21 de dezembro de 2022

[Postagem Extra] Submersão | Juliana Daglio

Olá meu povo, como estamos? Esse final de ano está recheado de leituras nacionais por aqui. Hoje trago a resenha de ‘Submersão’, a sequência dos acontecimentos apresentados em ‘O Lago Negro’, da autora Juliana Daglio.

 

Submersão | Juliana Daglio
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

ALERTA: Pode conter spoilers do primeiro volume.

65/24
Livro: Submersão
Autora: Juliana Daglio
Editora: Increasy 
Ano: 2021
Páginas: 420
Skoob | Compre na Amazon
 
 

 

A revelação do segredo de Liam significa uma reviravolta na vida de Verônica Cattani. Assombrada pelos acontecimentos recentes, descobrir o que Liam vinha escondendo vai trazer consequências não só em sua vida, mas em toda investigação acerca dos Caprini. A jovem está decidida a trazer justiça para as mulheres assassinadas em Lagoana, com Liam ao seu lado. Entrementes, quer publicar O Lago Negro e desafiar a ira de Joseph Caprini. Porém, está bem claro que essa não é uma guerra comum. Escondido sob a proteção de Vicente, o inimigo mais poderoso de Joseph ainda não fez nenhum movimento, mas está prestes a se revelar. O homem da tatuagem de dragão tem em seu poder algo que Verônica talvez não possa recusar: a oportunidade de saber o que existe nas profundezas de sua própria memória.

 

 

Submersão | Juliana Daglio

 

 

Se a cabeça de Verônica já estava ameaçando bugar em ‘O Lago Negro’, agora a situação ficou ainda mais complicada. A morte de Carol é apenas uma na lista interminável de crimes sem solução em Lagoana. Mesmo sabendo quem é o autor dos atos de violência, a sensação de impunidade fica maior quando ele se mostra poderoso e acima de qualquer lei.
   
Além disso, tanto a protagonista quanto Liam passam por maus bocados na residência dos Caprini. Após uma descoberta bombástica envolvendo coincidências no livro de V e as lendas urbanas, a dupla se mete em uma teia complexa de segredos perversos, capazes de levar embora a vida de curiosos.
   
Apesar das dificuldades, o novo casal (que não admite, mas tem uma química fantástica desde que se conheceram) consegue escapar, porém não ilesos. Eis que suas descobertas, antes sem sentido, parecem se conectar com os segredos que Carlos queria contar antes de ser internado às pressas. Agora que o professor está fora de perigo, é hora de todos serem honestos uns com os outros e amarrar pontas soltas de anos atrás.
 
Verônica e Liam estão perdidos em meio a tantas descobertas. Contudo, precisam ser fortes e encarar os novos obstáculos que estão por vir. De modo especial, quando a família Caprini está com sede de vingança pelas baixas que o rapaz metido a herói de quadrinhos deixou para trás quando escapou da mansão.
   
Nesse meio tempo, um outro membro da família mais poderosa de Lagoana aparece e afirma ter segredos capazes de desestabilizar tanto os Caprini quanto os Cattani. Verônica é a chave de todo esse quebra-cabeça banhado em sangue. Mas será que ela está disposta a se lembrar de fatos do passado?

 

 

“Aquela escuridão tinha o poder de sempre me tragar de volta.”

 

 

Gente! Para o mundo que eu quero descer! Se eu já tinha ficado besta com os acontecimentos do primeiro volume, aqui eu me senti mais inocente. Ainda com a narrativa em primeira pessoa, vemos os acontecimentos pelos ângulos de Verônica, porém alternados pelos de Liam e Carlos.
   
A protagonista está ficando cada vez mais forte, graças à presença de sua família. Embora não se dê bem com a mãe, V sabe que ela guarda segredos perigosos, envolvendo a morte do seu pai e sua posterior perda de memória. Ainda, certos acontecimentos levam as duas a se entenderem, mesmo que de maneira forçada.

 

“Imperfeições nos fazem humanos, e não tábulas rasas.”

 

 

Elas sabem que precisam conversar sobre muitas mágoas antigas. Porém, a situação não é propícia para isso e conseguem manter uma relação cordial e quase respeitosa. Anabella (mãe de Verônica) também tem suas feridas do passado, pelas quais agiu de forma imatura e até hoje paga o preço por suas atitudes.
 
 
Submersão | Juliana Daglio
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

 
 
A aura era tensa entre essas duas a cada vez que se encontravam, o que me dava certa tristeza. Além disso, pude entender uma parte da mente quebrada de Verônica, o que me fez ser mais solidária com a moça.
 

“Com amargor, experimentei a impotência e a ignorância frente ao que nos aguardava nas próximas horas.”

 

 

Contudo, parece que V está se tornando mais forte e menos dependente dos remédios, o que a faz enxergar muitas coisas e até ser mais sensata em suas decisões (fato pelo qual fiz as pazes com a personagem). Essa nova personalidade que surge espanta a todos, até mesmo Liam, completamente apaixonado pela protagonista (mas orgulhoso demais para admitir). No entanto, ainda é imaturo e um completo babaca nas horas vagas, me fazendo passar raiva em diversos momentos.
   
Mas não pude deixar de apoiar a postura de Liam quando Enzo entra em cena novamente, com aquela cara de cachorro que virou o pote. Ainda não sei o que se passou na cabeça dessa criatura. Faz a garota de gato e sapato, some do mapa na hora que ela mais precisa, agindo como se ele fosse a vítima mais inocente da face da terra. Aí me foge com a vizinha bonitona do apartamento de cima e ainda tem a cara de pau de aparecer rastejando, como se nada tivesse acontecido?!
   
Admito que a moça foi bem madura e agiu de forma sensata (mas no lugar de Verônica, teria deixado o Liam dar uma bela surra nele, para deixar de ser idiota!). Isso espanta a todos, em especial o leitor, que é apresentado a uma primeira versão completamente instável e obsessiva da personagem no primeiro volume.
 
 
Submersão | Juliana Daglio
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

 
 
E mostra também o quanto ela cresceu e aprendeu a escolher suas próprias batalhas. Afinal, tinha coisa mais importante acontecendo em Lagoana para a protagonista se preocupar com uma novela mexicana que o próprio Enzo criou. Sim, meu ranço passou para esse babaca e para Angelina, que caiu na conversa mole dele. Esses dois poderiam sofrer combustão instantânea que não fariam falta!
   
Carlos, por sua vez, não vai deixar a situação mais agradável. Quando ele conta os segredos pelos quais V e Liam tanto correram atrás, o clima fica ainda mais tenso. O casal fica revoltado (e com razão), por terem sido feitos
de marionete esse tempo todo. No entanto, não posso culpar o professor pelas atitudes que tomou. Embora não concorde com suas ações, estava apenas tentando proteger sua família e a do grande amigo de coisas que não compreendia.

 

“Cheguei ali com a ilusão de que sairia com respostas contundentes, contudo saía com mais perguntas e uma sensação maior de que estava prestes a perder a cabeça.”

 

Para completar, o elenco ganha mais alguns destaques, com Charlotte (irmã caçula de Liam) e Deb (a ex-namorada de Liam, mas que finge não ter recebido o memorando) caindo de paraquedas em busca do rapaz. Essas duas mal apareceram e já ganharam meu ódio eterno. Nunca vi duas moças tão chatas e nojentas juntas.
   
Lotte eu até entendo o comportamento, por se tratar de uma adolescente de 16 anos, mimada e com ciúmes do irmão mais velho. Apesar de achar que poderia ser menos mal-educada, relevei por ser imatura devido à pouca idade. Mas confesso que tive um misto de pena e raiva em relação a Deb.
   
A mulher claramente ama Liam (ou acha que ama, pois na minha opinião, é obsessão mesmo). Porém, desde quando é apresentada em ‘O Lago Negro’, está na cara que o sentimento que ela nutre pelo rapaz não é recíproco. E, mesmo sabendo disso, não cansa de perder tempo correndo atrás de migalhas, enquanto poderia ser mais feliz alimentando seu amor próprio.
   
Logo, o encontro dela com Verônica não é nada agradável. A protagonista, mais uma vez, ganhou meu respeito mostrando que sabe lidar com as situações mais adversas sem precisar apelar para os remédios. Apesar disso, ainda não sei se posso afirmar que é um ponto positivo no comportamento da personagem. Tem um verdadeiro furacão em volta dela e o centro sempre parece ser mais calmo. O meu medo é se a moça vai conseguir sair dele.

 

“Os verdadeiros monstros não se escondem embaixo da cama, ou dentro do armário. Eles estão dentro da sua mente.”

 

 

Enquanto a versão nacional de ‘A Usurpadora’ acontece no hospital, os Caprini parecem estar mais fortes do que nunca. Joseph está afiando suas armas para dar cabo dos Cattani de uma vez por todas e não parece disposto a voltar atrás. Além disso, conforme Verônica toma ciência dos segredos envolvendo a família, se torna mais perigosa para o velho.

 

“Aquilo era ridículo como um enredo de uma comédia barata.”

 

 

Vale tudo para manter certos segredos escondidos em Lagoana. E ‘O Lago Negro’ é capaz de destruir tudo pelo que o patriarca lutou para esconder. Realidade e magia se misturam mais uma vez, em uma verdadeira guerra de bem x mal. Ambos os lados estão se fortalecendo e a batalha parece longe de ter fim.
   
Com uma escrita ainda mais fluida do que no primeiro volume, eu só queria saber o que iria acontecer na próxima página. Mesmo sendo um tijolinho, a leitura teve um andamento muito bom. No entanto, precisei ler devagar, por conta de certos assuntos mais densos que a escritora abordou. Mas isso não diminuiu em nada a experiência de leitura.
 
 
Submersão | Juliana Daglio
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

 
 
Além disso, a autora conseguiu passear bem pelo lado do terror, mantendo o lado do thriller psicológico, uma combinação fantástica e que me conquistou. O desfecho é perfeitamente crível, satisfatório e eu fiquei ainda mais curiosa para ler a continuação em ‘Profundezas Sombrias’.
   
Em relação à obra em si, a capa segue o mesmo padrão do primeiro volume, parecendo uma carta de tarô (uma das mais bonitas que já vi, aliás). A diagramação e a revisão estão muito bem-feitas, proporcionando uma ótima experiência de leitura.
   
Se você ainda não leu nada da autora, recomendo que comece por essa trilogia. Aqui vai encontrar uma combinação perfeita de suspense com terror, que vai te deixar de queixo caído. 
 
 
 
 
 
 
Texto revisado por Emerson Silva
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Booktag | 5,4,3,2,1

BOOKTAG | 5,4,3,2,1

Olá meu povo, como estamos? Hoje eu quero começar […]

Ghostwriter | Alessandra Torre

Li até a página 100 e… #51: Ghostwriter

Olá meu povo, como estamos? Uma de minhas leituras […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui