9 de fevereiro de 2017

Um bom lugar para ler um livro: Caixa Cultural

   Olá
meu povo, como estamos? Hoje e dia de #Umbomlugarparalerumlivro e eu vim mostrar
o que tá rolando na Caixa Cultural. Vem ver! 😊







   Então,
atualmente a Caixa Cultural aqui do Rio tá com algumas exposições, que fui dar
uma conferida.
   A
primeira, logo no térreo, é ‘A poética do excesso’, de Reinaldo Eckenberger.
Para quem não conhece, Reinaldo Eckenberger é argentino, mas mora na Bahia
desde a década de 1960. Suas obras são marcadas pelo exagero, sim exagero… De
acordo com ele,

“O
excesso é antes um princípio definitivo que opera em todas as fases, linguagens
e suportes utilizados ao longo de uma trajetória artística reconhecida e
absolutamente singular.”






   O
artista chama suas obras de “Eskthofrenia”, uma mistura de esquizofrenia e
kitsch, e são marcadas por híbridos de cerâmica e objetos de gosto duvidoso,
baratos…















   O
que eu achei? Bom… Logo de cara você toma um susto quando entra na sala de
exposição, ao ver rostos enoooooormes nas obras dele. O que me deixou curiosa
foi que toda obra dele, o que era retratado como “humano” era com a língua de
fora… Não entendi o motivo… mas é uma marca… E outra coisa é que tem uma
“cara estranha” em tudo que ele faz… E não é estranho porque eu não gostei, é
estranho, porque acho que o motivo é causar espanto mesmo (rsrsrs)…  para quem ficou curioso com as caras
espantosas, elas ficam disponíveis à visitação até 05/03/2017.


   No
segundo andar estão as outras três exposições. 



“Obras
de arte não podem mudar o mundo, mas podem mudar pessoas.”


   É
nessa vibe que está a exposição ‘A luz que vela o corpo é a mesma que revela a
tela’. É um conjunto de telas de diversos autores, todas contemporâneas, sobre
diversas coisas: natureza, cotidiano, cultura das favelas…




   E
as sessões estão organizadas por temas, cada uma com um conjunto de obras de
quatro pintores, cujas pesquisas que resultaram nas telas começaram na internet
(isso mesmo! São contemporâneas, rsrs). Segundo os curadores, o objetivo da
exposição é mostrar que a pintura é pensamento contaminado pelo seu tempo e
como prossegue viva comentando as questões do mundo contemporâneo.












   Está
em exposição até 12/03/2017.
   A
outra exposição, minha favorita, é a ‘Brinquedos à mão’, uma reunião de
brinquedos de todos os cantos do Brasil num único lugar! Acho que já comentei
aqui algumas vezes que cresci no Nordeste e, por mais que onde eu morasse
tivesse “civilização”, ainda não era como morar na capital João Pessoa. Então
muita coisa era difícil de arrumar e a gente se virava com o que tinha, a
maioria feita pelos nossos avós ou pelos avós dos amiguinhos que tinham talento
pro artesanato. Essa exposição é exatamente isso, uma mostra de brinquedos
feitos à mão.





   Então
pense na minha felicidade e nostalgia ao ver os brinquedos que eu brincava
quando criança expostos ali para as crianças de hoje verem! Nem preciso dizer
que fiquei louca! (rsrsrs)
   São
brinquedos de madeira, de alumínio, de pano… e a criatividade rola solta para
divertir as crianças e ficar na lembrança. Me bateu a maior saudade de quando
brincava de pião, bolinha de gude, peteca… (sim, muita gente se espanta
quando digo isso, mas apesar de ser uma menina que gosta de coisas fofinhas e
tal, eu era um moleque quando criança, do tipo que brincava de pião, jogava
bolinha de gude, brincava de carrinho e amava jogar queimado. Até tinha os
brinquedos “de menina” em casa, mas largava tudo pra jogar bola e brincar de
carrinho! =p
).





























   Quem
nunca viu esses tipos de brinquedos do Nordeste ou quer matar a saudade deles
assim como eu, é melhor correr um pouco, porque essa fica até 19/02/2017.
   E,
por último, mas não menos importante, tem a exposição ‘Percurso’, uma coletânea
de fotografias.

“Compor
fotografias como quem escreve partituras musicais. Fazer dos seus desejos mais
íntimos um manifesto artístico libertário. Espiar pela janela com olhos capazes
de petrificar o corpo desejado. Acreditar na pulsão erótica residem também a beleza
e a transcendência do ser.”




   Essa
é mais voltada para o corpo masculino. Uma série de fotografias com as mais
variadas poses, mas não próprias para as fotos, são mais espontâneas. E são em
todo momento, esportes, dormindo, eróticos… tem para todos os gostos. Essa
fica em exposição também até 19/02/2017.

   Como
deu para ver, tem exposição para todos os gostos e idades. Lembrando que TODAS
são entrada franca, o que é muito importante no nosso atual momento de crise e
não ter dinheiro não é desculpa para não ir! 😉
   E
essa foi a postagem de hoje. Agora me contem aí, vocês conhecem e/ou já foram
na Caixa Cultural? Tem Caixa Cultural no Estado onde vocês moram? Onde vocês
moram tem exposições assim? Gostam de ir em museus ou centros culturais? Contem
para mim!




    Bjks
e até mais! 😊


Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui