11 de agosto de 2022

Minha Novela Turca 2 – O Amor Adora Coincidências | Raffa Fustagno

Olá meu povo, como estamos? Vamos acompanhar mais alguns capítulos da história de Sandra e Marcelo, um casal carioca, mas que ama a cultura do outro lado do mundo em ‘Minha Novela Turca 2 – O Amor Adora Coincidências’, da autora nacional Raffa Fustagno.

Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

40/24

Livro: Minha Novela Turca 2 – O Amor Adora Coincidências

Autora: Raffa Fustagno  

EditoraIncreasy 

Páginas: 117

Ano: 2022

Skoob Compre na Amazon 

Sandra e Marcelo estão completamente apaixonados um pelo outro. O que poderia ser melhor do que namorar alguém que ama assistir suas amadas novelas turcas e falar sobre elas? Só que nem tudo são flores quando ex namorados surgirem como uma continuação digna de filme de terror e alguns segredos forem revelados. Será que nosso casal terá seu final feliz, ou farão jus aos dramalhões turcos e farão todo mundo chorar com algumas decisões? Em “Minha Novela Turca 2” eles aprenderão que não é só na Turquia que cada capítulo da história precisa ser escrito com muito cuidado para garantir um “felizes para sempre”.

Sandra e Marcelo estão de volta. Após alguns acontecimentos que os levaram a se encontrarem e se renderem ao sentimento mútuo, agora estão curtindo a fase do começo de namoro, em que tudo tem um gostinho melhor.   

No entanto, olhando pelos dramas que assistem nas novelas turcas, nem tudo são flores e o “final feliz” nem sempre pode dar-se do jeito simples. Será que o mesmo vai acontecer na vida real? Só lendo para saber.  Sinceramente, estou amando essa fase de leituras mais fluidas. Sei que já estou me repetindo sobre isso a cada resenha, mas é verdade que me sinto melhor assim e preciso compartilhar com vocês (rsrsrs).   

A leitura da vez é mais contemporânea, escapando um pouco dos mistérios clássicos que andava lendo. Olhando as resenhas anteriores, vi que conheci o casal protagonista de ‘Minha Novela Turca’ no final de 2020.   Me foi uma bela válvula de escape, especialmente por ser uma obra publicada em meio à pandemia, porém que não tocava no assunto.    

Além disso, o fato de ser ambientada no Rio de Janeiro me ajudou bastante ao visualizar os cenários e até me sentir mais próxima dos personagens durante a leitura.   Aqui não é diferente. A trama se passa um ano após Sandra e Marcelo cederem aos sentimentos em comum pelas novelas turcas, mas também ao que sentiam entre si.  O romance dos dois é instantâneo, mas não de um modo chato ou duvidoso.

Muito pelo contrário, são duas pessoas adultas, que contam suas histórias e não se envergonham. E nem por isso tem medo de se arriscar em um novo amor.   

Eles continuam trabalhando no mesmo prédio, embora em empresas diferentes. Assim, é bem fácil de se manterem em contato durante o dia, mantendo o elevador como ponto de encontro principal.    

Agora, curtindo o clima de romance fora das telinhas que tanto gostam de acompanhar, o casal está ficando firme e vivendo a vida como deve, sendo feliz.

“Não posso deixar de acreditar, foram várias coincidências que trouxeram você a mim. Como duvidar do poder delas?”

Mantendo a marca já conhecida, a autora trouxe um chicklit mais pé no chão, porém sem perder o gostinho de comédia romântica.  Com a narrativa em primeira pessoa, ora pelo lado de Sandra, ora pelo de Marcelo, vemos como cada um se sente diante dos acontecimentos.   

Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

Sandra é a mais velha do casal. Embora a diferença de idade não seja tão gritante, fica bem óbvio o quanto ela se mantém centrada e, por mais que esteja apaixonada, não mete os pés pelas mãos, como as mocinhas atrapalhadas dos filmes.   

Talvez por ver romances turcos, onde as coisas acontecem de uma forma distinta, até por conta da diferença de culturas, ela seja mais madura e menos deslumbrada. 

 Marcelo, por sua vez, está entrando cada vez mais no mundo da teledramaturgia e até replicando alguns comportamentos que assiste nas cenas, como uma forma de conquistar ainda mais sua nova namorada.   O que não precisava, já que ambos não falam em voz alta, mas fica nítido o quanto estão perdidamente apaixonados um pelo outro.    

No entanto, eu gostei bastante de ler e fiquei até curiosa para assistir as tais novelas citadas no livro, só para ver se me sentiria da mesma forma que imaginei pelas descrições dos protagonistas. Além disso, foi impossível não suspirar a cada vez que Marcelo se referia a Sandra de forma carinhosa. São aquelas cenas já previsíveis, mas que você fica sonhando com o dia em que será sua vez de ter isso também.   

Mantendo o padrão do primeiro volume, este traz pouco mais de 100 páginas, o que continuo considerando mais um conto do que um livro, aliás. Porém, mesmo com pouco espaço, ainda foi possível trazer uma trama com começo, meio e fim bem definidos. Sendo assim, as coisas acontecem bem rápido, mas não são corridas, o que me surpreendeu de forma positiva.    

Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

Não apenas os protagonistas, mas os personagens secundários ganham mais voz, especialmente Juliane, a amiga e colega de trabalho de Sandra. A moça é que faz o papel de mocinha deslumbrada, para agonia de Sandra, que precisa cuidar dela como se fosse uma irmã mais velha. Apesar de não curtir esse estereótipo nas personagens femininas, de modo especial as mais recentes, dei um crédito para Juliane. 

Isso porque ela é relativamente mais nova e, por consequência, inexperiente. Além disso, acho que formou o equilíbrio perfeito entre as duas amigas, rendendo cenas até bastante cômicas para as duas.   

Marcelo, por sua vez, tem que lidar com Bruno, colega de quarto e melhor amigo (mas que está saindo um belo amigo da onça, isso sim). Enquanto o primeiro está feliz por finalmente ter um amor para chamar de seu, Bruno não perde a oportunidade de botar lenha na fogueira, o que me deu vontade de dar uns belos tapas na fuça dele.

“Estar com a Sandra é viver novamente sorrindo por nada ou por tudo. É ter algo mais do que o trabalho para preencher meus dias.”

Fazendo jus ao título, os acontecimentos para “impedir” a felicidade do casal protagonista são dignos de novela. Nem sei se diria turca, mas bem próxima de uma mexicana, com certeza!

Quem sabe um dia, quando eu tiver a oportunidade de assistir a teledramaturgia do país que dá nome ao livro eu seja capaz de opinar com mais conhecimento de causa (rsrsrs). Independente com qual nacionalidade se parecem, os obstáculos que o casal enfrenta são previsíveis, mas alguns se tornam até cômicos, mantendo a leveza da trama e a leitura mais divertida.    

Trazendo o cenário carioca, foi nostálgico ver o casal passeando pelo centro da Cidade, onde eu gostava tanto de ir antes da pandemia (e ainda sonho em ir de novo, quando estiver bem psicologicamente para tal).  Enquanto isso não acontece, foi muito legal poder voltar através da imaginação e passar por pontos até bastante românticos.

Além disso, não posso cometer o mesmo erro da resenha anterior e deixar passar batido um comentário sobre Sandra e Marcelo: como eles gostam de comer! Se no primeiro volume eu deixei de ler a trama no meio para fazer a receita do macarrão que Sandra comenta, aqui precisei me munir de umas trufas de chocolate, pois sabia que ficaria com fome depois que começasse a ler (rsrsrs). 

Se a ideia da autora era deixar o leitor com fome, posso dizer que o objetivo foi alcançado com sucesso. Vou até já preparando o estoque de guloseimas para o terceiro volume, porque vou precisar (rsrsrs). Outra coisa que me chamou atenção é que não tive o aviso de cenas hot, então me foi uma grande surpresa.    

Eu não gosto muito de ler cenas desse tipo, pois sempre é um risco enorme de a cena deixar de ser quente e passar a ser vulgar, desnecessária e até vergonhosa.  No entanto, para minha felicidade, apesar de bem detalhadas, foram cenas tão bem feitas e fluidas, que li sem nem sentir. Isso rendeu vários pontos para o livro, por sinal.   

O desfecho é aberto e dá uma brecha, até bem previsível do que pode acontecer no último volume.    Entretanto, apesar de já imaginar o que vem por aí, não deixo de ficar curiosa para saber se vou acertar ou não.   Como o livro é curtinho, é melhor eu parar por aqui, antes que acabe contando a história inteira (rsrsrs).    

Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

Falando sobre a obra em si, Increasy tem uma mão muito boa para diagramação e capas. A de ‘Minha Novela Turca 2’ parece até um quadro, de tão linda.   Alguns elementos são semelhantes à capa do primeiro volume, como o arco de flores e as cadeiras de cinema. 

Mas agora temos o casal protagonista em mais destaque, fazendo uma das cenas românticas que Marcelo descreve ao longo da história. O que achei bem legal, inclusive.   

Em resumo, esse é aquele livro perfeito para sair de uma ressaca literária, onde só precisamos de uma leitura leve e com aquele final já esperado.    

No entanto, recomendo que leiam os dois volumes em sequência, para não perder os detalhes dessa história fofinha e uma mistura inusitada de culturas.

Texto revisado por Emerson Silva

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

TAG | Mães Literárias

TAG | Mães Literárias

Olá meu povo, como estamos? No último domingo (12/05/2024) […]

Como se Livras de Um Escândalo | Tessa Dare

Como se Livrar de Um Escândalo | Tessa Dare

Olá meu povo, como estamos? Hoje eu trago a […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui