10 de dezembro de 2019

Os últimos filmes que vi #20

   Olá meu povo, como estamos? Hoje eu vou falar sobre os último filmes que assisti. Alguns até já tinha recomendado para ver agora nessa época natalina, pois eu mesma, ao fazer a lista, tinha ficado curiosa. Outros encontrei por acaso na TV, para variar, ou estava ansiosa para ver nas telonas.

Amantes do cinema
Foto: Creative Commons/Pixabay

  E lá vamos nós! 😉

Amantes do cinema



1. A família Addams


Ano: 2019


Gênero: Animação, Família


Duração: 1h27min

A família Addams
Foto: Divulgação

Para ir de mal a pior, a Família Addams precisa se preparar para receber uma visita de parentes ainda mais arrepiantes. Mas a misteriosa mansão deles parece estar com os dias de maldade contados. O clã assustador mais querido dos cinemas está de volta nessa animação baseada nos quadrinhos de Charles Addams.



   Que filme mais nostálgico foi esse, meu povo?! A versão animada do clássico da infância/adolescência de algumas gerações voltou com seu jeitinho peculiar de ser e que amamos. Normalmente no desenho que via quando criança, e mesmo na adaptações dos filmes, víamos a família já formada, com seus filhos Feioso e Vandinha aprontando um com  outro e afins. Mas a grande pergunta é como tudo começou e como foram parar na mansão mais icônica do universo. Nessa nova versão temos essa resposta, com uma pegada de humor, terror e romance meloso no ar, somos apresentados ao início da Família Addams, que apesar de ser composta por seres monstruosos, ainda assim são uma família, com seus altos e baixos, parentes que gostam de competir, mas que no fundo, todos se amam ao seu jeito. Super recomendo e, não se prendam quando começar a tocar o clássico da abertura.

   E acreditem, quando você estalar os dedos, o restante do cinema vai estalar junto com você! 😂😂

A família Addams







2. Klaus


Ano: 2019


Gênero: Animação, Família


Duração: 1h36min

Klaus
Foto: Divulgação

Em Smeerensburg, remota ilha localizada acima do Círculo Ártico, Jesper (Jason Schwartzman) é um estudante da Academia Postal que enfrenta um sério problema: os habitantes da cidade brigam o tempo todo, sem demonstrar o menor interesse por cartas. Prestes a desistir da profissão, ele encontra apoio na professora Alva (Rashida Jones) e no misterioso carpinteiro Klaus (J.K. Simmons), que vive sozinho em sua casa repleta de brinquedos feitos a mão.



   Pense num filme mais amorzinho?! Sério! Quando indiquei esse filme no post sobre filmes natalinos, algumas pessoas comentaram que recomendavam ele. E gente, agora mais que recomendo, ele é incrível! Vai te fazer rir, aquecer o coração e ainda chorar no final. Sabe todas as coisas que falam que o Papai Noel é capaz de fazer? Tipo descer pela chaminé, só dar presente se for uma criança boazinha no decorrer do ano e tudo mais? Imagina se tudo isso fosse real? Nessa animação temos todas as explicações de que, se o Papai Noel foi real algum dia, ele seria desse jeitinho mesmo. Não tenho palavras para expressar o que senti vendo este filme, só você vendo mesmo para entender. 😍





Leia também: Filmes natalinos para ver no Netflix






3. Um passado de presente


Ano: 2019


Gênero: Romance, Comédia


Duração: 1h 32min

Um passado de presente
Foto: Divulgação

Depois que uma feiticeira transporta o cavaleiro medieval Sir Cole (Josh Whitehouse) para a época atual em Ohio, durante as festas de fim de ano, ele faz amizade com Brooke (Vanessa Hudgens), uma professora de ciências inteligente e gentil que está desiludida pelo amor. Brooke ajuda Sir Cole a navegar no mundo moderno e tenta ajudá-lo a descobrir como cumprir sua misteriosa e verdadeira missão – o único ato que o levará de volta para casa. Mas, à medida que ele e Brooke se aproximam, Sir Cole começa a se perguntar se realmente quer voltar à sua antiga vida.





   Quer um filme bem água com açúcar para Sessão da Tarde? Então o filme perfeito é esse. Com um toque de magia e algumas cenas sem explicação, esse filme é uma história de romance bem levinha e diferente, onde a mocinha acha um príncipe encantado, que precisou vir lá do passado, para ela acreditar em contos de fadas. E ele nem é tão príncipe assim, já que é um cavaleiro do rei, e não membro da realeza, mas a ideia ainda é válida (rsrsrs). O filme em si é bom, mas confesso que fiquei incomodada com a questão da viagem no tempo. O rapaz tinha uma missão a cumprir no futuro dele (e presente nosso), mas que ficou meio sem pé nem cabeça, já que não é dito com clareza o que seria. E quando ele descobre, a gente fica com aquela cara de “tá, mas cadê o resto?”. Além disso, ele viaja no tempo como quem liga um celular, e se adapta tão rápido às modernidades do século XXI, que me custa acreditar que este cidadão me veio da Idade Média. Além disso, meio que concordo com a premissa de que contos de fadas não existem e os tais príncipes montados em cavalo branco existiam na época dele mesmo, mas daí a menina só ser feliz com ele, porque não tinha ninguém no presente é meio louco. Além disso, a feiticeira facilita tanto as coisas, que a parte da magia mesmo ficou meio sem graça. Mas enfim, vale a dica se quiserem ver algo mais levinho, mas não criem expectativas.




4. Victor Frankenstein


Ano: 2015


Gênero: Terror, Aventura, Fantasia


Duração: 1h 50 min





Victor Frankenstein
Foto: Divulgação

Ao visitar um circo, o cientista Victor Frankenstein (James McAvoy) encontra um jovem corcunda (Daniel Radcliffe) que lá trabalha como palhaço. Após a bela Lorelei (Jessica Brown Findlay) cair do trapézio, o corcunda sem nome consegue salvar sua vida graças aos conhecimentos de anatomia humana que possui. Impressionado com o feito, Victor o resgata do circo e o leva para sua própria casa. Lá lhe dá um nome, Igor, e também uma vida que jamais sonhou, de forma que possa ajudá-lo no grande objetivo de sua vida: criar vida após a morte.





   Confesso que conhecia a história de Frankenstein apenas por filmes, desenhos e afins. Mas nos desenhos, ele é sempre colocado como o bobo da corte. Nos filmes, é um monstro que foi criado por pura vaidade do seu mentor. Aqui, temos uma versão diferente, onde a ideia da criação do monstro na real só aconteceu pelos conhecimentos de um personagem sempre na sombra do cientista: o Igor, assistente do Victor Frankenstein. Estrelado pelo eterno Harry Potter, Daniel Radcliffe, Igor mostra o lado nem tão inteligente assim do cientista rico e vaidoso Victor. Apesar de estar penando para terminar a leitura desse livro, confesso que gostei dessa versão do filme, apesar de que também é necessário ter estômago para ver até o fim, já que tem muitas cenas fortes.







  Como notaram, não vi muitos filmes nesses últimos tempos. Mas aqui está minha pequena lista. Já viram algum desses? O que acharam? Me contem aí! 😉

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui