5 de abril de 2022

Oito Assassinatos Perfeitos | Peter Swanson

    Olá meu povo, como estamos? Hoje trago a resenha de mais uma
leitura junto ao “Clube Lendo com os Morcegos”
. O livro se chama ‘Oito
Assassinatos Perfeitos’, do autor Peter Swanson. 

Oito Assassinatos Perfeitos | Peter Swanson
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Obs.: Contém spoilers de outros livros de thriller mais clássicos! Leia por sua conta em risco!


18/24
Livro: Oito Assassinatos Perfeitos 
Autor: Peter Swanson
Editora: Jangada  
Ano: 2022
Páginas: 312
Skoob | Compre na Amazon


Na trama, um livreiro se vê envolvido em uma investigação do
FBI, pois um assassino dotado de uma mente doentia e brilhante passa a seguir
sua lista com os assassinatos mais engenhosos da ficção policial. Há algum
tempo, antes de se tornar sócio da Livraria Old
Devils
, localizada em Boston – uma meca para os fãs de mistério –, o
aficionado por romances policiais, Malcolm Kershaw, também conhecido como Mal,
escreveu um artigo para o blog da livraria com uma lista dos assassinatos
literários mais insolúveis, quase impossíveis de serem decifrados – que ele
chamou de “Oito Assassinatos Perfeitos”. Para surpresa de Mal, Gwen Mulvey, uma
agente do FBI, bate à sua porta em um dia de inverno em fevereiro. Ela quer sua
ajuda para desvendar uma possível relação dessa antiga lista com uma série de
assassinatos não solucionados. Gwen não é a única que tem interesse por esse
livreiro, pois o assassino está lá fora, observando cada um de seus passos



Oito Assassinatos Perfeitos | Peter Swanson



   Malcolm Kershaw é um livreiro especializado em obras de
suspense
. Passando por várias livrarias, o destino o levou a ser dono da Old Devils, em Boston. 
   Sua rotina era a
mesma de todos os dias: ir à livraria, ter a companhia de Nero, o gato de
estimação que fica na loja, e cuidar das encomendas pela internet.
   Porém, sua paz está com os dias contados, quando Gwen
Mulvey, uma agente do FBI, bate à sua porta, afirmando que precisa de ajuda
urgentemente
   Eis que, logo que começou a trabalhar na Old Devils, Mal escreveu alguns posts para o blog da livraria. E o
primeiro foi uma lista, compilando os oito assassinatos mais perfeitos da
literatura
.
   Embora não tenha rendido tantos comentários quanto ele
esperava na época, agora, anos depois, alguém teria se espelhado na lista para
cometer uma série de assassinatos
   Quem seria o assassino? Um fã de literatura?
Alguém do passado de Malcolm? Ou simplesmente alguém que queria ver o circo
pegando fogo? E como conseguir reproduzir crimes tão perfeitamente como os dos
livros?
   São muitas perguntas e o tempo é curto para desvendar os
mistérios
, ainda mais porque novos assassinatos da lista podem acontecer se o
culpado não for detido rapidamente. 
   Assim, Gwen e Mal precisam agir rápido,
antes que seja tarde demais.

 

“Os livros nos fazem viajar no tempo. Todos os leitores de
verdade sabem disso. Mas os livros não nos levam para o momento em que foram
escritos. Eles nos fazem lembrar de nós mesmos em outra época.”

 

   Essa foi minha terceira leitura com o Clube Lendo com os
Morcegos. Logo que o livro foi escolhido, lembro que teve uma pequena discussão
entre os membros, por conta dos benditos oito assassinatos mencionados no
livro.
   Isso porque o autor teve a boa sacada de trazer referências
clássicas de thriller em sua obra
.
Mas a forma como fez isso foi problemática. 
   Logo no começo da trama, boa parte dos
livros é revelada, com Malcolm praticamente contando as tramas inteiras para o
leitor. 
   E só depois, quando ele se recorda da lista, é que o autor se preocupa
em avisar para o leitor que tem spoilers
e que “devemos nos preparar antes de continuar”.
   Achei isso um tanto chato, pois o aviso deveria ter vindo
antes do Malcolm acabar com minha alegria
, revelando praticamente o enredo
todinho de livros da Agatha Christie, que ainda não tive o prazer de ler. 
   Se
você se incomoda de receber spoilers,
com certeza essa leitura não é a mais adequada
, a não ser que tenha lido as
outras obras antes.
   Embora algumas delas não tenham sido publicadas em português,
são encontradas no idioma original e estragariam a experiência do mesmo jeito. 
   Eu li de enxerida, pois não me incomodo muito com spoilers, porém acabo demorando mais ainda do que o esperado para
ler, esperando a “poeira baixar” e ter a emoção de ler pela primeira vez.
   A narrativa de ‘Oito Assassinatos Perfeitos’ é em primeira
pessoa, pelo ponto de vista do protagonista Malcolm
   Ele é um homem que beira
os 50 anos e viveu bastante no ramo literário
. Começou como vendedor, onde
descobriu o seu amor pelos livros de mistério, em especial os mais clássicos. 
   Foi pelas livrarias também onde conheceu Brian, aquele que viria a ser seu
sócio na Old Devils, anos depois,
assim como sua esposa, Claire.
   Hoje ele toma conta da sua loja junto aos seus dois
empregados, além de desfrutar da companhia de Nero, um gato muito fofo, que
encanta a qualquer pessoa que chegue por lá. 
   Com o passar dos anos, o amor que
Mal tinha pelos livros de mistério o fizeram se tornar referência
. Assim, a
livraria virou quase um ponto turístico para quem visita Boston e não foi surpresa
quando a agente Gwen Mulvey chegou perguntando o nome do local e por seu
respectivo proprietário.
   Aos poucos, Gwen conversa com Malcolm e revela o motivo de
estar ali, em meio a um inverno rigoroso: alguém está cometendo crimes pelos
arredores, baseando-se em uma lista que ele escreveu décadas atrás,
quando se
tornou dono da Old Devils
   E quem
melhor do que o autor da lista para ajudar nas investigações?
   Ele desconfia das intenções da agente do FBI, mas as coisas
parecem ser sérias
, conforme os casos, que aparentemente seriam crimes
independentes entre si, mostram ter uma conexão: a ordem dos livros que Mal
elencou no blog
, há muito esquecido. 
   Assim, ele acaba caindo de paraquedas no
meio da investigação
, tentando descobrir quem seria capaz de concretizar crimes
tão brutais quanto os das imagens que lhe são apresentadas. 
   E, como a lista
ainda não acabou, precisam correr contra o tempo, antes que mais inocentes
morram
.
   Percebi que Malcolm é um homem bastante melancólico.
Conforme lia, fui entendendo o porquê. 
   Vendo as coisas pelo lado dele somente,
é impossível não ter um vislumbre dos sentimentos que ele teve ao contar fatos
de seu passado, que giram em torno da época em que escreveu a tal lista.

 

“Quando são bons, e acredito que existem muito poucos bons
poemas, lê-los me dá a impressão de que emitem antigos sussurros.”

 

   Naquela época, mais jovem, Mal
passou por situações desconfortáveis, que teriam sido bem resolvidas se tivesse
ido a algumas sessões de terapia e cultivado amor próprio.
 
   Claire, a esposa
adorável e apaixonada, poderia ser um doce de pessoa na sua frente. Mas pelas
suas costas, as coisas não eram bem assim
. Briam, o sócio e também autor de thrillers, era um grande amigo e
mostrava ter uma vida bem-sucedida. 
   No entanto, olhando mais de perto, era
possível ver algumas falhas na sua alegria.
   Todos parecem ter uma aura mais sombria, ou talvez seja a
visão deturpada de Malcolm
, para enganar o leitor, já que ele não se faz um
narrador confiável.
 
   Assumiu o caso dos assassinatos em série para si, como se
fosse uma válvula de escape
, para sair da rotina monótona que ele mesmo criou.

 

“Quando conhecemos alguém, antes de qualquer coisa ser dita,
já existem mentiras e meias verdades.”

 

    Assim, acaba saindo na frente de Gwen e começa a investigar
quase que por conta própria
, lendo os livros e procurando um motivo que dê um
toque de realidade nas cenas dos crimes relatadas. 
   Mas confesso que fiquei
impressionada com a agilidade dele em ler livros tão pouco tempo.
   Tudo bem que alguns livros a gente lê em uma sentada, pois
são curtinhos e fascinantes demais para largarmos no meio dos acontecimentos. 
   Mas achei um tanto corajoso da parte dele (ou doido mesmo) falar que relia livros
de quase 300 páginas em uma única madrugada
, depois de passar o dia inteiro
bancando o detetive enxerido, tomando conta de uma livraria nas horas vagas e
ainda tinha energia para começar tudo de novo no dia seguinte.
   Ainda mais por deixar bem claro que, embora trabalhe numa
livraria especializada em romances de mistério, tais obras não são mais a praia
dele e prefere passar longe. 
   Confesso que não conseguiria me concentrar para
ler uma única linha, se tivesse no lugar dele. Ainda mais depois de passar o
dia todo gastando sola de sapato resolvendo casos que não são meus. 
   No mínimo
teria dormido por cima dos livros e bancado a egípcia no dia seguinte
.

 

“Ser um leitor ávido de livros de mistério durante a
adolescência não o prepara para a vida real.”

 

   Gwen, por outro lado, parece esquecer como se investiga um
caso e só me fez passar raiva
. Como que uma pessoa em sã consciência, tem todo
o esforço de passar na seleção para o FBI, se torna uma agente conceituada… mas
praticamente larga o caso na mão do Malcolm, um civil e que poderia muito bem
ser um suspeito?!
   Não entendi o que o autor queria com isso, sinceramente. A
detetive chega chegando na livraria, quase sabendo a cor da cueca do Malcolm,
de tão preparada, e do nada começa a fazer burrada atrás de burrada. 
   Depois
simplesmente some com um mero puf! E aparece aos 45 do segundo tempo como se só
tivesse ido ali na esquina e tá tudo numa boa.
   Os outros detetives que aparecem para ajudar são outros personagens
mal aproveitados
, pois entram mudos e saem calados, sem motivo aparente, e
ficou tudo nas costas do Malcolm pra resolver depois. 
   Era mais fácil fazer dele
o único investigador amador, pois deixava a trama mais convincente e não com a
sensação de personagem esquecido no churrasco.
   O que salva é que, apesar da narrativa ser detalhista e
sombria demais
(mais até do que o necessário), a escrita compensa, sendo
fluida. 
   Então, a leitura foi mais rápida do que eu esperava. E teria sido ainda
mais rápida, se o autor tivesse se preocupado mais em manter sua própria
narrativa, do que fazer o livro de blog literário e encher de resenha de outros
livros. 
   Aliás, falando neles, apesar de serem importantes para a lista e os
fatos a seguir, achei que foram mal aproveitados na trama.
   Isso porque o autor preferiu resumir os livros todos, mas
não entrou em detalhes no que devia, como explicar o porquê de terem a ver com
os casos que caíram no colo do protagonista, ou mesmo como ele chegou à
conclusão que tinha algo a ver com as obras. 
   Simplesmente ficou a informação
jogada ao vento
e me vi perdida em diversos momentos, sem saber onde estava
terminava o livro citado e começava o crime investigado.
   Porém, a leitura não foi de todo ruim, pois quando
finalmente me entendi com a trama, as revelações sobre quem era o real culpado
são surpreendentes.
 
   Apesar das decepções ao longo do caminho, ainda teve espaço
para me fazer de trouxa e fiquei surpresa até o último momento.
  Contudo, preferia que tivesse sido melhor amarrado e não
jogado de forma preguiçosa
, como me pareceu. 
   A impressão dada era que o autor
se perdeu no meio do caminho
e precisava terminar dentro do prazo. Então deu um
“jeitinho americano” (se é que isso existe) e amarrou as pontas sem pensar
muito
.
   Fez sentido para o que vinha sendo apresentado? Sim. Mas não
tive a emoção que teria se não tivesse ficado perdida nas informações páginas
atrás.
   Falando sobre o livro em si, a versão que peguei (digital)
tem uma revisão muito bem-feita, e a diagramação está ok. 
   A capa é simples, mas
não é das mais bonitas
. Traz um livro sangrando e misturado num tipo de piso de
madeira. 
   Em resumo, eu gostei da leitura, por conta das reviravoltas que me
mantiveram imersa em boa parte, além da escrita mais fluida. Mas não é um livro
que leria novamente
.

 



                                                   




    E aí, já conheciam esse livro ou leram algum outro do autor? E curtem esse tipo de suspense, cheio de referências (spoilers) de outros livros clássicos? Me contem aí! 










Obs.: Texto revisado por Emerson Silva
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui