20 de agosto de 2019

Casa de Rui Barbosa

   Olá meu povo, como estamos? Hoje eu vou apresentar a vocês o museu que visitei aqui no Rio de Janeiro mais recentemente. O museu na verdade foi a casa de um ícone para o Brasil, seja no âmbito político, literatura, entre outras coisas. Estou falando da Fundação Casa de Rui Barbosa, que fica em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

“A Casa de Rui Barbosa está localizada em lote de uma das mais antigas chácaras de Botafogo que, no século XIX e nas primeiras décadas do século passado, era o bairro preferido pela aristocracia como área residencial. Em estilo neoclássico, a casa, situada no meio de um vasto jardim, foi residência de Rui e de sua família até 1923. Em 1924, um ano após sua morte, o governo comprou o prédio, inclusive a biblioteca e o arquivo de Rui. Quatro anos mais tarde, adquiriria também o mobiliário. Em 13 de agosto de 1930 o então presidente Washington Luís inaugurava o primeiro museu-casa do Brasil, homenageando seu antigo aliado político. Na ocasião, cada um dos aposentos ganhou um nome, rememorando passagens significativas de seu patrono. Núcleo original do que é hoje a Fundação Casa de Rui Barbosa, o museu desenvolve atividades de pesquisa, conservação e educação, além de promover projetos de integração com a comunidade.” [Fonte]   

Casa de Rui Barbosa

   Atualmente escondidinha em meio a prédios enormes de Botafogo, a Casa de Rui Barbosa é uma verdadeira volta no tempo. Lá, podemos ter uma ideia de como eram as coisas no início do Século XX, isso porque não é apenas um museu, mas literalmente a casa de Rui Barbosa.
   Vendida por sua esposa ao governo um ano após a morte de uma das figuras mais marcantes do nosso país, a casa ainda está tão arrumada e tão aconchegante, que a impressão que dá é que logo os donos da casa chegarão para “nos fazer sala” durante nossa visita.
   Passamos por quartos da família, vemos antigos costumes, alguns estranhos e outros bem nojentos por sinal, além de finalmente entender alguns ditados da época de nossos pais/avós.
   Achei curioso que cada quarto e até a biblioteca tem nomes bem marcantes, como habeas corpus ou mesmo constituição. Isso porque Rui Barbosa está por trás de muitos desses termos, afinal foi ele quem ajudou a promulgação deles.


“Rui Barbosa é um dos personagens mais conhecidos da História do Brasil. Nascido na Bahia, em 5 de novembro de 1849, fixou-se no Rio de Janeiro em 1879, ao ser eleito para a Assembleia Legislativa da Corte Imperial. Ganhou prestígio como orador, jurista e jornalista defensor das liberdades civis e foi, por duas vezes, candidato á Presidência da República. Estudioso da Língua Portuguesa, presidiu a Academia Brasileira de Letras após a morte de Machado de Assis. Em 1907, representou o Brasil na Segunda Conferência Internacional da Paz em Haia e, já no final de sua vida, foi eleito Juiz daquela Corte Internacional.” [Fonte]

   Além disso, é notório o amor de Rui Barbosa por livros. Nem preciso dizer o quanto fiquei doida quando entrei na casa e dei logo de cara com um gabinete lotado deles. E fiquei mais doida ainda ao saber que ele gostava tanto, mas tanto de livros, que tinha uma coleção singela de 35 mil exemplares espalhados pela casa.

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Não são 35, nem 350, meu povo… são 35 mil! Tem noção?! Eu nunca nem sonharia com essa coleção toda, até mesmo porque não tenho espaço nem para a metade disso na minha casa. Mas ele conseguiu, tanto que tem livros em sua biblioteca, numa salinha que apelidei carinhosamente de “a biblioteca da biblioteca”, pois fica escondidinha dentro dela, também lotada de livros. Além disso, tem livros no escritório dele e no quarto de vestir, além de uma sala especial para encadernar seus próprios livros! 😍

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundiinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Já até falei com o Diogo, que se ele me arranja uma casa com espaço para tantos livros assim, digo ‘sim’ na hora! 😂😂 Porém, apesar de ter tantos livros, acho que ele tinha certo TOC, pois tinha alguns volumes com títulos repetidos, em línguas diferentes (ele falava 7 idiomas!) e alguns nunca foram nem lidos.
   Mas a casa de Rui Barbosa vai além apenas livros por todo canto. Ele tinha umas engenhocas muito maneiras. Não sei se ele tinha talento mesmo para isso, ou se mandava fazerem coisas que facilitassem sua vida, mas achei incrível que uma casa no começo do século XX tivesse coisas tão moderninhas, como:

1. Sistema de água quente por todos os banheiros e até na cozinha;
2. As toalhas eram aquecidas por um sistema que também aquecia a água das torneiras;

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

3. A sala de jantar da família tinha um esquema de alavanca para baixar o lustre, assim ninguém tinha que levantar para apagar ou acender a luz enquanto comia (e nem precisava de controle remoto!);
4. Ele tinha tanto cuidado com a comida, que fazia questão de ter uma pia só para depenar aves, uma exclusiva para limpar peixes e uma outra para limpar a carne. Além disso, na área de serviço tinha uma pia só para lavar a louça;
5. Cada cômodo da casa tinha uma campainha; se ele quisesse que algum empregado o atendesse, ele nem precisava gritar ou bater um sino. Era só apertar um botão, que na área de serviço acendia uma luz vermelha indicando o cômodo onde ele estava. Sem escândalos, sem correria, apenas tecnologia! 😍

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Mas nem só de livros e água quente vive uma pessoa (rsrsrs). A casa de Rui Barbosa também tinha locais para receber visitas, locais esses onde tem um piano de meia calda, que ainda funciona! Achei curioso que durante a visita, quem sabe tirar umas notas do piano é autorizado a tocar lá também por alguns minutos. Ah, se eu soubesse tocar piano… 😍😎
   Outro fato curioso são alguns detalhes que tinham na casa, que explicavam uns ditados da época, mas que até minha mãe fala ainda. Tipo, “a pessoa não tem eira nem beira”, ou “fulano é um pé rapado”. O do “pé rapado” creio que seja mais comum que saibam o significado, mas falarei mesmo assim, caso não conheçam. Naquela época não tinha asfalto como hoje em dia, então tinha muita lama quando chovia. Os ricos andavam de carruagem e tinham banquinhos para não sujarem os pés, mas os mais pobres não. Então, na casa dos ricos, ou nas igrejas, tinham entradas de serviço, onde as pessoas “rapavam” a lama do pé. Na casa de Rui Barbosa tinha na entrada dos empregados um aparato para isso, então os empregados que tinham uma condição mais humilde eram os “pé rapados”.
   E o do “eira nem beira” confesso que eu não conhecia mesmo! Vim saber o que significava depois da visita por lá. Então, normalmente as casas dos ricos tinham uma marca para dizer que eram ricos. Afinal, uma casa grande era apenas uma casa grande, mas ainda podia ter um monte de pobre morando nela… Pelo que entendi, não importa se a casa é grande ou pequena, mas se ela tem a tal da eira e da beira. A beira, literalmente, é a beirada da janela, que tem uma decoração com pedras de mármore, marfim, ou algo do tipo. Já a eira, meu povo, é nada mais, nada menos que enfeitar a parte interna dos telhados! Quando olhamos pela janela, e reparamos os detalhes acima da gente, o telhado não é de barro como as outras telhas da casa, ela é uma “eira toda trabalhada em azulejo português”. Assim, posso dizer que Rui Barbosa era rico, pois a casa dele tinha “eira e beira”.  😂😂

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna 

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Além da coleção imensa de livros e das curiosidades, a Casa de Rui Barbosa  tem um jardim que é um verdadeiro sonho. É enorme, ocupando tanto a frente quanto os fundos da casa. Mesmo quando o museu está fechado, o jardim é aberto à visitação, o que rende muitas fotos bonitas, já que cenário é o que não falta. 💓

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Na parte da frente, damos logo de cara com uma pequena cascata, cheia de pedrinhas, com uma ponte pequena, mas muito romântica. Além disso, na parte de trás, podemos ver a tentativa de Rui Barbosa de plantar uvas, já que a estrutura para as videiras ainda estão intactas. O jardim já existia quando Rui Barbosa comprou a casa (ele foi o quarto e último dono da casa). Então muitas árvores ali são um pouco mais que centenárias. Outras foram plantadas depois, sempre com o registro de todo acervo botânico que já existiu por ali. Outra curiosidade era que Rui Barbosa era tão cuidadoso com seu jardim, que ele tinha todos os registros de cada rosa que comprou e plantou em seu jardim.

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   No jardim também podemos ver as carruagens e até o automóvel que ele tinha. Hoje eles ficam expostos onde antes era o local dos cavalos. São 3 carruagens e um automóvel. As carruagens são imponentes, mas o que chama atenção mesmo é o carro. Ele foi fabricado quando Mercedez-Benz nem tinham se juntado ainda. 😱 Assim, temos um dos carros mais antigos no Brasil, fabricado pela Benz, num modelo semelhante ao de um príncipe europeu, tão raro, que nem o museu da marca tem esse carro!

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Casa de Rui Barbosa
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Nem preciso dizer o quanto gostei de ter conhecido esse museu. Para quem quiser compartilhar desse amor todo que tenho por lá, as visitas são gratuitas e, dependendo da hora, tem visita guiada só para o jardim e só para o museu. Planejando direitinho, tem como fazer as duas num dia só. 😉
   As visitas à Casa de Rui Barbosa são sempre assim:

Museu: terça à sexta- das 10h às 17h30min
             sábado, domingo e feriado- das 14h às 18h

Obs.: Na última terça útil do mês, o museu abre de 10h às 19h30min.

Jardim: todos os dias- das 8h às 18h

Obs.: Na última terça útil do mês, é possível visita noturna no jardim até 19h30min.

   A entrada é franca e fotos são permitidas, desde que não use flash.




 

   Querem mais? Então se liga! A biblioteca de Rui Barbosa era tão grande, mas tão grande, que gerou uma biblioteca pública! Isso mesmo! Normalmente os volumes estão expostos no museu mesmo. Mas se você agendar uma consulta, todos os livros são permitidos para leitura/estudo, desde que sejam usados lá. Querem outros livros? Pois bem, Carlos Drummond de Andrade foi o responsável por trazer mais livros ao acervo. Tantos que tem um prédio mais moderninho nos fundos do jardim, onde funciona a biblioteca oficial da Fundação Casa de Rui Barbosa. Lá temos acesso a outro livros de vários escritores brasileiros, de várias épocas, todo disponíveis para consulta também. Além disso, a Fundação Casa de Rui Barbosa tem uma pós-graduação, com mestrado em Memória e Conservação, que é aberto a todas as áreas de pesquisa. Então, está querendo fazer um mestrado, mas não sabe onde? Fica aí uma dica para pensar com bastante carinho… 😉
   E esse foi o passeio da vez. Já tinham ido lá? Tem alguma casa-museu na cidade de vocês? Me contem aí! 
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui