16 de janeiro de 2016

Resenha do Livro: Volta ao Mundo em 80 Dias

   Olá pessoal! Como estamos hoje? Hoje passei aqui para, com
muita vergonha admito, fazer a resenha do último livro do Desafio Literário
Skoob 20
15, que só agora em janeiro consegui terminar.
   Então, lá vamos nós…






Livro: Volta ao mundo em 80 dias

Autor: Julio Verne

Editora: Ebooks Brasil (Domínio Público)

Ano: 1874

   Essa foi a história de Philleas Fogg, um nobre inglês que
nao era importante. Não era banqueiro, nem trabalhava na Bolsa de Valores, nem
armador nos grandes navios, nem advogado, nem tinha relação alguma com a Rainha
da Inglaterra, nem comerciante, artesão, administrador…. nada disso… era
apenas um membro do Reform Club… e só…
   Apesar disso, frequentava o clube pura e simplesmente por
ser rico. Não saía muito de Londres, onde vivia há muito tempo, não tinha
esposa, amigos, nem família, mas tinha uma rotina que nunca deveria ser
quebrada.  Essa rotina incluía chegar
todos os dias no Reform Club no mesmo horário, ler o jornal, jogar whist e
almoçar e jantar no clube nos mesmos horários.
   Assim como tinha sua rotina, achava que seus empregados
deviam seguir as rotinas do mesmo modo, pois do contrário,  seriam demitidos. Assim foi com o primeiro,
que foi demitido por conta da temperatura errada da água usada para fazer sua
barba. Foi quando Philleas conheceu e contratou seu novo empregado, um francês
chamado Jean Passepartout.
  Até aí, nada de mais na rotina de Philleas Fogg e seu novo
empregado. Enquanto Jean só trabalhava quando seu patrão chegava em casa,
Philleas mantinha seus dias do mesmo modo (monótono, diga-se de passagem) no
Reform Club. Até que, um dia, durante um jogo, alguns parceiros de whist
começaram a conversar sobre um roubo inacreditável ao banco da cidade e em
quanto tempo o ladrão conseguiria escapar. O papo fluía muito bem até o sr.
Philleas Fogg resolver abrir a oca para dizer o que ele entendia do mundo pelo
que lia no jornal todos os dias: que seria possível que uma pessoa percorresse
perfeitamente o mundo e desse a volta em 80 dias, nem mais, nem menos!
  Ao contrário dos demais parceiros de jogo, que achavam que
não seria possível tal façanha, eis que o sr. Philleas Fogg teima em afirmar
que sim, é possível dar a volta ao mundo em 80 dias e ainda aceita uma aposta
de 20 mil libras que ele mesmo poderia fazer essa viagem e retornar ao Reform
Club
em exatos 80 dias, no mesmo horário em que estavam tendo aquela conversa.
  E é aí que começa a aventura de Philleas Fogg, um inglês que
não viajava muito, e seu novo empregado, Jean Passepartout, que embarcou junto
nessa viagem sem saber muito o motivo. Durante esse percurso, eis que surge um
policial, que tem toda a certeza de que o ladrão na verdade era o cidadão que
saiu em todos os jornais da Europa como o louco que tinha dinheiro o suficiente
para dar a volta ao mundo e se livrar da prova do crime de assalto ao banco
assim que voltasse à sua pátria.
  Em meio a muitas aventuras e novos povos, sempre com tudo
bem calculado, Philleas Fogg encara o mundo que nunca havia visto, com culturas
beeeeeem diferentes da que estava acostumado, com pessoas de todos os tipos,
umas dispostas a ajudar, outras nem tanto.
  Esse foi o primeiro livro que li de Julio Verne, embora
conheça muitas de suas obras por meio de filmes (tipo, o próprio Volta ao mundo
em 80 dias e Viagem ao Centro da Terra
).
  Os livros desse autor, embora escritos em meio ao século
XIX, são super indicados para a atualidade. A versão que peguei foi digital,
pois já está em domínio público há um bom tempo, mas ainda assim a linguagem é
muito rebuscada, bem próxima da tradução literal.    Eu não curti muito porque
algumas palavras não foram traduzidas. Como sei um pouco e Inglês, eu sabia o
que significavam, mas para quem não domina é um tanto incômodo ler um livro em
Português e no meio da leitura ter que recorrer ao dicionário para saber o que
quer dizer tal termo…
  A não ser isso, o livro mantém as ilustrações originais,
então é legal ver como era o nosso mundo pelos olhos de pessoas do século
retrasado.
Super recomendo que vejam o filme e leiam os livros de Julio
Verne. Gostei bastante porque no tempo em que ele escreveu, era tudo muito
moderno os que seus personagens usavam, pois nem haviam sido idealizados no
mundo real ainda, e ele já imaginava possível e colocava para seus personagens
usarem. Isso em roupas, meios de transportes e afins. Vale muito à penas
conferir.

    Então pessoal, essa foi a postagem de hoje. Espero que
tenham curtido e até mais! =)

       Hanna Carolina.


Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui