28 de julho de 2020

Li até a página 100 e… #14: Memórias póstumas de Brás Cubas

Olá meu povo, como estamos? Hoje eu trago uma postagem que está se tornando famosa aqui no Mundinho, a TAG Li até a página 100 e…, com minhas impressões sobre o livro Memórias Póstumas de Brás Cubas.

Li até a página 100 | Memórias póstumas de Brás Cubas
Foto: Divulgação

   Esse livro é um clássico da literatura brasileira, escrito por Machado de Assis, e que é tema da leitura coletiva atual, que estou fazendo com parceria com a Babi, do Meu Mundinho Quase Perfeito.

Primeira frase da página 100:

R. “Contanto quê?”

Do que se trata o livro?

R. O livro conta as memórias de Brás Cubas, pela visão do próprio defunto, que depois de morto, resolveu compartilhar sua vida com os leitores.
Li até a página 100 | Memórias póstumas de Brás Cubas

O que está achando até agora:

R. Estou achando uma leitura bem densa. Num primeiro momento, tomei um susto, pois fazia muito tempo que não li uma obra clássica e perdi o costume com o Português mais rebuscado. Mas depois que me acostumei com as palavras “difíceis” (rsrsrs), a leitura está fluindo em melhor do que eu esperava.

O que está achando do protagonista:

R. Brás Cubas era uma pessoa como qualquer um de nós. Apesar de abastado, ele também tinha seus amores, dores de cotovelo e sofria… Mas é diferente ver que ele não tem pudores em afirmar que era mesquinho enquanto vivo, e nem em mostrar o quanto a vida foi lhe ensinando as coisas.

Melhor quote até agora:

“Senhores vivos, não há nada tão incomensurável como o desdém dos finados.”

Vai continuar lendo?

R. Sim. Apesar de ser uma leitura densa num primeiro momento, esse é um livro que está ganhando pontos comigo. Já estávamos desanimadas com nosso “azar” em escolher leituras que não atendiam nossas expectativas. Parece que finalmente acertamos a mão e quero saber como Brás Cubas vai levar o resto de sua vida.

Última frase da página 100:

R. “[…] Ah! brejeiro! Contanto que não te deixes fiar aí inútil, obscuro, e triste; não gastei dinheiro, cuidados, empenhos, para te ver não te ver brilhar, como deves, e te convém, e a todos nós; é preciso continuar o nosso nome, continuá-lo e ilustrá-lo ainda mais.”
E essa foi a postagem de hoje. Vocês já leram os livros de Machado de Assis? Curtem literatura brasileira clássica? Me contem aí, bora conversar! 😉
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Booktag | 5,4,3,2,1

BOOKTAG | 5,4,3,2,1

Olá meu povo, como estamos? Hoje eu quero começar […]

Ghostwriter | Alessandra Torre

Li até a página 100 e… #51: Ghostwriter

Olá meu povo, como estamos? Uma de minhas leituras […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui