20 de janeiro de 2022

Amantes do Cinema | Não olhe para cima

    Olá meu povo, como estamos? Continuando com os assistidos de 2021, mas que só estão saindo as resenhas agora (rsrsrs), hoje vou falar sobre Não olhe para cima, uma estreia do dia 24/12 na Netflix, que fez o meu Natal ser regado a lágrimas e puras verdades, disfarçadas cinismo e cenas até engraçadas. 
Não olhe para cima | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

Ficha técnica

Filme: Não olhe para cima 
Ano: 2021 
Gênero: Comédia, Scifi
Duração: 2h22min
Classificação: +16 
País: EUA
Não Olhe Para Cima conta a história de Randall Mindy (Leonardo DiCaprio) e Kate Dibiasky (Jennifer Lawrence), dois astrônomos que fazem uma descoberta surpreendente de um cometa orbitando dentro do sistema solar que está em rota de colisão direta com a Terra. Com a ajuda do doutor Oglethorpe (Rob Morgan), Kate e Randall embarcam em um tour pela mídia que os leva ao escritório da Presidente Orlean (Meryl Streep) e de seu filho, Jason (Jonah Hill). Com apenas seis meses até o cometa fazer o impacto, gerenciar o ciclo de notícias de 24 horas e ganhar a atenção do público obcecado pelas mídias sociais antes que seja tarde demais se mostra chocantemente cômico.
Não olhe para cima | Netflix

    ‘Não olhe para cima’ é uma sátira, que traz críticas bastante reflexivas sobre o negacionismo científico e suas consequências. 
     Tudo começa quando a doutoranda Kate Dibiaski, aluna de Astronomia na Universidade de Michigan, descobre um cometa com o dobro do tamanho do que extinguiu os dinossauros, vindo em direção à Terra. 
     Pelos cálculos de seu orientador, a estimativa é que o cometa atinja a Terra em cerca de seis meses, o que vai dar fim à toda a Humanidade. 
     A ideia mais lógica seria anunciar para a Nasa e para os governos do mundo, afinal, algo precisa ser feito. 
    Porém, vai ser difícil fazer alguma coisa, se nem a presidente dos Estados Unidos é capaz de dar ouvidos aos cientistas. 
Não olhe para cima | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

   Nem sabia que esse filme ia estrear na véspera de Natal, mas quando vi o elenco de peso que fazia parte dele, fiquei curiosa e assisti no dia 24/12 mesmo. 
   Logo nos primeiros minutos, entendi a mensagem e, mesmo que tenha sido filmado antes da crise sanitária, é um filme que se encaixa muitíssimo bem com o momento que passamos. 
   O filme tem um toque de humor, já que a ideia é ser uma comédia. Mas o toque ácido foi a cereja do bolo aqui. 
   Preciso falar que me identifiquei logo com a Kate, por ser doutoranda também e por saber muito bem o que é ficar até mais tarde no laboratório, fazendo experimentos e monitorando resultados, que nem sempre saem como o esperado e tem que começar tudo de novo (meu primeiro estágio era exatamente assim)
   A descoberta dela foi algo inesperado até para seu orientador, Randall, que também não sabe lidar com o impacto iminente sobre o planeta. 
   Uma descoberta que renderia prêmios, pesquisas milionárias e apoio da NASA, de repente vira motivo de piada quando a própria presidente dos Estados Unidos ignora e age como se o cometa fosse algo irrelevante (já vimos esse filme antes?). 
Não olhe para cima | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

   Apoiada pelo filho, que também é secretário de Estado, a presidente nem sequer presta atenção ao que os pesquisadores tem a dizer, especialmente por não serem de universidade renomadas. 
   Só por isso, não são dignos de fazerem grandes descobertas (preconceito que fala, né?). A saída para alertar a população de que o fato é grave ficou em ir na mídia e falar para olharem para o céu e constatarem com os próprios olhos, o que também acaba saindo pela culatra, já que acontece tudo, desde virarem memes até motivo de mais piadas, mas o negacionismo prevalece. 
  O tempo todo, já sabemos o que vai acontecer no final, pois fica bastante óbvio, diante dos acontecimentos. 
   O que deixa o expectador ainda mais revoltado, já que são questionadas coisas bem pertinentes, no que condiz a investigações científicas, mas ninguém dá bola, pois “ainda não tem comprovação”, quando as provas estão na cara de todo mundo, literalmente. 
Não olhe para cima | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

   Além disso, os personagens em questão tem atitudes tão calculadas e previsíveis, que são relacionados facilmente a muitos governos atuais, o que chega a ser triste e cômico ao mesmo tempo. 
   O tempo todo, vemos o mundo inteiro brigando entre olhar para cima e não olhar para cima, quando deveriam estar unidos em prol de algo maior. 
   Isso só mostra o quanto ainda somos falhos e não andamos mais para frente em conhecimento, pois é cansativo ter que dar quase 10 passos para trás, explicando que ciência tem valor, para pessoas que ainda são movidas por ganância e que seguem cegamente quem prega que “não é tão grave assim”. 
   O final do filme é triste, tocante e me arrancou lágrimas. Pois a sensação que tive era que, se o cometa realmente tivesse sido descoberto, nós morreríamos, lutando com quem diz que o “cometa é uma teoria da conspiração e não um fato científico”. 
Não olhe para cima | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

Não olhe para cima | Netflix
Foto: Divulgação/Netflix

   Mas sinceramente, não consegui pensar em outro final tão digno quanto. O que só mostra ainda mais o quanto o ser humano ainda é egoísta, mal, presunçoso e precisa aprender muitas lições por aqui se quiser realmente explorar o espaço um dia (no mínimo).  
   É um filme que recomendo, mesmo que não curta scifi. Ele vai muito além disso e faz críticas reais e construtivas ao mundo que temos, além de nos levar à reflexão do que queremos para nosso futuro. 
                                   
  Já tinham visto esse filme? 

 

   
 
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui