6 de junho de 2017

Resenha do livro | O treinador do meu sobrinho

Olá meu povo, como estamos? Hoje passei aqui para falar sobre o último livro que li, O treinador do meu sobrinho, da autora parceira Vanessa Gramkow

Foto: Divulgação

Livro: O treinador do meu sobrinho

Autora: Vanessa Gramkow

Editora: Ella

Ano: 2017

“Duda aprendeu que a vida não era fácil, mas nunca se deixou abater pelos obstáculos. Conhecida por sua personalidade ousada, ela valorizava sua própria liberdade acima de quaisquer sentimentos. A vida estava sempre sob seu controle… até seu sobrinho, o jovem tenista Igor, garantir-lhe que André, seu treinador, seria o “homem ideal” para ela. Duda não acha que precisa de qualquer relacionamento sério, aliás, aprendeu que o amor não existe para todos, especialmente para ela. Por isso, tudo soava muito divertido quando Duda soube que finalmente conheceria o “tão mencionado” André; o problema é que o tal “homem ideal” era um babaca que parecia muito disposto a irritá-la. Agora, Duda precisará lidar com as expectativas românticas de seu sobrinho, a monitoria estressante de sua irmã mais velha, o confronto com seu próprio passado doloroso e a verdade de que nunca é tarde para aprender a amar.”

Duda é uma fotógrafa que vem ao campeonato de seu sobrinho. Ela vem para cobrir o evento, ver a família e matar a saudade do sobrinho tão amado Igor, um jovem que se mostrou um tenista de talento.

Além de tudo isso, ela vem finalmente conhecer André, o tal treinador e que seu sobrinho enche o saco falando o quanto ele é perfeito, o quanto combina com a tia e blá blá blá.  A fotógrafa já nem liga mais para essas coisas de “par perfeito”.

Para ela homem só serve mesmo para uma noite de sexo quando precisa e pronto. Não precisa de mais nada… se envolver para quê? Relacionamento só traz dor de cabeça, só traz estresse.

Ela é do lema “antes só que mal acompanhada” e não muda por nada.  Ainda mais porque parece que todo mundo fica naquela de arrumar um namorado para ela. Sua irmã mais velha é uma, que sempre acha que sabe das coisas, que é o cupido perfeito e sabe com quem a irmã vai ter um bom casamento.

Duda está na realidade é curiosa pra saber quem é o tal treinador que seu sobrinho afirma com tanta certeza que é o par ideal para a tia, mas a irmã “sabe tudo” diz que quer vê-lo longe dela, mas nunca diz o motivo. Mas como a cidade está em festa, ela mal sai do aeroporto e já pede para o taxi deixá-la no meio da multidão para fotografar algumas cenas que ela nunca mais tinha presenciado, já que quase não parava no Brasil.

E lá vai ela, com a câmera antiga do seu pai, relíquia de família e alguém esbarra, nem preciso dizer que a relíquia cai no chão e Duda tem um ataque. Mas quem esbarra na bendita câmera? Um cara lindo, maravilhoso, que faz de tudo até conseguir beijá-la.

Um cara babaca, bêbado, mas que ela não consegue ficar longe de jeito algum. Assim começa a história de Duda. Logo ela vai descobrir que o tal babaca bêbado era ninguém mais, ninguém menos que o treinador de seu sobrinho!

O tal André, o tal “par perfeito”! E aí, o que será que vai acontecer quando ela descobre quem é o tal André? Será que vale mesmo a pena ficar com ele?

O cara é lindo, adorado pelo sobrinho, que defende de olhos fechados e continua dizendo que eles são perfeitos. A irmã mais velha quer porque quer afastar os dois porque o cara não presta, mas nunca diz o porquê. Duda, mesmo sabendo que o cara é um babaca, metido, que só sabe provocar e perturbar. Se sente atraída por ele de uma tal maneira que nem ela mesma sabe explicar, que dilema. 

Ao ler o livro, eu me identifiquei logo com a Duda. Ela tem um passado doloroso, que é contado no decorrer da história, e por causa desse episódio nada legal de sua vida, acha que o amor é coisa de contos de fadas, que príncipe encantado não existe e tal.

Para ela, relacionamento só traz dor de cabeça e ela não quer perder tempo com isso, só quer ser feliz. Mas ainda tem uma pontinha do “falta alguma coisa” para ser feliz, que nem ela sabe explicar, nem quer tentar, apesar de incomodar. Apesar da irmã dela ser uma chata, ela fala uma coisa que achei sensacional: 

“_Também, você idealiza muito o homem perfeito, minha irmã querida. Para ser príncipe, basta ser homem; e para ser encantado, basta ter atitude. Você precisa deixar uma fresta em seu coração, para ele entrar.”

Essa frase da Mariana (irmã da Duda) mexeu muito comigo, porque eu até um tempo atrás pensava como a Duda, que amor não é para todos, que apenas algumas pessoas tinham essa chance na vida e tal. Daí resolvi ler o restante do livro, queria saber o que ia acontecer com a mocinha.  

Como já notaram, esse é um romance clichê, daqueles bons para deixar a gente suspirando pelos cantos, ainda mais agora que estamos próximo do dia dos namorados. O livro é fininho, então li bem rápido.

A Vanessa soube conduzir bem os personagens e tem uma coisa inusitada na história também, que me deixou surpresa, então não julguem a quantidade de páginas pela qualidade da história.    

A Duda, além de personagem principal é a narradora da história, então, tudo é pelo ponto de vista dela. O que deu para me identificar com ela ainda mais. Tem umas passagens mais engraçadas, outras que te tiram o fôlego, outras que te fazem sofrer junto com a Duda.

É uma mistura de sentimentos até o final.   E o André então, aquele deus grego, com o boné virado para trás e o corpo bem definido, é de tirar o fôlego mesmo (rsrs). Mas ele sabe o que quer e vai até o fim para conseguir. A questão é se a Duda, cabeça dura que só, vai deixar que isso aconteça. 

Se você está em busca de uma história romântica, te indico O treinador do meu sobrinho. É uma história envolvente e que vai te fazer sentir o que a Duda sente. Eu gostei bastante e dou a nota máxima ao livro.

 E essa foi a postagem de hoje. Já conheciam a obra da Vanessa? O que acharam do livro? Contem para mim!

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Os Escolhidos | Pedro P.R.

Os Escolhidos | Pedro P.R.

Olá meu povo, como estamos? Hoje eu trago a […]

TAG | Festa Junina

TAG | Festa Junina

Olá meu povo, como estamos? O meio do ano […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui