14 de junho de 2022

Inspirações Literárias | 7 Livros que Pretendo Ler Até O Final do Ano

    Olá meu povo, como estamos? Nossa, como 2022 está voando, mal demos “Feliz Ano Novo”, e já estamos no meio do ano. E, para variar, a lista de livros encalhados da estante só aumenta, conforme surgem novos títulos por aqui. Para hoje, selecionei sete obras que adquiri há pouco tempo, mas que pretendo ler ainda em 2022. 
Inspirações Literárias | 7 Livros que Pretendo Ler Até O Final do Ano
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

1. Mulheres Confiantes 

Mulheres Confiantes | Tori Tolfer
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Da mulher que se passou pela melhor amiga de Maria Antonieta no século XVII a que enganou a NFL nos anos 1970 e àquelas que, desde a morte dos Romanov, têm se autoproclamado a princesa Anastasia e vendido suas histórias para revistas e jornais, golpes audaciosos e vigaristas carismáticas continuam a nos intrigar enquanto cultura.

Atualmente, essas “artistas” ainda estão performando golpes. Como Tori Telfer revela em Mulheres confiantes, a arte do golpe tem uma tradição longa e venerável, e as mulheres são algumas de suas melhores ― ou piores ― praticantes. Por meio dessas histórias intrigantes e envolventes, Telfer faz a provocativa pergunta: de que maneira a patologia feminina auxilia no planejamento e na execução desses golpes ― e como essas mulheres notáveis foram capazes de enganar e ludibriar suas vítimas de forma tão espetacular?

   Começando pelo único ebook da lista, peguei esse livro emprestado no Kindle Unlimited há meses, mas até agora não li. 
   E ainda bem que os empréstimos digitais são pelo tempo ilimitado, se não, já estaria pagando multa por atraso de devolução (rsrsrs). 
   Toda vez eu me programo para ler e passo outro livro na frente. Só espero que, no que em realmente ler esse bendito, valha a pena e eu não me decepcione. 
Skoob | Amazon

2. Lendário

Lendrário | Stephanie Garber
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

O Caraval deste ano foi concluído. Tella está viva – e segura, para o alívio de sua irmã mais velha. Mas Tella tem segredos que ela mantém de Scarlett. Segredos como o que Tella prometeu em troca dos convites das irmãs para o Caraval em primeiro lugar. Segredos sobre a pessoa a quem estas promessas foram feitas. E segredos sobre Julian, o jogador de Caraval que ganhou o coração de Scarlett. Com medo de revelar a verdade para a pessoa que mais a ama, Tella foge para Valenda, a capital do Império, para encontrar o misterioso correspondente a quem Tella deve. Mas nas noites que antecedem o Dia de Elantine, um cruzamento entre um baile de máscaras, um jubileu e Caraval, ninguém é confiável.
   Desde que li ‘Caraval‘ estou com curiosa com várias coisas que aconteceram e preciso de respostas. Consegui esse livro por meio das trocas do Skoob, mesmo sabendo que o final não foi publicado pela mesma editora. 
  Se não me engano, compraram novamente os direitos da trama e irão republicar aqui no Brasil no segundo semestre. 
  E sim, devo comprar a trilogia toda de uma vez, só para ter o prazer de reler a história. Mas para isso, preciso, ao menos, ler o segundo volume que tenho em mãos (rsrsrs).
Skoob | Amazon

3. FIM

FIM | Fernanda Torres
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Álvaro vive sozinho, passa o tempo de médico em médico e não suporta a ex-mulher. Sílvio é um junkie que não larga os excessos de droga e sexo nem na velhice. Ribeiro é um rato de praia atlético que ganhou sobrevida sexual com o Viagra. Neto é o careta da turma, marido fiel até os últimos dias. E Ciro, o Don Juan invejado por todos – mas o primeiro a morrer, abatido por um câncer. São figuras muito diferentes, mas que partilham não apenas o fato de estar no extremo da vida, como também a limitação de horizontes. Sucesso na carreira, realização pessoal e serenidade estão fora de questão – ninguém parece ser capaz de colher, no fim das contas, mais do que um inventário de frustrações.

Ao redor deles pairam mulheres neuróticas, amargas, sedutoras, desencanadas, descartadas, conformadas. Paira também um padre em crise com a própria vocação e um séquito de tipos cariocas frutos da arguta capacidade de observação da autora.
Há graça, sexo, sol e praia nas páginas de Fim. Mas elas também são cheias de resignação e cobertas por uma tinta de melancolia.

Humor sem superficialidade, lirismo sem cafonice, complexidade sem afetação, densidade sem chatice: de que mais precisa um romance para dizer a que veio?

   Esse é o único nacional dessa lista. Consegui, também, através das trocas do Skoob, logo após ter assistido as recomendações do canal Ler Antes de Morrer
  Foi a primeira vez que fui influenciada em literatura, porém o efeito não durou muito, pelo visto, pois desde que chegou, ainda não li o bendito do livro. 
  Mas desse ano não passa e logo trago resenha dele por aqui também. 
Skoob | Amazon



Inspirações Literárias | 7 Livros que Pretendo Ler Até O Final do Ano




4. Coraline

Coraline | Neil Gaiman
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Certas portas não devem ser abertas. E Coraline descobre isso pouco tempo depois de chegar com os pais à sua nova casa, um apartamento em um casarão antigo ocupado por vizinhos excêntricos e envolto por uma névoa insistente, um mundo de estranhezas e magia, o tipo de universo que apenas Neil Gaiman pode criar.

Ao abrir uma porta misteriosa na sala de casa, a menina se depara com um lugar macabro e fascinante. Ali, naquele outro mundo, seus outros pais são criaturas muito pálidas, com botões negros no lugar dos olhos, sempre dispostos a lhe dar atenção, fazer suas comidas preferidas e mostrar os brinquedos mais divertidos. Coraline enfim se sente… em casa. Mas essa sensação logo desaparece, quando ela descobre que o lugar guarda mistérios e perigos, e a menina se dá conta de que voltar para sua verdadeira casa vai ser muito mais difícil ― e assustador ― do que imaginava.
   Essa gracinha foi um ato de coragem. Quase não leio as obras do autor, mas essa edição estava no meu radar e não resisti ao me dar de presente no meu aniversário. 
  Apesar de linda, ainda é uma história que tenho medinho de ler, embora já tenha assistido a adaptação animada. Espero ter mais um ato de coragem e ler esse livro, nem que seja durante o dia, para completar a missão (rsrsrs).
Skoob | Amazon

5. A Biblioteca da Meia Noite

A Biblioteca da Meia-Noite | Matt Haig
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Aos 35 anos, Nora Seed é uma mulher cheia de talentos e poucas conquistas. Arrependida das escolhas que fez no passado, ela vive se perguntando o que poderia ter acontecido caso tivesse vivido de maneira diferente. Após ser demitida e seu gato ser atropelado, Nora vê pouco sentido em sua existência e decide colocar um ponto final em tudo. Porém, quando se vê na Biblioteca da Meia-Noite, Nora ganha uma oportunidade única de viver todas as vidas que poderia ter vivido.

Neste lugar entre a vida e a morte, e graças à ajuda de uma velha amiga, Nora pode, finalmente, se mudar para a Austrália, reatar relacionamentos antigos – ou começar outros –, ser uma estrela do rock, uma glaciologista, uma nadadora olímpica… enfim, as opções são infinitas. Mas será que alguma dessas outras vidas é realmente melhor do que a que ela já tem?

Em A biblioteca da meia-noite, Nora Seed se vê exatamente na situação pela qual todos gostaríamos de poder passar: voltar no tempo e desfazer algo de que nos arrependemos. Diante dessa possibilidade, Nora faz um mergulho interior viajando pelos livros da Biblioteca da Meia-Noite até entender o que é verdadeiramente importante na vida e o que faz, de fato, com que ela valha a pena ser vivida.

   Se tem coisa que evito fazer é comprar livro muito hypado. Mas esse eu comprei na Bienal do livro do ano passado, de tanto que falavam dele. 
   E já perceberam que sou influenciada pela metade, pois compro os livros e acabo não lendo na hora (rsrsrs). 
  Cá entre nós, talvez seja até bom, para garantir que vou sem expectativas e dá tempo do hype baixar. 
Skoob | Amazon

6. Lady Killers 

Lady Killers | Tori Tolfer
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

As mulheres mais letais da história em uma edição igualmente matadora.

Quando pensamos em assassinos em série, pensamos em homens. Mais precisamente, em homens matando mulheres inocentes, vítimas de um apetite atroz por sangue e uma vontade irrefreável de carnificina. As mulheres podem ser tão letais quanto os homens e deixar um rastro de corpos por onde passam — então o que acontece quando as pessoas são confrontadas com uma assassina em série? Quando as ideias de “sexo frágil” se quebram e fitamos os desconcertantes olhos de uma mulher com sangue seco sob as unhas?

Prepare-se para realizar mais uma investigação criminal ao lado da DarkSide® Books e sua divisão Crime Scene®. Esqueça tudo aquilo que você achava que sabia sobre assassinos letais — perto de Mary Ann Cotton e Elizabeth Báthory, para citar apenas algumas, Jack, o Estripador ainda era um aprendiz.

Inspirado na coluna homônima da escritora Tori Telfer no site Jezebel.com, Lady Killers: Assassinas em Série é um dossiê de histórias sobre assassinas em série e seus crimes ao longo dos últimos séculos, e o material perfeito para você mergulhar fundo em suas mentes. Com um texto informativo e espirituoso, a
autora recapitula a vida de catorze mulheres com apetite para destruição, suas atrocidades e o legado de dor deixado por cada uma delas.

As histórias são narradas através de um necessário viés feminista. Telfer dispensa explicações preguiçosas e sexistas e disseca a complexidade da violência feminina e suas camadas. A autora também contesta os arquétipos — vovó gentil, mãe carinhosa, dama sensual, feiticeira traiçoeira, entre outros — e busca entender por que as mulheres foram reduzidas a definições tão superficiais.

Além disso, questiona a “amnésia coletiva” a respeito dos assassinatos cometidos por mulheres. Por que falamos de Ed Kemper e não de Nannie Doss, a Vovó Sorriso, que dominou as páginas dos jornais norteamericanos em 1950 por seu carisma e piadas mórbidas (ela matou quatro maridos)? Por que continuamos lembrando apenas de H.H. Holmes quando Kate Bender recebia viajantes em sua hospedaria (e assassinava todos que ousavam flertar com ela)? A linha que divide o bem e o mal atravessa o coração de todo ser humano.
    No mesmo pacote dos presentes que me dei de aniversário ano passado, comprei esse desejado de tempos. E me programo para ler, mas vou passando outros na frente, nem sei por qual motivo. 
   Amo tudo nele, desde a capa até a diagramação, é um dos mais bonitos que tenho por aqui. Mas ainda quero tirar a prova se, além de lindo, será uma boa leitura. 
Skoob | Amazon

7. Recursão

Recursão | Blake Crouch
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

E se um dia memórias vívidas de coisas que nunca aconteceram se infiltrassem em sua mente, pintando em tons de cinza todas as suas certezas? É dessa premissa que Blake Crouch parte em Recursão, uma obra tão impactante que teve os direitos de adaptação audiovisual adquiridos pela Netflix, que produzirá um filme e uma série baseados no livro, ambos a cargo de Shonda Rhimes.

Barry Sutton é policial em Nova York e convive com a tristeza da morte da filha. Ao ser acionado para intervir em uma tentativa de suicídio, ele se depara com uma mulher que sofre da Síndrome da Falsa Memória, uma doença misteriosa que planta na cabeça de suas vítimas lembranças de vidas que elas nunca tiveram.

A neurocientista Helena Smith está desenvolvendo uma tecnologia para a cura do Alzheimer. Inesperadamente, um dos homens mais ricos do mundo se oferece para financiar sua pesquisa. Helena vê surgir a chance de propiciar um grande bem para a humanidade. No entanto, não poderia estar mais enganada…

A tecnologia que deveria salvar vidas acelera a marcha galopante do caos, gerando uma guerra pelo poder e criando recursos que começam a esfacelar a realidade. O tempo não é mais como o conhecemos, e Barry e Helena terão de se unir se quiserem sobreviver — e salvar a todos nós.

Um dos nomes mais importantes da ficção científica contemporânea, Blake Crouch constrói uma jornada desnorteante, com personagens complexos, que nos fazem refletir sobre nossa identidade. Uma trama intrincada, ágil e emocionante, que mostra que, quando nada é mais importante do que a memória, perdê-la significa perder a si mesmo.

   Para esse, tenho a desculpa perfeita, pois ele estava na lista do ’12 Livros para 2022′ e perdeu feio na votação (rsrsrs). Mas lerei mesmo assim, de teimosa e curiosa que estou por esse livro. 
Skoob | Amazon


   E aí, o que acharam da lista? Já leram algum desses títulos? E tem algum livro que você ainda pretende desencalhar em 2022? Me contem aí. 

 

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui