8 de novembro de 2016

I Dare You de outubro: A Herança Scarlatti

   Olá meu povo! Como estamos todos? Eu to é mega atrasada com
minhas postagens, ainda mais nesse clima de fim de ano… Todo mundo se enrola
com final de período, provas de fim de semestre… ou, no meu caso, se enrolam
com as últimas arrumações da dissertação de mestrado…
   Mas, como a vida não para e o blog também não (rsrsrs),
estou aqui para falar sobre a participação de outubro no IDY 2016. O tema escolhido
para o mês foi Suspense e o livro representante é o A herança Scarlatti, de
Robert Ludlum. Vem ver! =)









Livro: A Herança Scarlatti

Autor: Robert Ludlum

Editora: Rocco

Ano: 1971

   Chega ao conhecimento do governo americano que um membro da
elite do Alto-Comando Nazista está decidido a desertar e divulgar informações
que podem dar um fim definitivo à Segunda Guerra Mundial. Entretanto, em troca
de suas revelações, o traidor exige que seja liberado um dossiê ultrassecreto
sobre a herança Scarlatti: um arquivo cujo conteúdo pode destruir muitas das
personalidades mais ilustres do mundo ocidental. A operação oferece alto risco
e a única pessoa capaz de negociar com o inimigo é uma mulher de sangue frio e
determinação inigualável. Elizabeth Wyckman Scarlatti usa como armas o poder e
o dinheiro que sua família acumulou ao longo dos séculos. O seu alvo é um dos
homens mais perigosos do mundo: o próprio filho. Ela possui um plano que,
apesar de desesperado e suicida, pode ser a única esperança de repelir a ameaça
representada por Ulster, um jovem extremamente perigoso que age sob o
pseudônimo de Heinrich Kroeger, agente do Exército Nazista. Se ela não for
capaz de contê-lo, Ulster fará com que o Terceiro Reich de Hitler triunfe.


   Segunda Guerra Mundial… Uma família rica e poderosa… um
traidor… o risco de domínio do mundo por uma mente perigosa… Assim é a
história de ‘A Herança Scarlatti’. Quando peguei esse livro pela primeira vez,
foi na prateleira do estande montado aqui em Duque de Caxias, pelo Projeto Mais
Leitura… O que esperar de um livro comprado numa feirinha, no meio do
calçadão, por míseros R$3,00?! Está aí a prova de nunca julgue um livro pela
capa… ou nesse caso, pelo valor que comprou…
   Esse livro conta a história de Elizabeth Scarlatti, uma
senhora muito rica, que já era nascida em berço de ouro, mas se apaixonou pelo
empregado do pai, recém-chegado da Itália, pobre, mas muito inteligente e com
futuro promissor. Elizabeth percebeu o tino que o rapaz tinha para lucros e,
contra a vontade de toda a família, se casou com o jovem Scarlatti. Mesmo sob
ameaça de ser deserdada, Elizabeth encarou o desafio, pois sabia que com as
dicas e com a mente certa, recuperaria tudo o que lhe foi tirado no testamento
pelo pai desgostoso… E como ela estava certa! Alguns anos depois a família Scarlatti
era dona de empresas poderosas e que dominavam o mundo quase todo. A paz reinou
durante anos, até que Elizabeth se viu viúva e com um filho morto. Só lhe
restavam dois filhos, o do meio, com uma esposa e uma penca de filhos, que não
tinham muito futuro nos negócios da família… e o caçula, no qual Elizabeth
depositou todas as esperanças… mas ele não deu o resultado que ela
esperava…
   Enquanto Ulster Scarlet (o sobrenome é diferente mesmo do
que tá no título, leia e saberá o porquê
) mantinha as aparências de bom homem e
bom marido, com uma esposa jovem, linda e com um filho a caminho, passava
tardes e mais tardes no banco, estudando com um representante e aprendendo
sobre administração, investimentos e afins, mal sabia o mundo no que pensava
esse jovem…
   Eis que, de repente, em viajem de lua de mel, Ulster some do
mapa. Nenhum registro sobre onde ele está, nenhuma pista nem se estava vivo. O
que sua mãe tinha era apenas os roteiros de todos os países escolhidos pelo
casal recém-casado e feliz… Mas o que           Elizabeth descobriu depois foi que esse
roteiro não foi escolhido ao acaso… Ulster, quando passou por todos esses
países, sabia exatamente o que estava fazendo e quais seriam as consequências.
   E assim começa a trama. Elizabeth descobre que seu filho já
não era flor que se cheirasse, porém é capaz de coisas muito piores. O governo
americano acaba por se meter, ao saber que Ulster não apenas desapareceu como
está envolvido até o último fio de cabelo no Exército Nazista e caiu nas graças
de ninguém mais, ninguém menos que Hitler.
   Alguns livros começam bem calmos e a ação começa lá pro meio
do livro. Esse me surpreendeu por já começar com ação logo na primeira página!
E o tempo todo você tem tramas dentro do governo, uma senhora de aparência
inocente, que manda mais que muito homem naquela época. E assim vai até o
final. Eu, além de ter ficado receosa de comprar o livro pelo valor que tava
sendo cobrado por ele (quando o livro é barato demais a gente desconfia),
fiquei foi curiosa por nunca ter ouvido falar do autor. Mas resolvi dar uma
chance e, literalmente, paguei pra ver.
   E, depois, eu descobri que na verdade, não apenas eu como
todo mundo que curte histórias de ação conheçe ele. Não que seja pelos livros,
mas com certeza já viu os filmes… Alguém aqui conhece a famosa Trilogia
Bourne? Pois é, os livros que inspiraram os filmes protagonizados pelo Matt
Damon foram escritos por ninguém mais, ninguém menos que Robert Ludlum. 











   Esse
que li, A Herança Scarlatti foi o primeiro livro do gênero publicado pelo autor
na Rocco. E, depois do sucesso, a editora publicou mais um montão de livros
dele, incluindo a Trilogia Bourne que, vou confessar aqui minha ignorância,
nunca soube que era inspirado num livro (rsrsrs)…
   




   Bom pessoal era isso que eu queria contar pra vocês. Essa foi minha participação no IDY 2016 e espero continuar até o final… Afinal, falta tão pouquinho, né? (rsrsrs)
   Espero que tenham curtido e até a próxima! =)







Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui