7 de junho de 2022

Vestígios | Luciana de Gnone

    Olá meu povo, como estamos? Um tempo atrás eu trouxe a resenha de ‘Súplica em Olhos Mortos’, um suspense nacional
e as primeiras aventuras de Betina Zetser, uma fotógrafa metida a jornalista
investigativa.
   Agora, temos a continuação de sua história em Vestígios, com o
desenrolar de algumas situações e mais novidades na vida da mocinha, que parece
nunca ter um momento de paz. 
Vestígios | Luciana de Gnone
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna

Obs.: E-book lido em parceria
com a MS Assessoria Literária e a autora Luciana de Gnone.
Obs.: Pode conter spoilers do
primeiro volume. Disponível no Kindle
Unlimited
.
ALERTA: Contém cenas e gatilhos de violência sexual, sequestro e
violência contra mulher.

29/24
Livro: Vestígios
Autora: Luciana de Gnone
Editora: Casa do Escritor (Independente) 
Ano: 2021
Páginas: 368
Skoob | Compre na Amazon 


Os jornalistas investigativos
Betina Zetser e Bruno Jopson regressam a este novo e intenso romance policial,
agora casados. Com o aumento mundial do número de casos de ataques com ácido, Betina
se empenha em trabalhar em uma matéria para trazer à sociedade essa terrível
modalidade de crime contra mulheres. Betina viaja à Colômbia para conhecer
Jackeline Fernández, vítima do crime e fundadora de uma organização que dá
apoio às mulheres que sofreram ataques. Cada vez mais envolvida com a história,
a jornalista se depara com uma série de informações desencontradas que poderão
ajudar a advogada a localizar seu agressor. Enquanto isso, Bruno enfrenta um
inimigo do passado que retorna para perturbar a vida do casal. Buscando
proteger a integridade emocional de Betina, ele corre contra o tempo para
evitar que essas ameaças despertem os traumas já superados.



Vestígios | Luciana de Gnone



   Depois de passarem por trancos e barrancos no interior de Alagoas,
Betina e Bruno conseguiram trazer justiça para quem merecia e salvaram o dia de
muita gente
  Além disso, a matéria que escreveu para a The Realist, denunciando o trabalho escravo da fazenda Ponte da Boa
Esperança, rendeu-lhe um ótimo emprego de jornalista investigativa na revista,
calando a boca de Richard de uma vez.
   Para completar, a mocinha foi pedida em casamento em uma cena lindíssima
nas praias cariocas e não poderia estar mais feliz, enfim vivendo seu conto de
fadas do mundo moderno com Bruno.
 
   Morando em Londres com seu amado, João
finalmente ficou para trás, já que estão separados por um oceano de distância.
   No entanto, o mundo dá muitas voltas e ainda existem contas a serem
acertadas
, mesmo que Betina não queira. 
   Embora sua vida esteja caminhando bem,
ela não consegue esquecer, nem parar de se culpar pela morte de Beto, o
fotógrafo que morreu em seu lugar durante o atentado na fazenda. 
   Ir ao enterro
do amigo só lhe traz mais dor e angústia, ao pensar que poderia ser ela a
vítima daquela vez. Apesar de fingir que está tudo bem, as memórias daqueles
dias lhe atormentam a todo momento
.
   Não apenas a ela, mas também a Hermano que, mesmo preso, jurou vingança
contra Betina e Bruno, os responsáveis por acabarem com seus dias de glória no
Brasil. 
    E é esse desejo doentio que lhe dá forças e determinação para cumprir
seu maior desejo
: ver o casal 20 sofrendo o que ele passou atrás das grades.
   Tal desejo parece próximo a ser cumprido, pois Betina e Bruno foram
enviados para cobrir matérias em países vizinhos ao Brasil. 
   Enquanto o rapaz
está na Venezuela cobrindo os últimos escândalos políticos, a moça precisa
investigar casos de atentados com ácido contra mulheres ao redor do mundo
   Porém, o que mais chamou atenção foi o primeiro relatado na mídia da advogada
Jackeline, na Colômbia.


Vestígios | Luciana de Gnone
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna




   Enquanto os jornalistas tentam fazer justiça por mais pessoas inocentes,
Hermano vê nisso a oportunidade perfeita para realizar seus planos sádicos, já
que o casal está separado momentaneamente. 
   Será que ele vai conseguir cumprir o
que deseja? O tempo é curto e qualquer segundo pode ser crucial para todos os
lados dessa história.

 

“E como poderia estar calma, com tantas coisas que haviam acontecido em
um único, mísero dia?”

 

   E lá vamos nós a mais um capítulo da ‘Saga de Betina Zetser’. Depois do
atentado sofrido na fazenda Ponte da Boa Esperança, Betina passou por poucas e
boas, se metendo onde não devia, enquanto Bruno estava entre a vida e a morte
no hospital mais próximo.
  Apesar de tudo ter terminado bem, a mocinha ainda é atormentada por
pesadelos todas as noites, nos quais sempre aparece Hermano, o criminoso que
lhe jurou vingança anos antes. 
  Embora diga que está tudo bem e viva a um oceano
de distância, ele ainda é um fantasma, do qual ela não consegue esquecer.
  Sua única válvula de escape é trabalhar em seu novo emprego na The Realist.
Seu senso de justiça fala mais alto ao ver um caso recente de atentado contra
mulheres britânicas em uma ilha africana. 
  O caso chama atenção por conta da
arma utilizada: as vítimas foram queimadas por ácido sulfúrico durante um
passeio.
   Investigando mais a fundo, Betina descobre que essa não foi a primeira
vez e muitas outras mulheres sofreram casos semelhantes ao redor do mundo. 
   Logo, ela não mede esforços até conseguir escrever sua matéria e mostrar
quantas vítimas precisam de justiça
. Para isso, faz questão de ir até a
Colômbia e entrevistar o primeiro caso relatado desse tipo
.


Vestígios | Luciana de Gnone
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna




   Bruno não poderia estar mais feliz pela atitude da agora esposa. Em
especial por ter sido designado a cobrir uma matéria na Venezuela, então
estariam relativamente próximos. 
   Betina, por sua vez, quer mostrar para o mundo
que pode ser uma grande repórter. E, para quem nunca tinha feito algo do tipo,
a mocinha manda muito bem, por sinal.
   Essa foi a parte que mais gostei no livro todo. Apesar de ser algo
pesado e que precisa de estômago, amei a forma como a autora lidou com o tema. 
   Só quem é mulher entende o que é ter medo de andar na rua sozinha em
determinadas horas
, até mesmo temer o que um ex-namorado ou ex-marido pode
fazer após a separação. 
   Eu me vi em cada situação e foi difícil não me
solidarizar com as moças entrevistadas
, ou mesmo com Betina, tentando
transcrever tudo de modo imparcial.
   Nessas horas, eu só queria dar um abraço em cada uma delas e falar que
ia ficar tudo bem, que elas não estavam sozinhas.

 

“Ele me manipulava psicologicamente para que eu
pensasse que o problema era meu e não dele. E era bom nisso, como era bom…”

 

    Além disso, eu gostei de como o casamento de Betina e Bruno se
desenvolveu até a página 2
. Ele é um bom marido, sempre apoiando a esposa no
que ela decide fazer e comemorando cada conquista. 
   No entanto, eu fiquei
incomodada com certas atitudes dele, que não levavam em consideração as
escolhas de Betina como mulher.
   Tentei levar em consideração o ano em que o livro foi escrito. Mas ainda
foi incômodo ver que era um tema tão passável assim em livros de romances e os
leitores diziam que era lindo. 
   Me vi tão pressionada quanto Betina e,
sinceramente, se tivesse no lugar dela, pensaria se não seria um bom momento
para pedir o divórcio.
   Especialmente porque a própria Betina tem 37 anos na cara, mas ainda age
como se fosse uma adolescente ao esbarrar com João. 
   Não importa onde esses dois
estejam, o mundo parece conspirar e “ninguém vai entender a nossa relação”.
Pelamor!
   Nesse momento, confesso que senti pena do Bruno, que faz de tudo para
ter a atenção da moça, parece até que saiu de um conto de fadas em um cavalo
branco, mas ainda não é o suficiente para tirar o clima de trisal da trama.
   Felizmente, dessa vez, isso não ficou tão evidente, pois o suspense que
eu mais queria ganhou os holofotes. 
   Além disso, os dias de paz de Betina e
Bruno estão contados
, porque Hermano fugiu da prisão e pode estar mais próximo
deles, já que foi para o único lugar onde poderia se esconder da polícia
brasileira.
   Fiquei nervosa o tempo todo durante a leitura, já que me perguntava se
Hermano realmente encontraria Betina ou Bruno e cumpriria seu plano de vingança. 
   Além disso, o próprio tema das mulheres atacadas por ácido ganhou um espaço
considerável na trama, e me senti bastante envolvida com a investigação.
   Betina se mostrou uma protagonista que “tem salvação”, sendo uma
jornalista muito boa e esperta
(pelo menos nisso ela teria que ser, né?), e fez
uma reportagem digna
   Por sua vez, Jackeline, embora seja uma personagem
secundária, se mostrou uma mulher batalhadora e muito corajosa. 
   Apesar de não
desejar o que ela passou para ninguém, ver o quanto a mocinha cresceu e passou
a lutar pelos seus direitos é de muito orgulho e só me fez pensar no tanto de
mulheres assim no mundo, mas nem conhecemos suas histórias.
   Além disso, o caso da advogada nunca foi resolvido e Betina não mede
esforços para levar justiça para a moça. O problema é que isso pode ser um
vespeiro bem perigoso, do qual as pessoas podem nunca sair.
  Gostei bastante desse clima de suspense por trás, pois deu à
protagonista a chance que ela precisava de acordar um pouco para a vida e
crescer. 
   Apesar de imaginar como algumas coisas terminariam, já que os
“culpados” são mostrados descaradamente, o “tchan” de ‘Vestígios’ é tentar
provar que foram eles mesmos que fizeram o atentado.
   Ainda assim, a autora mostrou um ótimo talento para manter vários
mistérios em um único livro,
pois Hermano ainda está a solta e pode aparecer a
qualquer minuto. 
   Falando nele, aliás, se eu já tinha medo do cidadão antes,
agora fiquei ainda mais assustada.
Hermano é um homem frio e calculista, que não
está nem aí para as consequências. 
   Só quer ver o circo pegando fogo enquanto
ele come pipoca. E o que mais assusta é saber que existem muitos como ele
espalhados por aí, até próximos de nós, e nem temos ciência.
   A trama é narrada em terceira pessoa, com momentos de primeira, quando o
capítulo se refere à Betina. 
   Apesar de não incomodar no primeiro livro, aqui
achei desnecessário. Poderia ter deixado todos os capítulos em terceira pessoa
que teria a mesma emoção.
   E, conforme já tinha comentado antes, se ‘Súplica Em Olhos Mortos’ tinha
mais romance que mistério, aqui temos o oposto, o que gostei bastante, até a
página 2 também
   As cenas de “tiro, porrada e bomba” são espetaculares,
perfeitas de um filme de ação.
No entanto, não gostei tanto assim de como o
desfecho se desenrolou.
   A autora quis trazer todos os personagens do primeiro livro de volta. No
entanto, não senti que foram tão bem aproveitados como eu gostaria. 


Vestígios | Luciana de Gnone
Foto: Hanna Carolina/Mundinho da Hanna




   Para
começar, Mari, a delegada boladona que me conquistou, aqui mal abre a boca e
fica travada. Entendo que tem uma questão emocional, embora da outra vez também
tivesse e ela foi mais racional, ao contrário do que vi em ‘Vestígios’.
   Além disso, eu já tinha perdoado a autora por ter resolvido certas
coisas ao longo da trama. Mas elas voltaram no desfecho, só para o personagem
não ficar esquecido no churrasco e deixou o final amarrado de maneira forçada
desnecessariamente.
   Para completar, algumas passagens do fim também me deixaram incomodadas,
pois me levaram a pensar em certos debates políticos que não tem a ver com a
trama. 
   No entanto, dão margem para isso e me decepcionou um pouco também.
   Em relação ao livro, li em versão digital. Então, posso falar que a
diagramação e revisão estão muito bem feitas. 
   A autora manteve a escrita fluida
em todo tempo e soube sair de vários temas pesados com delicadeza e suavidade
,
o que lhe conferiu alguns pontos.
   No entanto, devido a algumas ressalvas que me incomodaram, não vai levar
nota máxima dessa vez. Mas ainda é um livro que recomendo, se não tiver
problemas com gatilhos.







   O que acharam da obra? Já leram algum outro livro da autora? Me contem aí!









Obs.: Texto revisado por Emerson Silva
Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 Comments

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui