14 de maio de 2020

Cold Case

   Olá meu povo, como estamos? Hoje vou falar de uma série relativamente antiga, mas que só vim descobrir bem recentemente, e quero compartilhar com vocês, vai que tem mais alguém no time dos que ainda não conheciam: Cold Case. 

Cold Case
Foto: Divulgação

Ficha técnica: 

Série: Cold Case

Ano: 2003-2010
Temporadas: 7
Duração dos Episódios: 42min (em média)
Situação: Finalizada
Gênero: Policial
Lilly Rush (Kathryn Morris) é uma detetive trabalhando para o departamento de homicídio da Philadelphia, e foi designada para a sessão dos “arquivos mortos”. Com sua equipe, ela investiga crimes cometidos há muito tempo e que não foram resolvidos. Lilly deve repensá-los, entrevistar pessoas envolvidas com as vítimas e encontrar alguma ligação que a leve ao assassino.
Cold Case
   Essa é uma série policial clássica, onde a equipe investiga casos procurando “o culpado”. Mas o que torna o departamento diferente de todos os outros é que ela é especializada em solucionar crimes das antigas que, por algum motivo, ficaram em aberto. 
   E são casos desde os mais famosos até os mais esquecidos, largados no fundo do departamento de polícia da Philadelphia. Os anos foram passando, novos casos foram surgindo, e os outros em aberto foram apenas se amontoando e juntando poeira. 
  Assim, a equipe de Lilly Rush recebe a missão de dar um desfecho a esses casos, fazendo justiça para as vítimas, ainda que bem tarde em algumas ocasiões. 
  Mas sabe o ditado “antes tarde do que nunca”? Pois é… Lilly se depara com os casos mais misteriosos e por muitas vezes bem antigos, desde a década de 1950 (embora tenha uns episódios com casos mais antigos ainda, do início do seculo XX).  
  Ao longo das temporadas, vemos Lilly, seu mentor John Stillman e mais alguns outros detetives, que acabam se aprofundando cada vez mais no tempo, em busca de novas respostas, para juntar com as esquecidas dos arquivos. 
  Logo, o departamento fica famoso, como sendo o único que consegue dar cabo dos crimes há tanto tempo esquecidos. Isso porque Lilly e os parceiros que consegue são incrivelmente inteligentes e sabem enxergar pistas onde mais ninguém consegue. 
  Como na maioria dos casos, tanto a vítima quanto o culpado podem estar mortos, vemos a conclusão dos casos, mas nem sempre alguém vai preso. Isso em nada tira o mérito dos episódios, pois vemos que, mesmo com o passar das décadas, algumas coisas nunca mudam… 
  São casos de discriminação, racismo, assassinatos, assaltos… Vários deles sem solução na época, por não ter uma tecnologia que fosse de grande ajuda na solução da grande maioria. 
Cold Case
Foto: Divulgação
  Porém, anos depois, com certos “truques” mais acessíveis, as pistas são enfim observadas, fazendo a justiça, nem que seja pelo bem das testemunhas, filhos e netos das vítimas, que podem enfim ter sua paz. 
 Apesar de relativamente antiga, eu só vim conhecer a série no ano passado, quando vi que o canal de TV por assinatura A&E começou a transmitir os episódios na ordem certinha. Normalmente são exibidos dois por vez, mas tem alguns dias de maratona também, onde eles reexibem uma temporada toda, ou quase toda. 
 O que mais gosto dessa série é que ela mostra que não existe crime perfeito, o que existe é detetive desatento… ou falta de tecnologia… Além disso, o ditado “a justiça tarda, mas não falha” se encaixa perfeitamente nessa situação, já que muitas vezes uma família respira aliviada só depois de 20, 30 anos…  
 E pense no tanto de famílias nesse mundo que entram nas estatísticas de casos sem solução? Quantas famílias estão há 20 anos ou mais em busca de respostas… E a gente nem sabe… Isso porque não é só na ficção que essas coisas acontecem; infelizmente no mundo real isso é bem mais comum do que se imagina… e é bem triste pensar que algo assim pode acontecer com qualquer um. =/
Cold Case
Foto: Divulgação
 Inclusive, caso não saibam, vários episódios de Cold Case são baseados em fatos reais. Arrisco até a dizer que são casos famosos que ficaram sem solução que deram origem á série, como uma forma de fazer justiça, ainda que na ficção, por essas vítimas. Se quiserem saber quais são os episódios, segue a lista:
Look Again (1×01)
Sim! A série estreou com um dos casos baseados em fatos reais, contando sobre o assassinato de Martha Moxley, em 1975. 
Our boy is back (1×03)
Baseado no caso de Troy Graves, o “estuprador de Center City” que, entre 1997 e 2001, atacou 12 mulheres e matou uma. A vítima que apareceu na série foi a que morreu, Shannon Sheiber. 
Love conquers al (1×06)
Baseado num crime que aconteceu em 1995 no Texas. A vítima se chamava Adrianne Jones e os assassinos Diana Zamora e David Graham, dois cadetes da Marinha.
Disco Inferno (1×15)
Baseado em dois incêndios que ocorreram no Station Nightclub e Happy Land.  
Late returns (1×19)
Conta a história da morte de Chadra Levy, em 2001. 
Maternal instincts (1×21)
No conta sobre o caso de Cathleen Krauseneck, misteriosamente assassinada em 1982. 
Lover’s Lane (1×23)
A morte de Krystal Dawn Steadman, de 9 anos, morta em 1999. O crime teria ocorrido no mesmo local onde conhecemos mais duas vítimas, Bryan Calvin Hartnell e Cecilia Ann Cheppard, em 1969, vítimas do Zodiac killer
The house (2×04)
Nos conta a história de Glen Stewart Godwin, que escapou da Penitenciária Folson Prision, em 1987. 
Mind Hunters (2×09) e The Woods (2×23)
Falam sobre Robert Hansen, que raptou e matou 15 mulheres, entre 1980 e 1983.
Cold Case
Foto: Divulgação
Schadenfreud (2×17)
Baseado no caso de Sam Sheppard,condenado por matar a, esposa Marilyn Reese Sheppard, em 1954.

Strage Fruit (2×19)

Conta o caso de Emmet Till, assassinado em 1955.
Rampage (4×01)
Conta sobre o massacre de Columbine, em 1999, no Colorado.
Lonely hearts (4×09)
Conta sobre Martha Beck e Raymond Fernandez, apelidados de “The lonely hearts killers”.

Blackout (4×13)

Fala sobre o assassinato de Florence Unger, em 2003.
Stalker (4×24)
Fala sobre o assassinato da família Huling, em 1978, no Minnesota.

Thrill Kill (5×01)

Baseado no caso “West Memphis3”, onde 3 crianças foram mortas em West Menphis, Arkansas, em 1993.
Boy Crazy (5×09)
Baseado no caso de Brandon Teena, assassinado em 1993, no Estado do Nebraska.


  Além dos vários casos baseados em fatos reais, o que chama atenção em Cold Case é a trilha sonora, que sempre é uma música que fez sucesso no ano dos casos abordados, sejam fictício ou não. Como muitos casos são dos anos 1980/1990, as músicas acabam sendo bem nostálgicas… O que te faz viajar na história até o último minuto dos episódios… =)

  E, não dando spoiler, mas contando o final dos episódios (rsrsrs), acho bem legal que, ao fechar os casos resolvidos, normalmente a nossa protagonista Lilly tem umas visões. Não é nada tão mediúnico assim, mas as vítimas dos casos que estavam tanto tempo sem solução e agora são resolvidos, de certa forma leva paz para suas almas. Então elas meio que ficam felizes e enfim se despedem do mundo material… 
  Eu acho emocionante essa parte, pois penso sempre na agonia das famílias e da própria vítima, que finalmente poderia descansar em paz. Confesso que, em alguns casos, eu acabo chorando junto com essa cena…  
  Para quem, assim como eu, não conhecia essa série, mas curte uma boa série policial com mistérios, recomendo. Caso não tenham assinatura do canal que transmite, tem alguns episódios disponíveis no Youtube. 
  E aí, o que acharam da dica de hoje? Me contem aí! 
 
  
     
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui