17 de janeiro de 2023

Mundinho da Hanna | 8 Anos de História

Olá meu povo, como estamos? Essa semana o Mundinho da Hanna completou mais um verão de existência. E quando penso nisso, confesso que ainda me custa a acreditar que o sonho de ter um blog se concretizou e está dando frutos tão incríveis.
Mundinho da Hanna | 8 Anos de História
Foto: Creative Commons/Pixabay

 

Quando comecei, lá em 2015, não imaginava o caminho que iria trilhar com o Mundinho da Hanna. Até porque eu nunca contei o real motivo de ele ter esse nome.
E acho que, depois de oito anos, me sinto mais segura e confiante para compartilhar isso com vocês. 2014 foi um período muito complicado em diversas áreas da minha vida, em especial a amorosa (que hoje entendo o quanto era tóxica). Aliás, tive que ouvir do meu ex-noivo que “era uma menina que vivia em um mundinho cor de rosa, só sabia ler, comprar livros e jamais faria um homem como ele feliz”(sim, foi isso que ele usou para terminar comigo).
Depois de chorar muito e começar o processo de superação, uma amiga me perguntou porque eu não criava um blog. De acordo com ela, seria um ótimo meio de me distrair e não pensar no passado doloroso. Aceitei a sugestão e o blog nasceu. Começou como uma espécie de diário pessoal, mas depois eu vi que queria um assunto diferente, o qual me representasse mais. Apesar de já se chamar ‘Amantes dos Livros’, só isso ainda não era o suficiente. Pouco tempo depois, eu fui criando coragem e moldando o que realmente eu queria passar com ele.
Conforme amadureci a ideia, vi que o melhor nome para ele seria responder à crítica que recebi. Assim, se eu vivia em um “mundinho cor de rosa”, o blog não poderia ter outro nome, se não ‘Mundinho da Hanna’ e seguir uma paleta cor de rosa. Além disso, como eu “só sabia ler e comprar livros”, o nicho foi em fácil de definir.
Dessa forma, posso dizer que o blog foi uma espécie de resposta a um comentário ofensivo e sem sentido que recebi. Através do Mundinho da Hanna, eu compartilho o meu amor pelos livros e espero encontrar outras pessoas com quem falar deles com o mesmo amor e carinho.
Em adição, ao longo desses anos fiz muitas amizades sinceras. Descobri o universo literário por outro ponto de vista, por parte dos autores e editores. Fiz parcerias maravilhosas com muitos autores nacionais. Assim como também aprendi que um livro não tem que ser maravilhoso para mim, apenas pelo fato de ser um clássico famoso. Percebi o quanto meus gostos e manias literárias foram mudando. Meus gastos com literatura se tornaram mais assertivos e comedidos. Passei a realizar mais trocas e procurar livros em sebos, quando possível.
Vi que ler em e-books é uma ótima alternativa quando preciso passar um tempo fora de casa. Assim o kindle se tornou meu melhor amigo e companheiro de passeios e viagens. Aprendi também que é possível desbravar o mundo em livros e que não é ruim dizer se algo neles me incomodou. Do mesmo modo que decidir abandonar uma leitura não me faz menos leitora, muito pelo contrário. Me mostra o quanto me tornei mais crítica em relação ao que vejo no mundo e minha opinião é válida também.
Hoje, aos meus 34 anos, estou com a cabeça mais sensata e amadurecida. O que era para ser apenas um hobbie, passou a ser meu local de fala e está crescendo junto comigo. E agradeço a vocês, leitores, que me acompanham toda semana. Alguns estão aqui desde o início, outros chegaram depois, mas estão sempre aqui, vendo o crescimento e amadurecimento do blog. E se não fosse o apoio de vocês, esse projeto jamais teria saído do papel. Sendo assim, só posso dizer um muito obrigada a todos!
Aproveitando, como fiz ano passado, vou responder uma TAG criada pela Laura do Estante Bibliográfica. Até respondi ao passado, mas gostaria de fazer disso um hábito por aqui, fora que algumas respostas mudaram de um ano para o outro (rsrsrs).
TAG | Bolo de Aniversário

 

 

1 – Massa: Um livro fofinho e gostoso de ler

 

 

Meu Crush de NY | Raffa Fustagno
Foto: Divulgação

 

 
 
 
R. ‘Fofinho’ não tenho sugestão no momento, mas gostoso de ler, sim. ‘Meu Crush de NY’ já está se tornando figurinha fácil por aqui, e não é para menos. Foi o livro que mais gostei da Raffa até hoje. 
 

2 – Recheio: Um livro que você não dava nada pela capa, mas se impressionou com o conteúdo

 
 

 

Scrooged | Vi Keeland e Penelope Ward
Foto: Divulgação

 

 
 
 
R. Deixo aqui a indicação de ‘Scrooged’. Apesar de já ter passado a fase do Natal, eu ainda recomendo demais esse livro, pois foi um que me arrancou muitas risadas e li em um piscar de olhos. 
 

3 – Chantilly: Um livro de capa branca e que você considera um clássico

 
 

 

O Fim da Eternidade | Isaac Asimov
Foto: Divulgação

 

 
 
 
R. Não apenas considero, como de fato é um clássico (rsrsrs). 
 

5 – Granulado: Um livro que você leu e nunca viu ninguém falando mal

 

 

Coraline | Neil Gaiman
Foto: Divulgação

 

 
 
 
R. Nunca vi ninguém falando mal de ‘Coraline’. Aliás é um livro que li e recomendo bastante. 
 

6 – Papel de arroz: Um livro bonito, mas que você não gostou

 

 

Quando O Inverno Acabar | Andy Collins
Foto: Divulgação

 

 
 
 
R. Muita gente fala bem de ‘Quando O Inverno Acabar’. Mas sinceramente, não rolou comigo. 
 

7 – Pasta Americana: Um livro estrangeiro ou que você leu no idioma original

 
 

 

As Viúvas | Lynda LaPlante
Foto: Divulgação

 

 
 
R. Ano passado eu citei um livro no idioma original. Hoje eu vou citar um estrangeiro, o que é mais complicado de escolher, na verdade, por ser a maioria por aqui. Mas fico com ‘As Viúvas’.   
 

8 – Bolo de chocolate: Um livro que você favoritou

 

 

Crimes em Copacabana | Luciana de Gnone
Foto: Divulgação

 

 
 
 
R. ‘Crimes em Copacabana’ foi um livro sensacional e que favoritei ano passado. Tive a oportunidade de ler logo que lançou e adorei. 
 

9 – Bolo de frutas: Um livro polêmico que você não gostou

 

 

Admirável Mundo Novo | Aldous Huxley
Foto: Divulgação

 

 
 
 
R. ‘Admirável Mundo Novo’ é um livro complicado. Eu gostei do conceito, porém não gostei do livro em si. Mas recomendo a leitura mesmo assim, para que tirem suas próprias conclusões. 
 

10 – Bolo dormido: Um livro que você leu e depois mudou de opinião sobre ele 

 

 

Dom Casmurro | Machado de Assis
Foto: Divulgação

 

 
 
R. Minha relação com os clássicos nacionais é de amor e ódio, especialmente com Machado de Assis. Aliás, acho que é o único autor clássico nacional que leio, penso em abandonar, mas acabo fazendo as pazes antes do livro acabar (rsrsrs). Um exemplo é com ‘Dom Casmurro’. Depois que dei uma segunda chance, a leitura fluiu muito bem e até recomendo.  
 
E aí, o que acharam das respostas? Já leram algum desses livros? 

 

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Ghostwriter | Alessandra Torre

Li até a página 100 e… #51: Ghostwriter

Olá meu povo, como estamos? Uma de minhas leituras […]

Os Garotos do Cemitério | Aiden Thomas

Quotes #19: Os Garotos do Cemitério

Olá meu povo, como estamos? Os Garotos do Cemitério […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui