27 de junho de 2020

Amantes das séries: Curon

   Olá meu povo, como estamos? Estou aproveitando esse período de isolamento social e vendo várias séries que estrearam há pouco no catálogo da Netflix. Uma delas é Curon, uma série que promete terror e suspense, cuja primeira temporada estreou cheia de expectativas

Curon - Netflix
Foto: Divulgação

Ficha técnica: 

Série: Curon 
Gênero: Suspense/Terror
Ano: 2020

Temporadas: 1
Episódios: 7 (média de 45min)

Dezessete anos após os eventos trágicos que obrigaram Anna (Valeria Bilello) a deixar Curon, ela volta para a pequena cidade no norte da Itália com os filhos gêmeos, Mauro (Federico Russo) e Daria (Margherita Morchio). Quando a mãe desaparece misteriosamente, os dois adolescentes se lançam numa busca perigosa e começam a desenterrar o passado, descobrindo que o lugar não é tão pacato quanto parece. Ali, ao dobrar dos sinos da velha igreja, sentimentos reprimidos e segredos antigos vêm à tona.

Curon - Netflix
   
   Curon Venosta é uma cidade pequena, localizada na região de Trentino-Alto Ádige, na província de Bolzano (Itália). 
  Ela atrai muitos turistas, especialmente por seu ar pacato, hospitaleiro e o cenário que é de apaixonar qualquer viajante. 
  O vilarejo é também o cenário escolhido para a nova série da Netflix, que resolveu dar vida a uma das lendas que circundam a cidadezinha. 
  Isso porque a tal torre que chama atenção durante a história realmente existe e faz parte da cidade antiga, que foi alagada por volta dos anos 1950. 
  Ela pertence a uma igreja, construída desde o século XIV, que tinha toda uma área residencial/agrícola em volta. 
  Mas, devido ao progresso, as autoridades locais construíram uma represa e escolheram logo o ponto onde ficava a cidade para fazer a barragem. 
  Mesmo sob os protestos dos cidadãos, a cidade foi alagada e sumiu debaixo d’água, a não ser pela torre da igreja, que está lá de pé até hoje. 
  Reconstruída em volta da barragem, Curon se manteve uma cidade pequena, mas que atrai não apenas os turistas, mas os que procuram fantasmas e histórias de arrepiar, já que várias lendas são contadas sobre a história do alagamento. 
  Uma delas é que a torre da igreja teve seus sinos recolhidos antes da cidade ser submersa, porém, moradores afirmam que ouvem os sinos baterem de tempos em tempos na tal torre do lago, e coisas estranhas acontecem na cidade depois disso. 
  Baseando-se nisso, temos a trama produzida pela Netflix, que conta a história de Anna Raina, vinda de uma família antiga e poderosa da cidade, que já nos é apresentada de uma maneira bem esquisita. 
  Ela mora no Hotel Raina, o mais antigo da cidade, frequentado inclusive pela imperatriz da Austria no passado. Mas ele também é cenário de várias coisas horripilantes, que vamos descobrindo ao longo dos episódios. 
Curon - Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  O lance é que, depois do incidente assustador, ela sai da cidade com os filhos gêmeos e larga seu passado para trás, afirmando que jamais voltaria para a cidade. 
  Mas sabe o ditado: nunca diga nunca, eis que 17 anos depois, com os gêmeos já crescidinhos, ela acaba voltando para a casa do pai, que a recebe muito mal por sinal. 
  Fiquei bem incomodada com isso, pois os dois pareciam ter uma relação muito boa, pelo menos pelo que ela comenta com os filhos, mas são tão mal recebidos, não apenas pelo pai, mas pelos outros moradores, que se eu não sei o que faria se estivesse no lugar dela. 
  Nem os gêmeos, Mauro e Daria, entendem o motivo de tanta animosidade assim. Mas enquanto Daria está mais interessada em saber o que tem de “interessante” para fazer na cidade (diga-se, festas, drogas e afins), Mauro vai topar em algo mas intrigante, e vai descobrir e mostrar para o público o motivo de eles serem tão odiados na cidade. 
Curon - Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  Tudo gira em torno das lendas dos sinos, e os Raina tem tudo a ver com isso. Pelo que nos é contado superficialmente, existe uma rixa antiiiiiiiiga em Curon, entre os Raina (italianos) e Ober (austríacos). 
  Ambas são famílias poderosas e abastadas da época da construção da cidade antiga, e o tal alagamento para a barragem também. 
  Mas do jeito que eles brigam, parece até que eu estava vendo uma adaptação de Romeu e Julieta, onde as famílias não podiam se cruzar sem se ameaçarem de morte. 
  E é bem nesse nível a relação dessas famílias Raina e Ober na série, mas para saber quem manda na cidade. 
Curon - Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  Dispostos a tudo para ter poder, eles foram tão longe, que há uma lenda de que a cidade acabou se tornando amaldiçoada e quem ouve os sinos da igreja do lago vai pagar caro. 
  Daria não dá muita atenção, afinal é apenas lenda de interior; mas Mauro está cada vez mais ligado em tudo o que vê e ouve a respeito de sua família e seu passado sombrio, especialmente quando Anna desaparece, sem deixar vestígios. 
  Enquanto alguns comemoram o sumiço de Anna, Mauro e Daria começam a levar a sério algumas coisas estranhas que aconteceram nos últimos dias. Aí eles vão ver que de pacata, a cidade só tem mesmo a fama. 
  A tal lenda dos sinos é que eles despertam tudo o que está reprimido em você, seja inveja, rancor, mágoa, raiva… ou desejos mais sombrios. 
  Todos os moradores da cidade estão sujeitos à maldição, basta que eles tenham aquela vontade ensandecida de matar alguém, por exemplo, e de repente desistem. 
  Quando você reprime um sentimento, o lago faz questão de levar esses sentimentos até você novamente… de uma maneira que você não vai querer encontrar…  
Curon - Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  Tudo está interligado: os sentimentos reprimidos, o desaparecimento de Anna e vários outros acontecimentos ao longo da temporada, que vão te deixando cada vez mais de queixo caído. 
   São 7 episódios, com uma média de 45min. Não deu uma maratona… mas dá para ver rapidinho. Com relação à promessa de ser uma série de terror, confesso que sou bem medrosa para ver filmes/séries do gênero, mas só vim saber que essa bendita era de terror quando as coisas estranhas começaram a acontecer e eu fui pesquisar sobre. 
  No entanto, se você é medrosx como eu, pode ver sem medo, pois essa série tem até um quê de sobrenatural, que faz sentido, já que a série é baseada numa lenda local. 
  Porém, não chego a considerar um terror, está mais para suspense, já que todos podem ser seu próprio vilão nessa história e você pode se surpreender com os acontecimentos. 
  Isso porque, apesar de ter um quê sobrenatural, ela tem uma ideia mais profunda, que nos faz até refletir mais. 
  Em Curon, o lago leva até você os sentimentos que você fez questão de reprimir por anos. São sentimentos que muitas vezes te impedem de viver uma vida mais feliz, se anulando em nome de outras pessoas e sempre se deixando em segundo lugar; sentimentos que podem te fazer se arrepender amargamente pelo resto da vida, pois não é de seu feitio fazer coisas do tipo com os outros…  
  Acho que podemos dizer que em Curon as pessoas são forçadas a dizer o que realmente sentem, pois do contrário, Curon fará isso do jeito dela e vai te mostrar, querendo ou não, para o mundo. 
  Essa resposta de Curon é chamada de sombra. E as sombras estão mais perto de você do que possa imaginar. 
  Sombras que salvam, que vão embora, que matam… que fazem tudo o que você gostaria de fazer em momentos de raiva, dor ou felicidade extrema… 
Curon - Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  Elas são na verdade nossa resposta de que nem nós nos conhecemos até que cheguem certos momentos em nossas vidas, em que devemos tomar decisões difíceis, que podem mudar os nossos rumos para sempre.  
  Não estou muito ambientada com o cinema italiano, mas o elenco escolhido está de parabéns. Todos interpretaram muito bem seus papeis, mesmo sendo apenas uma passagem rápida. 
  Os personagens são muito bem trabalhados e todos tiveram os seus desfechos. Pelo menos essa primeira temporada me conquistou, a não ser por umas cenas que julguei serem desnecessárias para uma trama de suspense. 
   Daria e Mauro não tem aquela relação espetacular com a mãe. Mas eles cresceram só com ela, que acabou assumindo o papel de mãe solteira, depois que saiu da cidade de Curon. Mauro é mais ligado na mãe, talvez por isso ele seja o mais esperto da dupla quando começa a investigar o desaparecimento de Anna. 
  O avô deles, no começo parece ser um cara arisco e rancoroso, sempre com raiva do mundo e sem amor pela filha ou pelos netos. 
  Mas depois vamos descobrindo os reais motivos dele para agir assim e, cá entre nós, comecei a simpatizar com ele.   
Curon - Netflix
Foto: Divulgação/Netflix
  Além disso, se ainda tem dúvida sobre se vale a pena assistir, só o cenário dessa série vale como resposta. Ele é lindo, calmo e bem verde, típico dos papeis de parede do Windows (rsrsrs). 
  Pelo que deu a entender no último episódio, temos um gancho para uma segunda temporada, que tem toda uma expectativa a respeito. A primeira temporada me conquistou, de fato. Mas não esperem uma série revolucionária, nem cheia de efeitos especiais. 
  Ela é simples, barata, já que o cenário existe realmente. Mas foi bem bolada e teve um final satisfatório. Estou curiosa para a segunda temporada, porém não criarei expectativas. 
  Vocês já viram essa série? Curtem esse suspense mais sobrenatural? 
   
     
    
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui