas que mostram isso? 
  Eternamente com esse dilema, que alterna entre uma pergunta e outra o tempo inteiro, somos levados nesse julgamento, cheio de buracos, mas que precisa ser solucionado, especialmente agora que a mídia está em cima. 
12 jurados | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  Some-se a isso, os casos dos próprios jurados em casa. Até que ponto o julgamento deles pode ser afetado pelos seus problemas pessoais? 
  Ninguém está ali por vontade própria, mas foram convocados. Será que isso justifica o destino que estão prestes a conceder para Frie Palmers? 
  Sinceramente… não sei nem o que dizer sobre essa série. Ela mexeu com minha cabeça o tempo inteiro. 
 Não, não é uma série que tenha “tiro, porrada e bomba”, muito menos efeitos especiais de outro mundo. 
 É uma série simples e objetiva, que tem o propósito, unica e exclusivamente, de te deixar confusx até o final. 
 Isso porque temos os benditos buracos, que pensei que ficariam esquecidos, mas me enganei redondamente.  
  E são esses buracos, friamente calculados para te levar a um final fechado (mas pode muito bem ser considerado aberto, dependendo do ponto de vista) que te fazem pensar (e ter medo) sobre o que se passa na cabeça de cada pessoa do elenco. 
  Terminei a temporada e fiquei piscando, olhando para o teto, sem acreditar na conclusão. Fui feita de trouxa bonito, sem nem perceber.  
12 jurados | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  Apesar de ser europeia e a Netflix estar apostando em séries do Velho Continente nos últimos tempos, a primeira temporada de 12 jurados foi comprada pela plataforma, que apenas transmitiu os episódios. 
  Além disso, correram boatos de que teria sido baseada em fatos reais, de tão convincente. 
  Porém o que foi afirmado é que 12 jurados seria baseada na vida real de jurados. 
  E, juntando expriências aqui e ali, tivemos uma temporada de tirar o fôlego. 
 Com 10 episódios, a série conquistou o público local e há rumores que tenhamos uma segunda temporada. No entanto, devido à pandemia, não esperem episódios novos tão cedo.
  Mesmo assim, recomendo a primeira temporada, que é facilmente maratonada em um final de semana, com nota máxima. 
  Vocês já tinham visto essa série? Gostam de séries “diferentonas”, como 12 jurados? Me contem aí! 😉
      
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui