12 de outubro de 2020

O enigma de Andrômeda | Michael Crichton

    Olá meu povo, como estamos? Hoje temos resenha de um clássico do scifi, O enigma de Andrômeda, do autor Michael Crichton
O enigma de Andrômeda | Michael Crichton
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna
    Esse livro também faz parte do projeto #12livrospara2020, em parceria com as meninas dos blogs MãeLiteratura e Pacote Literário

33/12
Livro: O enigma de Andrômeda
Autor: Michael Crichton
Editora: Aleph
Páginas: 304
Ano: 2018 (edição atual)
Skoob | Amazon
Quando um satélite espacial traz para a Terra um misterioso e letal elemento do espaço, o governo dos Estados Unidos aciona um grupo secreto para estudar o ocorrido e conter a maior crise já enfrentada pela ciência. Se os cientistas não descobrirem rapidamente como agir, uma catástrofe mundial sem antecedentes pode acabar acontecendo. 
O enigma de Andrômeda | Michael Crichton

   
   A NASA e o governo dos Estados Unidos estão em polvorosa. Eles querem explorar o espaço, descobrir o que tem além de nosso planeta, mas como viagens tripuladas ainda são inviáveis, sondas e satélites são mandados, para fazer isso por nós. 
  Mas a tecnologia ainda não está acompanhando os sonhos dos pesquisadores, e muitos satélites acabam dando errado e caem de volta na Terra. 
  O lixo espacial é um problema, mas é ainda pior quando ele traz algo inesperado, que pode mudar tudo o que pensamos sobre o espaço, além de ser um grave perigo para a população do mundo.  
  Isso porque ele caiu em Piedmont, uma cidade pequena no meio do Arizona, e acabou trazendo o que mais se procurava no espaço, que só trouxe morte para as pessoas, a não ser duas pessoas aleatórias: um idoso e um bebê de dois meses, que sobreviveram ao que se pode chamar de ataque. 
  Cabe, então, a um equipe de cientistas, cuidadosamente escolhidos pelo governo, para descobrir o que veio junto com o satélite, o que ele pode fazer conosco e, mais ainda, porque duas pessoas tão diferentes entre si sobreviveram?   
  Você acredita em vida fora da Terra? Como você imagina que seria o primeiro contato entre nós e seres alienígenas? Será que esse é mesmo nosso primeiro contato com seres de outro planeta?
   O enigma de Andrômeda lida com questionamentos como esse do início ao fim. Lançado originalmente em 1969, é um livro que traz um tema bem moderninho, com uma tecnologia tão avançada, que poderia muito bem se passar no nosso presente
   O governo dos Estados Unidos, ao começarem a corrida espacial, trataram também de escolher a dedo uma equipe de cientistas que poderiam ser convocados a qualquer momento, para resolver algum pepino que viesse a acontecer, e que a NASA não conseguisse dar conta
  E foi exatamente o que aconteceu. Quando o satélite caiu, não foi apenas lixo espacial que veio, mas um organismo inesperado… e invisível… que num primeiro momento não foi notado, mas começou a gerar estragos por onde passava. 
  Isso porque as pessoas em volta de onde o satélite caiu simplesmente morreram. Uma cidade inteira morreu… mas apenas duas pessoas ficaram vivas, um idoso de 69 anos e um bebê de dois meses. 

“Isso aqui é um cenário de cinema.”

  Eles teriam algo em comum? O que esse organismo é afinal? Ele é mesmo de outro planeta? Ou estava em nossa atmosfera o tempo inteiro? 
O enigma de Andrômeda | Michael Crichton
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

  A isso, cabe a equipe do governo descobrir. E essa equipe é formada por homens de mente brilhante, professores de universidades de ponta pelo país. Assim, Jeremy Stone, Petter Leavitt, Charles Burton e Mark Hall foram convocados. 
  Eles precisam saber o quanto antes o que causou a morte dos cidadãos e, mais ainda, o que é o tal organismo, antes que seja tarde. 
  Com um ritmo frenético, somos mergulhados no ritmo das pesquisas, dos testes, das investigações sobre o acontecido. 
   Aos poucos, somos apresentados às descobertas que os pesquisadores fazem, cada um na sua área. Aos poucos também, vemos o quanto as especialidades se complementam e podem chegar a um resultado em comum. 
  O problema é o tempo que isso pode levar, que pode ser curto para salvar todo o planeta. Pressão para todos os lados, além de ser uma descoberta incrível. 
  Afinal, é vida de outro planeta? De onde vem a variação Andrômeda, como foi batizada pelos cientistas? 
  Há toda uma discussão sobre o que é é vida, sobre o que podemos chamar de organismo, sobre como seriam os ET’s que tanto imaginamos em cinema e livros. 
   Esse foi meu primeiro contato com os livros do autor, que é praticamente um clássico da literatura/cinema. 
O enigma de Andrômeda | Michael Crichton
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna
  O que achei mais interessante nesse livro é que Michael Crichton é médico, mas sempre se interessou por vários assuntos científicos de outras áreas. 
  Tanto que ele é mais famoso por Jurassic Park, o sonho de todo paleontólogo quando era criança (e adulto também, vamos combinar, rs). 
   Mas, voltando a falar sobre O enigma de Andrômeda, esse é o primeiro livro do autor, que o escreveu quando ainda era estudante de Medicina.  
   O que achei super interessante também é que ele usou vários artigos científicos e documentos públicos da época sobre o assunto, que estão disponíveis no final do livro. 
  Então podemos conferir a parte real dos fatos que o autor citou ao longo do texto. Achei isso genial, pois temos a parte lúdica e científica também depois, para quem quiser ir mais a fundo no assunto. 
  Ao mesmo tempo que os cientistas estão fascinados, afinal essa é a primeira e, quem sabe, a única oportunidade de saber sobre vida no espaço, ela pode ser letal para algumas pessoas. 
  Esse dilema deixa os nossos personagens bem confusos em boa parte do livro, pois afinal, o que se vai fazer com o organismo? Ele pode ser detido? Ele deve ser detido?

“Ele achava difícil pensar em termos lógicos.” 

 São tantas perguntas diante do desconhecido, que nos mostra que ainda sabemos apenas uma gota do vasto oceano que é nosso universo. 
  Aqui, não temos “tiro, porrada e bomba”, mas temos uma ameaça invisível, que está mexendo com o emocional de todo mundo. 
  Então sim, eu fiquei bem ansiosa lendo esse livro, e fiquei fascinada com o modo como tudo aconteceu, especialmente no final. 
  O que eu não curti muito foi que alguns personagens poderiam ser melhor trabalhados, mas acabaram ficando esquecidos no meio do caminho. 
  Ele tem várias falhas nesse sentido, o que pediria, talvez, um segundo volume, ou mais páginas também não fariam mal, já que a escrita do autor é bem fluida e os personagens pareciam ter sido pensados para serem importantes, mas acabou que o tiro saiu pela culatra e não teve muito sentido. 
  Falando sobre o livro em si, a editora caprichou bem na edição. Ela tem uma capa que é bem chamativa na verdade, num verde quase florescente. 
  Acho que nunca tive um livro com a capa assim na vida (rsrsrs), e foi o que me chamou atenção logo de cara, quando vi esse livro a Bienal do Livro 2019. 
O enigma de Andrômeda | Michael Crichton
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna
  Logo que abrimos o livro, damos de cara com o que seria o corpo estranho que veio no satélite, já nos apresentando o que podemos encontrar nas próximas páginas. A revisão está muito bem feita, com uma fonte bem legível e uma diagramação incrível. 
  Além disso, ele é narrado em terceira pessoa, então temos uma visão mais ampliada dos cenários e de como cada personagem age, sem puxar a sardinha pro lado de ninguém. O que é bom, pois assim não fica tão enviesado. 
  As páginas são impressas em papel pólen, de 80g/m², mas achei muito legal que ela acompanha as primeiras páginas, com as bordas pretas. Isso dá um charme na hora que fechamos o livro, que combina perfeitamente com a capa. 
  Além disso, temos páginas totalmente pretas, que marcam o começo dos capítulos, fora algumas ilustrações, que são perfeitas para os momentos quem o leitor que não entende muito do assunto começaria a boiar… Foi uma bela sacada… (rsrsrs)
  Somando tudo isso, super recomendo a leitura desse livro, especialmente se curte ler os clássicos do scifi
  

   
   Continuando nosso projeto, esse é nosso ritmo de leituras até o momento:
12 livros para 2020

  
  E não esqueçam de conferir também as resenhas dos blogs parceiros nesse projeto! 😉
  E essa foi a postagem de hoje. O que acharam? Curtem os clássicos de scifi? Me contem aí! =)
 

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui