23 de março de 2019

Cult: Palácio Itamaraty – RJ

   Olá meu povo, com estamos? Hoje nosso colaborador Erik Lourenço nos trouxe um relato super legal, sobre o Palácio Itamaraty. Ele fica no Centro do Rio de Janeiro, bem pertinho da Central do Brasil, onde passa boa parte da população do Estado do RJ; no entanto, quase ninguém sabe que ele é aberto à visitação, ou menos ainda, o quão importante aquele prédio é para nossa história…

Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

   Olá pessoal! Como vocês estão?  Hoje é dia de falar de passeio cultural. E hoje venho trazendo novidades. Quem mora no Rio de Janeiro provavelmente já passou por lá, porém muitos não sabem que é aberto à visitação.  Ficou curioso (a), né?



Palácio Itamaraty





Museu Histórico Diplomático

   Durante anos passando por ali, sempre deslumbrado com a arquitetura neoclássica do Palácio Itamaraty e super curioso para visitá-lo, decidi pesquisar sobre o local. E descobri que é aberto à visitação.
   O Palácio Itamaraty foi construído em meados do século XIX, por Francisco José da Rocha, o primeiro Barão do Itamaraty, mas ele faleceu antes da inauguração, então seu legado ficou para seu filho Francisco José da Rocha Filho, o segundo Barão do Itamaraty, que nunca residiu no palacete. Ele residia em um sobrado anexo ao palacete com sua família.
   Em estilo neoclássico pela simetria, cor rosa pastel, com dupla ordem de vãos com vergas de plena volta, apresenta no sobrado sacadas corridas, platibanda (guarda-corpo) de serralheria, com vasos e balaústre (corrimão). No interior apresenta atributos dos grandes solares do século anterior, decorado por mármore róseo e saguão de acesso; nas dependências internas, os salões nobres, tetos estucados, coleção de mobiliário de época, prataria, porcelana e quadros pintados por Debret, Corot e grandes mestres brasileiros como Belmiro de Almeida, Décio Villares e Pedro Américo. Nos fundos há um lindo espelho d’água com cisnes.

Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


   No período do Império, o Palácio foi disponibilizado para bailes, porém só houve um baile, que foi em homenagem ao Conde d’Eu, para comemorar o fim da Guerra do Paraguai, em 1870.
 Com o fim do Império e o início da República, em 1889, o Itamaraty foi vendido para os republicanos e ali se instalou a primeira sede da Presidência da República. Em 1898, a sede da Presidência da República foi transferida para o Palácio do Catete, assim o Itamaraty foi cedido ao Ministério das Relações Exteriores.



Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


  O único Ministro que residiu no Itamaraty foi José Maria da Silva Paranhos Júnior, o Barão do Rio Branco. Ele é filho do Visconde do Rio Branco, diplomata e um dos autores da Lei do Ventre Livre.  Pode-se ver esse documento da sala do Visconde do Rio Branco durante a visita ao museu.



Barão do Rio Branco
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna



Sobre a visita

  A visita é acompanhada com um mediador, para explicar a importância histórica do local, já que não há placas de identificações como em um museu “convencional”. Como todo local histórico existem curiosidades e algumas que chamaram minha atenção.

Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna


  A neta de Napoleão Bonaparte, D. Amélia Augusta Eugênia Napoleona, foi a segunda esposa de D. Pedro I, o filho da família expulsa de Portugal por seu avô alguns anos atrás. E como do destino é irônico, Amélia herdou alguns móveis do seu avô Napoleão, os quais estão em exposição no Palácio Itamaraty.



Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna






  Há suspeitas que o segundo Barão do Itamaraty nunca residiu no Palácio, porque seu pai morreu ali. Mas ele trabalhava no Palácio.
  As visitações ocorriam todos os dias até às 17h, porém após o acidente no Museu Nacional, o Museu Histórico e Diplomático decidiu que toda a luz deve permanecer apagada por questão de segurança, visto que a instalação elétrica é antiga e necessita de manutenção.
  

O único Ministro de Relações Exteriores que residiu no Itamaraty foi o Barão do Rio Branco. Além de ele ser diplomata, também era historiador, geógrafo, advogado e segundo ocupante da cadeira 34 da Academia Brasileira de Letras.

Na sala do Barão do Rio Branco, na qual ele trabalhou e, literalmente, residiu, foi realizada uma homenagem, com uma frase, mas existe uma indagação: Onde começa a frase, pois há duas possibilidades de ser lida. Então você define qual é a forma correta:



Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna



“Nesta sala, que foi por muitos anos o seu gabinete de trabalho, faleceu, em 10 de fevereiro de 1912, o grande ministro das Relações Exteriores dos Estados Unidos do Brasil, José da Silva Paranhos, barão do Rio Branco.” 



“De trabalho, faleceu, em 10 de fevereiro de 1912, o grande ministro das Relações Exteriores dos Estados Unidos do Brasil, José da Silva Paranhos, barão do Rio Branco nesta sala, que foi por muitos anos o seu gabinete.”

  O palácio tem um espelho d’água com cisnes e carpas. O cisne é o símbolo da música e da poesia, além de representar a coragem, a nobreza, a prudência e a elegância. A carpa traz prosperidade e alegria.

Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Palácio Itamaraty
Foto: Erik Lourenço/Mundinho da Hanna

Saiba mais:

  1. Quando ocorreu a Olimpíada Rio2016, a recepção das delegações dos países foi realizada no Palácio do Itamaraty.



Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna









  2. O complexo do Palácio do Itamaraty compreende o Museu Histórico e Diplomático, o Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores e o Centro de História e Documentação Diplomática.
Informações úteis

Endereço: Av. Marechal Floriano, 196, Centro – Rio de Janeiro/RJ.










Transporte: Estação Presidente Vagas (metrô), estação Central do Brasil (Trem) e linhas de ônibus provenientes municipais e intermunicipais.

Horários: segunda-feira às 13h, às 14h, às 15h.

Terça-feira à sexta-feira às10h, às11h, às 13h, às 14h, às 15h.

Atenção: Todas as visitas são guiadas e gratuitas. Grupo com 10 pessoas é necessário agendamento.
Não é permitida a entrada de bermuda, chinelo, boné, minissaia, chinelo, camisa curta. 

Contato 




Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Palácio Itamaraty
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna








   O que acharam do passeio cult de hoje? Já tinham visitado o Museu Histórico e Diplomático do Palácio do Itamaraty? 



Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui