14 de janeiro de 2020

Hanna

   Olá meu povo, como estamos? Recentemente assinei a Amazon prime, pois fiquei curiosa com as novidades que apareceram no catálogo da concorrente da vermelhinha (rsrsrs). E, claro, não poderia deixar de conferir a série que leva meu nome: Hanna. 😉

Hanna
Foto: Divulgação

Ficha técnica

Série: Hanna

Ano: 2019

Temporadas: 1

Gênero: Drama/Suspense

Episódios: 8

Duração média: 50min




Hanna é uma adolescente que mora na zona rural do norte da Finlândia ao lado do pai, e que vê sua vida mudar ao conhecer um ex-agente da CIA que planeja um plano para matar todos os agentes que desejam capturá-los. Hanna, então, passa por um pesado treinamento e não demora a se tornar uma hábil assassina. Agora, ela embarca em uma missão contra a CIA que pode custar sua própria vida.

Hanna

   Hanna é uma menina marcada por perseguições e violência contra sua família. Sua mãe é morta quando ela ainda é um bebê, sequestrada da maternidade e cresce no meio da floresta gelada da Finlândia. Seu pai é um ex-agente da CIA, que faz de tudo para proteger a garota. Ele cuidou dela, ensinou a se virar para procurar comida no meio do mato, a procurar abrigo e ser uma pessoa independente, a seu modo.
   Logo Hanna cresce e se torna uma adolescente curiosa, que quer saber o que tem além das árvores. Seu pai é totalmente contra, fala que no mundo só existem pessoas más, que querem lhes matar, mas não diz nunca o porquê. No começo, Hanna aceita o que seu pai diz. Mas depois essa informação se torna insuficiente e ela busca pelas próprias respostas.
   Quem matou sua mãe? Por que ela cresceu escondida no meio da floresta? Hanna é seu nome verdadeiro? O cara que cuida dela é realmente seu pai? Hanna, aos poucos, descobre que não sabe de nada nem do mundo, nem de sua própria história. Todos a sua volta guardam segredos, tudo a sua volta cheira a mentiras e ela tem que pensar bastante em quem pode confiar de verdade. 

Leia também: 6 motivos para assinar Amazon Prime


   Quando assinei a Amazon Prime, já sabia o que queria ver primeiro. Eu estava curiosa com os trailers de ‘Hanna’ que passava na TV, e queria saber o que essa mocinha tinha de especial. Felizmente, minhas expectativas criadas tiveram sentido, pois maratonei a série em menos tempo do que pensava. 
   Já começamos a série com um bebê sendo retirado da maternidade, por um fugitivo da CIA. Até então, pensamos que a menina estava sendo sequestrada, mas na real aquilo era um resgate. Hanna não era um bebê normal. Ela faz parte de uma pesquisa secreta da CIA, que envolvia barrigas de aluguel e treinamento pesado, junto com manipulação genética. 
    Hanna é uma das primeiras cobaias dessa pesquisa, por isso ela é tão especial e precisa ser protegida a todo custo. Mas antes que seu treinamento fosse iniciado, ela foi resgatada da maternidade pelo cara que ela viria a conhecer apenas como seu pai, pelos próximos anos. Fugindo de toda a CIA, seu pai não vê outra alternativa a não ser passar sua vida escondido na floresta com a menina. Então, ele ensina tudo o que sabe para ela: defesa pessoal, caçar, pescar, treinamento de soldado para sobrevivência… 



Hanna
Foto: Divulgação/Amazon Prime







Leia também: Os mistérios do detetive Murdoch


   Ela é uma adolescente, com opinião própria e não aceita obedecer ordens, se não tiver um motivo bastante plausível. Assim, como seu pai apenas lhe fala de “homens maus” que querem lhe matar, mas não falam o porquê disso, ela decide sair em busca de suas próprias respostas. Ao ver o mundo, Hanna acaba lidando com coisas que ela nunca imaginou que lidaria: uma vida de adolescente. Aos poucos, ela percebe o que o mundo pode lhe oferecer. Afinal, ela é humana, jovem e ainda lhe falta tanto para descobrir. Junte a isso os agentes da CIA, que descobrem que ela saiu do cativeiro e decidem persegui-la, e fica uma combinação bem louca… 
   Sim, essa série é para te deixar ligadx mesmo no que vai acontecer. Pois enquanto Hanna percebe que pode viver uma vida de descobrimentos, esses momentos alegres e leves não duram muito, conforme ela vai também investigando sobre seu passado. Ao descobrir sobre seu passado como cobaia, isso a leva a quem era de fato sua mãe… e seu pai… Ninguém é o que parece e, a cada pessoa que conta um pouco sobre seu passado, Hanna acaba se amarrando cada vez mais numa teia de segredos e mentiras, mentiras essas que custam muitas vidas.     


Leia também: Safe


   E, conforme tudo isso vai acontecendo, vamos descobrindo também o que a própria Hanna pode fazer. Ela faz parte de uma pesquisa frustrada, que aos poucos seus bastidores nos são revelados. Os episódios são todos ambientados em dois momentos: o passado de antes de Hanna nascer, ou quando ela ainda era um bebê indefeso, alternado com os momentos presentes da própria Hanna desvendando essa rede de mistérios.  

Hanna
Foto: Divulgação/Amazon Prime

   Conforme esses segredos vão sendo revelados, a gente fica sem saber para quem torcer. O pai dela mesmo é um desses casos. No começo, eu tinha raiva dele, depois comecei a torcer por ele e sofri junto. Apesar de te ter toda essa questão de “tiro, porrada e bomba” no meio, a relação dele com Hanna é bem bonita., de paternidade mesmo. Com eles, a gente tem essa mensagem de que pai é quem cria, não quem coloca no mundo somente. Mesmo depois de brigas e debates, a gente nota que eles se preocupam, se protegem e são de fato a única família um do outro. 
   Aos poucos, vemos também que Hanna pode ter amigos inesperados e verdadeiros. Apesar de tudo o que está acontecendo, a mensagem que nos é passada é que “os bons ainda são a maioria no mundo”. Os episódios são longos, com quase 1h de duração. O elenco é muito bem escolhido e a fotografia é maravilhosa, ainda mais com um cenário como as florestas da Finlândia. Atualmente, temos uma temporada disponível, mas ao que tudo indica, teremos uma continuação, para entender algumas coisas que ficaram soltas no final dessa.

Hanna
Foto: Divulgação/Amazon Prime

   Agora, que já falei o que tem de bom, deixa eu contar algumas coisas que me incomodaram no meio do caminho… Bom, primeiro que essa menina foi ainda bebê para o meio do mato. Ela viveu praticamente sua vida inteira criada sem tecnologia, comendo e bebendo do que encontrava na natureza. Para não dizer que não tinha nenhuma, acho que a única tecnologia da qual ela chegou perto foi a das armas que seu pai lhe ensinou a manipular, afinal, ela foi treinada para ser um soldado. Mas acho bem louco que, em 15 anos que ambos viveram no meio do mato, essa munição ainda exista. 
   Além disso, Hanna vai para a cidade pela primeira vez escondida do pai dela. Então descobre certas coisas sozinha, como a existência de carros, antenas parabólicas e transporte além da “viação canela”. Mas para uma menina que viveu 15 anos longe de tudo isso e descobre de uma vez, ela já chega sabendo dirigir, sabendo mexer em celular do tipo smartphone e sabe até como faz para ter um celular descartável e mexer na internet… sozinha! 
   Tudo bem que é uma série de ação e tudo mais… mas eu sinceramente esperava uma pessoa mais espantada com essas coisas, ainda mais se você passou sua vida toda sem saber que isso sequer existia. Mas ela age como fosse tudo super normal. 

Hanna
Foto: Divulgação/Amazon Prime

   Além disso, ela é uma cobaia de uma pesquisa secreta. O tempo todo se fala sobre isso, que ela foi manipulada geneticamente para ter uma mutação… e só… que diacho de mutação é essa?! Ninguém sabe, por que não se toca mais no assunto e só vem o “tiro, porrada e bomba”… sem explicação. Acho que ficaram muito tempo batendo na tecla dos mistérios envolvendo a mãe da Hanna, mas esqueceram de falar do motivo pelo qual ela é tão especial. Se realmente teremos uma segunda temporada, espero que seja explicado, se não ficarei muito frustrada… 
   Se apesar disso tudo ainda recomendo a série? Recomendo. Pela fotografia, pela trilha sonora que é bem legal, pela relação entre pai e filha… mas já saibam que não será totalmente perfeita… 
    Vocês já assistiram essa série? Tem alguma que vocês ficaram cheios de expectativa e, no fim, não foi nada daquilo que esperavam? Me contem aí! 


Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui