15 de setembro de 2020

Amantes das séries | Star trek (original)

    Olá meu povo, como estamos? Hoje o Amantes das séries traz a dica de uma série clássica das telinhas mundiais: Star trek original. Fazia tempo que eu já tinha visto os filmes mais recentes e os spin offs, mas sempre me bateu a curiosidade de ver os episódios originais. Pense na minha alegria quando vi que estão disponíveis no Netflix
   E hoje eu vou compartilhar minhas impressões com vocês. ^^
Star trek
Foto: Divulgação

Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise. Em sua missão de cinco anos… para explorar novos mundos… para pesquisar novas vidas… novas civilizações… audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve.

   Essa é a mensagem que ouvimos a cada começo de episódio. E, se parar para pensar, é bem isso mesmo que a série promete. 
   A cada episódio é uma nova aventura, um novo planeta, uma nova civilização… Alguns contatos são mais cômicos, outros mais sérios e com bastante ação, mas sempre temos uma novidade a cada episódio. 
Star trek

  Estreada em 1966, a série de ficção científica foi realmente bem audaciosa, trazendo uma imagem de futuro, na qual vencemos o obstáculo de sair do planeta e da nossa galáxia. 
  Ela é composta por três temporadas, cujo primeiro episódio é sempre o mais longo, com cerca de 1h30min (um filme mesmo), seguido de outros de cerca de 40-50min. 
  Apesar de parecerem longos, é bem fácil maratonar, pois faz parte da trama que as coisas aconteçam bem rápido e não dá tempo de se tornarem chatas, nem morosas. 
  Na série original, temos as aventuras da nave USS Enterprise, comandada pelo eterno Capitão Kirk e seus amigos Macoy como médico e Spock, o vulcano que não vê lógica em esboçar emoções, mas é um poço de simpatia quando quer. 
  A nível de curiosidade, apesar do Capitão Kirk ser mais lembrado entre os fã de Star Trek, o capitão original da nave se chamava Christopher Pike. 
  Porém, no ano da estreia da série, o orçamento não era lá essas coisas para uma série que demandava certa tecnologia. Apesar do episódio piloto ter saído, ele não foi bem recebido e a missão cancelada. 
  Tempos depois, com um orçamento já mais rechonchudo, a série decolou e teve a temporada toda filmada, uma tripulação toda nova, sendo apenas Spock mantido no elenco. 
  O que achei mais legal foi que, apesar do ator que fez o Capitão Pike não ser citado com frequência na série, o episódio piloto não ficou esquecido, já que em certo ponto da primeira temporada tem uma espécie de homenagem ao personagem, como se o Capitão Kirk tivesse assumido a nave 10 anos depois. 
Star trek
Foto: Divulgação

  Outra curiosidade é que a série não foi bem recebida logo no começo e, mesmo com a segunda temporada rolando, várias foram as ameaças de cancelamento, por causa da baixa audiência. 
   Depois de tantas ameaças, finalmente cancelaram depois da terceira temporada… Mas, como o mundo dá muitas voltas, a década de 1970 foi marcada com a reprise dos episódios, que geraram “somente” mais 11 filmes a respeito, além dos spin offs, que levaram Star trek ao livro dos recordes como a série que mais originou spin offs da História. 
  Muitos desses spin offs estão disponíveis no catálogo Netflix, além de um, contando a história do Capitão Piccard, no catálogo da Amazon Prime. Alguns desses spin offs estão resenhados aqui, inclusive. 


  • Leia também: Star trek Discovery 

   Falando sobre a série em si, depois de ver os filmes mais recentes, com elenco novo, além dos spin offs mais tecnológicos, ver a série original é um tanto esquisito, por causa dos efeitos especiais. 
   É uma série de ficção científica, que fala sobre viagens interplanetárias e seres de outras galáxias, então merece ter mais atenção com relação aos efeitos. 
  Hoje, é nítido, e até cômico, como algumas cenas assim foram feitas, em cenários de papelão e efeitos nada chamativos, parecendo até luta de telecatch


Star trek
Foto: Divulgação

  Mas levando em consideração a época em que foi filmada, e o orçamento que tinham, realmente foi uma missão audaciosa, que ainda mexe com o imaginário de muita gente, se deixar esses detalhes de lado e embarcar na magia da viagem interplanetária.
  Acho engraçado também a forma como eles contornaram a ideia de encontrar vida inteligente nos planetas, sempre em forma humanoide… interpretados por humanos… que continuam humanos… Só sabemos mesmo que são de outro planeta pelas vestimentas. 
  Outra coisa que achei engraçada é que, mesmo que eles descrevam o planeta por onde estão alcançando a órbita, parece que estão sempre sobre a Terra. 


Star trek
Foto: Divulgação


  Me pergunto se isso não foi influência da corrida espacial que tinha na época, com as imagens vindas da Lua, aproveitadas trocentas vezes nos episódios.    


  • Leia também: Star trek Enterprise 

  Agora uma coisa que é sensacional e precisa ser comentada é a tenente Uhura, uma personagem icônica, principalmente por ser a única negra no elenco. 
  Numa época em que era comum ver atores negros somente em papeis sem muita importância, ou mesmo aparecendo mais vezes, como a babá, a empregada doméstica, o jardineiro, etc., ver uma mulher negra como uma personagem principal, e uma tenente da Frota Estelar foi incrível! 
  Não apenas era tenente, como era a única personagem do elenco que atuava tanto na ponte de comando como em terra, em várias missões. 
Star trek
Foto: Divulgação

Star trek
Foto: Divulgação

  Para quem não sabe, a atriz que interpretou a Uhura original se chama Nichelle Nichols, e foi a primeira atriz que filmou uma cena de beijo inter-racial nos Estados Unidos (exatamente em Star Trek), que foi ao ar em 1968, um ano depois que a Suprema Corte dos Estados Unidos eliminou as leis contra casamento inter-racial no país. 
  Além disso, o nome Uhura foi inspirado em ‘Uhuru’, que significa ‘liberdade’ em suaíli. E, o que eu acho mais sensacional, Uhura acabou marcando a história por representar a luta dos negros pelos direitos civis na tv. 
  Ela foi a inspiração até para Whoopi Goldberg que, que falou a famosa frase: “Eu acabei de ver uma mulher negra na televisão, e ela não é nenhuma empregada! Se ela pode ser uma tenente, eu posso ser o que eu quiser!” Coincidentemente, ou não, a atriz fez parte do elenco de Star trek: Nova geração. 
  Além disso, Uhura foi a inspiração para muitos jovens negros, que acabaram entrando no programa espacial por causa de incentivo dela. 


Star trek
Foto: Divulgação

  Inclusive a Nasa aproveitou o sucesso na época e convidou a atriz para fazer parte da campanha, o que também rendeu uma participação maior de Uhura em Star trek na segunda temporada, chegando até a capitã em outras produções da franquia. 
  Hoje em dia, Nichelle Nicols passou o posto de Uhura para Zoë Saldaña, que está cumprindo muito bem o papel e fazendo jus ao que a personagem representa. 


Star trek
Foto: Divulgação

  Sei que já falei demais dessa série, mas é que realmente sou apaixonada por ela, pelo que representa na história da tv, e de muita gente. 
  Muita coisa que é dita ali nos faz pensar, principalmente do motivo de a Frota Estelar ter sido finalmente criada: o fim das guerras entre humanos. No dia em que isso acontecer, aí sim, a frase do Kirk vai fazer total sentido. 
  Vocês já se apaixonaram tanto assim por uma série? Já viram Star trek? Me contem aí! 😉



Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui