12 de outubro de 2022

[Postagem Extra] O Corvo e Contos Extraordinários | Edgar Allan Poe

Olá meu povo, como estamos? Hoje temos o #12livrospara2022, projeto em parceria com os blogs MãeLiteratura e Pacote Literário. Para o mês de outubro, o tema era “Um Livro Mais Sombrio” e o mais votado por vocês foi ‘O Corvo e Contos Extraordinários’, um clássico escrito por Edgar Allan Poe. 
O Corvo e Contos Extraordinários | Edgar Allan Poe
Foto: Hanna de Paiva |  Mundinho da Hanna

 

ALERTA: Pode conter gatilhos de violência, assassinato e tortura psicológica. 

53/24
Livro: O Corvo e Contos Extraordinários
Autor: Edgar Allan Poe
Tradutor: Marcelo Barbão
Editora: Ciranda Cultural (selo Principis)
Ano: 2019 (edição atual)
Páginas: 144
Skoob | Compre na Amazon
 
 

 

“O Corvo e Contos Extraordinários” é uma seleção dos textos mais expressivos do autor considerado o mestre do mistério e procura mostrar o gênio criativo de um dos mais conhecidos escritores americanos. Além dos contos, este volume também traz a tradução de “O Corvo” feita por Fernando Pessoa. 

 

 
Começo essa resenha dizendo que a leitura de outubro foi um verdadeiro desafio. Tive contato com os textos de Allan Poe pouquíssimas vezes, ainda na época da escola. 
   
Lembro que no meu livro de Língua Portuguesa do sétimo ano do Fundamental II tinha o conto de ‘O Retrato Oval’ e um trecho de ‘O Gato Preto’.No entanto, sabendo que era algo mais voltado para crianças/pré-adolescentes, os autores do livro didático florearam bem e deixaram palatável, de modo que não amedrontasse ninguém. Reconheço que o esforço dos autores foi louvável, pois realmente não tive medo quando estudei os textos.
   
Agora, ao ler a versão original dos contos, precisei ler à luz do dia, para garantir que conseguiria dormir tranquilamente depois. Além disso, embora seja um livro curto, com apenas 144 páginas, precisei ler em doses homeopáticas, intercalando com outras leituras no processo.
   
Em parte, era por medo, pois mesmo sem coragem de ler à noite, os textos de Allan Poe são muito intensos e precisei de estômago para ler diversos trechos. O outro motivo que me levou a ler mais devagar era a escrita rebuscada. Mesmo com um trabalho de tradução fantástico que o selo Principis tem (com o intuito de levar os clássicos de modo bem mais palatável ao público jovem), a escrita do autor não ajudou muito.
   
Seus contos são curtos, sendo um ou outro com mais de 20 páginas. No entanto, a escrita é confusa e precisei reler alguns trechos diversas vezes para entender o que estava realmente acontecendo. 
 

 

O Corvo e Contos Extraordinários | Edgar Allan Poe
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

 
 
Como nunca li outros livros de horror, não sei se o intuito do gênero é deixar o leitor confuso, ou mesmo uma marca registrada do autor. Porém, achei isso um ponto negativo, já que o tema é pesado por natureza e uma escrita tão densa não fez a experiência de leitura ser melhor. 
Dessa forma, fui lendo um conto por dia, a fim de digerir e btentar entender o que tinha lido, antes de partir para o próximo. Nesse volume, os contos apresentados são:
  • O Corvo
  • O Gato Preto
  • A Queda da Casa de Usher
  • A Máscara da Morte Vermelha
  • Os Assassinatos da Rua Morgue
  • O Poço e O Pêndulo
  • Manuscrito Encontrado em uma Garrafa
  • O Barril de Amontillado
  • O Retrato Oval

 

Infelizmente não poderei falar muito sobre eles, porque corro o risco de soltar spoilers. Contudo, posso dizer que os que mais me assustaram foram o ‘O Gato Preto’, ‘A Máscara da Morte Vermelha’, ‘O Barril de Amontillado’ e ‘O Retrato Oval’. Todos têm um toque aterrorizante em sua essência. Porém, do meu ponto de vista, esses quatro são os mais chocantes.
   
O autor não economizou detalhes dos requintes de crueldade das cenas, especialmente em ‘O Gato Preto’ e ‘O Barril de Amontillado’. Apesar de apresentar uma escrita rebuscada e confusa em um primeiro momento, não pude fugir de um misto de sentimentos a cada capítulo. Tive nojo, agonia, muito medo e angústia.
   
A não ser em ‘A Máscara da Morte Vermelha’, que a narrativa é em terceira pessoa, todos os demais são em primeira. Isso foi uma ideia interessante, pois o tempo todo o autor age como se estivesse conversando com o leitor e nos contando uma experiência de vida. Entretanto, dado o teor obscuro de suas histórias, acho que não iria querer ser amiga dele e fico feliz em ter nascido séculos depois (rsrsrs).
   
Já ‘O Retrato Oval’ e ‘O Gato Preto’ trazem um quê de sobrenatural, que não aparece nos demais contos. Enquanto o primeiro me pareceu uma versão resumida de ‘O Retrato de Dorian Grey’, o segundo me deixou com medo do que as pessoas são capazes de fazer quando estão com raiva e atingem seus limites. 
   
No entanto, ao contrário do que acontece no mundo real, aqui o protagonista pagou por seus atos de uma maneira assustadora e plausível para uma sexta feira 13. Sinceramente, não sei se dizia “bem feito” para ele ou se me tremia de medo olhando para os cantos escuros da minha casa e de ouvido atento a cada som estranho.
 
 
O Corvo e Contos Extraordinários | Edgar Allan Poe
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

 
Essa mesma característica também é observada em ‘O Barril de Amontillado’. Contudo, mesmo que não tenha o teor sobrenatural de ‘O Gato Preto’, não deixa de ser assustador. O resultado foi uma experiência peculiar e interessante, porém não posso dizer que gostei totalmente. Allan Poe mostrou que, de fato, é um gênio no quesito trazer medo ao leitor. 
   
Todos os contos têm um sentido dúbio, temos uma dúvida constante entre realidade e delírios de uma mente perturbada. Além disso, eles apresentam um final aberto, deixando o leitor ainda mais dividido entre o que é ou não imaginação.
   
Embora dê uma passeada pelo terror de vez em quando, não é meu gênero favorito. Assim, ‘O Corvo e Contos Extraordinários’ foi uma experiência bem fora da caixa para mim, a qual não faço questão de repetir.
   
Falando sobre o livro em si, as edições da Principis são simples e objetivas. A diagramação é condizente com o teor obscuro das tramas, com uma capa chamativa em tons escuros. A revisão está bem feita, além de uma fonte legível e agradável à leitura. As páginas são amareladas e grossinhas, o que também ajuda em uma boa experiência com o exemplar.
   
Em resumo, é uma ótima opção para o mês do Halloween, caso curtam leituras temáticas. No entanto, recomendo que leiam com a mente aberta e bem devagar, pois não são histórias fáceis de entender e precisarão de estômago forte. 
 

 

O andamento do projeto está assim agora:
 
 

 

12 Livros para 2022 | Outubro

 

 
 
E aí, já leram algum texto do autor? Gostam de literatura de horror? Me contem aí!
 Texto revisado por Emerson Silva
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Ghostwriter | Alessandra Torre

Li até a página 100 e… #51: Ghostwriter

Olá meu povo, como estamos? Uma de minhas leituras […]

Os Garotos do Cemitério | Aiden Thomas

Quotes #19: Os Garotos do Cemitério

Olá meu povo, como estamos? Os Garotos do Cemitério […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui