9 de janeiro de 2021

5 metas literárias para 2021

 Olá meu povo, como estamos? Estamos de volta de nossas miniférias e já chegamos cheios de planos para o ano novo, em especial os literários (rsrsrs). Assim como funcionaram boa parte das metas de 2020, confesso que estou com expectativas para esse ano. Então hoje eu trouxe minhas 5 metas para 2021.
5 metas literárias para 2021
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Esse ano será bem pesado e cansativo para mim, já que é o meu último ano de doutorado, então a ideia é ter mais leveza possível nas metas, para garantir que cumprirei todas.
5 metas literárias para 2021

 

1. Conseguir ler ao menos um livro físico por mês

Essa meta é do ano passado, que deu bastante certo por sinal. Em parte porque a quarentena fez as pessoas ficarem mais tempo em casa e, consequentemente, as leituras dispararam.
Em 2021, eu pretendo continuar com o projeto #12livrospara2021, em parceria com as meninas do MãeLiteratura e Pacote Literário, no qual eu me proponho a ler cada mês um livro físico, que esteja “encalhado” na estante há tempos.
12 livros para 2021

 

 

Como vocês se lembram, dessa vez aprimoramos o desafio e pedimos para vocês escolherem nossas leituras, ao preencherem um formulário, onde colocamos 2 opções de leituras para cada mês. Confesso que gostei bastante do resultado e vocês parecem entender mesmo os meus gostos literários (rsrsrs). Então, as leituras mais votadas para a versão 2021 do projeto ficaram assim:
12 livros para 2021

 

2. Ler ao menos um livro digital por mês

5 metas literárias para 2021
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Com relação aos livros digitais, eu comentei aqui que aproveitei a Black Friday ano passado e assinei o Kindle Unlimited por 3 meses, para fazer a experiência. Eu gostei bastante e acho que vou manter a assinatura por um tempo. Assim, pretendo ler ao menos um livro digital por mês também, o que totaliza 24 livros para 2021.
“Ah Hanna, mas você não disse que queria leveza? Então porque vai inventar de dobrar a meta do ano passado?!” Na verdade não vai ficar tão pesado, pois eu já escolhi os livros digitais também e eles, apesar de lidarem com alguns temas um pouco mais pesados, são na realidade contos que eu queria ler desde o ano passado, da coleção Femme Fatale, da Incresay.
Além disso, o fato de serem contos já ajuda por serem leituras mais rápidas, o que vai me ajudar bastante. E também estou bem curiosa para conferir as releituras de outros contos de fadas que ainda não li.
Além deles, coloquei mais dois livros um pouco maiores (Tempestade de guerra, de Victoria Aveyard, e Homem de giz, de C. J. Tudor), porém não vou criar expectativas e nem me cobrar se não conseguir dar conta deles. O que gostaria mesmo era de ler os contos e já ficarei feliz se der conta só deles. 💓

3. Praticar mais o desapego com meus livros

Desapego de livros
Foto: Creative Commons | Pixabay

 

Sim, você leu isso mesmo! Quem acompanha o blog pelo Instagram, viu que mantive minha promessa de não comprar livros compulsivamente em 2020. Mas, recentemente, postei umas fotos de livros novos (pelo menos para mim), que adquiri. Eles chegaram através do sistema de trocas do Skoob. Então, para que eles chegassem, alguns dos meus tiveram que sair da estante e procurar novos lares.
Eu sempre tive desapego com minhas coisas, isso inclui roupas, sapatos, até cabelo (rsrsrs). Mas nunca tinha feito isso com livros, até que me vi com livros empilhados por todos os cantos do meu quarto, que eu não lia e nem dava um lugar adequado para eles.
Em 2020 eu comecei a fazer umas mudanças no meu quarto, o que rendeu não apenas um home office decente (rsrsrs), como identifiquei livros que não foram tão bons para mim, ou que foram uma ótima leitura… mas não leria novamente.
Como não estava saindo de casa com frequência (e continuo assim por enquanto), levar para uma biblioteca ou sebo estava fora de cogitação para mim, já que na minha cidade não tem e eu teria que ir para a capital fazer isso.
Então, uma saída foi explorar o recurso do Skoob, e descobri um mundo incrível de pessoas que, além de lerem bastante, praticavam também o desapego com seus livros. Depois que a primeira troca chegou ao seu destino, foi uma nova porta que se abriu para mim, pois posso ter alguns livros que sempre quis ter, sem a necessidade de comprar todos, já que do outro lado da tela do meu computador tem outra pessoa querendo abrir espaço na estante dela.
Dessa forma, sei que meus livros estão chegando a lares que irão cuidar bem deles, e posso ler os livros que, até então, apenas sonhava em ter, mas não tinha espaço na estante.

4. Manter a organização que conquistei

Organização
Foto: Creative Commons | Pixabay

 

Ano passado, minha primeira meta era ser mais organizada. É com muito orgulho que posso anunciar que ela foi cumprida com louvor! Para 2021, a meta é manter essa organização, talvez com alguns ajustes, já que devo voltar em algum momento a ir para o laboratório cumprir a parte prática das minhas pesquisas. Mas, só o fato de já ter conseguido manter essa meta e ver resultados positivos, já me deixou bem animada para esse ano.

5. Não sentir medo de sair da minha zona de conforto literária

Zona de conforto literária
Foto: Creative Commons | Pixabay

 

Um dos fatos que contribuiu para que minhas leituras fluíssem tanto ano passado foi que me ative mais na minha zona de conforto literária. Normalmente sou “obrigada” a sair dela quando entro num desafio ou um autor me apresenta um livro “diferentão” e me convida para ler. Mas dei tanta sorte em 2020, que até os livros lidos em parceria foram da minha zona de conforto (rsrsrs).
Um dos motivos que me fizeram manter ao menos um livro digital por mês é que essa coleção que citei lá no começo me sai da zona de conforto total, pois são umas releituras um tanto pesadas dos contos de fadas, com direito a toques de hot e até dark romance, temas que normalmente eu fujo sem nem pensar duas vezes.
Dessa vez, quero me aventurar mais por outros gêneros, sem medo de ser feliz. Também será sem cobranças; se sentir que não vai rolar a leitura, eu vou abandonar, sem medo e sem me martirizar por isso.
Afinal, a ideia é ler e fazer novas descobertas, não me forçar a algo que não está dando certo, só para “manter o desafio a todo custo”. Apesar disso, estou com expectativas boas para esse ano, e espero cumprir as metas.
 E aí, o que acharam dessas metas? Também tem o hábito de traçar metas para o ano? Me contem aí!
Ah, se quiserem que eu fale mais sobre as trocas do Skoob, me avisem nos comentários.
Até mais e Feliz Ano Novo a todos!





Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Marcando os livros

Bem vindos ao novo Mundinho da Hanna!

Olá meu povo, como estamos? Depois de um longo […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui