5 de novembro de 2019

Diário de Viagem: Uberlândia

Olá meu povo, como estamos? Como eu falei na postagem anterior, em outubro eu participei do XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia, que foi sediado na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. Então hoje eu vou contar para vocês um pouco sobre minha semana lá, com os lugares que pude conhecer e mesmo os eventos do congresso dos quais participei. 

Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna




Uberlândia




O congresso começou no dia 21 de outubro, então viajei no dia anterior para Minas. Mesmo morando aqui no Rio de Janeiro, que é estado vizinho, nunca tinha ido a Minas, a terrinha do pão de queijo e do “é logo ali”. Levei cerca de 3h para chegar lá, contando com a escala que fiz em São Paulo.
 
 
Aeroporto Santos Dumont
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna 
 
 

Uberlândia é um município brasileiro do interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localiza-se a oeste da capital do estado, Belo Horizonte, distanciando-se desta cerca de 537 quilômetros.

 
No dia seguinte, peguei meu material lá na sede do congresso e tratei de passear, já que a programação só começava oficialmente na terça feira. Como tinha o dia livre, aproveitei para fazer o que mais curto: conhecer museus e parques.
 
Universidade Federal de Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Universidade Federal de Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Universidade Federal de Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
Então, fui no Museu de Minerais e Rochas, que fica dentro do campus da Universidade Federal de Uberlândia (também conhecida como UFU). O museu em si não é grande, aliás nenhum dos que visitei é grande, se comparar com os museus do Rio. Mas todos valem muito a pena a visita. No de minerais, a exposição se resume a uma única sala, na qual temos alguns minerais e fósseis de vários tamanhos e cores.
 
 
Museu de Minerais e Rochas
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Minerais e Rochas
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
Saindo dali, resolvi me aventurar no Parque do Sabiá. É um dos maiores complexos que existem por lá. Inclusive, é onde está o estádio João Havelange. Nesse parque, também tem um aquário e um zoológico, tudo gratuito. Porém, como era segunda feira, me ferrei bonito, pois tanto o aquário quanto o zoológico estavam fechados infelizmente. Mas o parque em si não estava, então decidi conhecer ele a pé mesmo.
 
 

Um dos principais pontos turísticos de Uberlândia, o Parque do Sabiá é um lugar que oferece várias atividades de lazer e esporte. Aberto todos os dias das 5h às 22h, é frequentado diariamente por mais de 10 mil pessoas de todas as idades, que buscam atividades ao ar livre e mais qualidade de vida. Além da pista de corrida, caminhada e ciclismo, a comunidade pode utilizar as quadras, piscinas, campos, parque infantil, represa, zoológico, aquário e uma extensa área verde. No local, há ainda pedalinho e trenzinho para diversão, principalmente das crianças [fonte]. 

 
Parque do Sabiá
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Parque do Sabiá
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
É um lugar super calmo e tranquilo, onde as pessoas costumam ir para caminhar/correr. O problema era que eu não sabia que ele era tão grande, muito menos que a cidade era tão quente quanto o RJ. Então estava eu, inocentemente de calça jeans, uma blusa meio quente, e caminhando como se não houvesse amanhã, procurando a outra saída. E foi uma senhora caminhada, que durou uns belos 40min, se não mais, achando que não tinha uma outra saída, onde pudesse chamar um taxi para voltar para o hotel.
   
A parte mais louca nisso tudo, era que, enquanto estava eu procurando uma outra saída, e tentando não morrer cozida no sol escaldante, passavam por mim vários corredores, com suas roupas de ginástica, e me achando o ser mais estranho do planeta, fazendo exercício no calor da calça jeans (rsrsrs). Mas como diz o ditado: “cada um com seus problemas” (rsrsrs).
   
Após esses longos 40min, finalmente consegui achar a outra saída… que na realidade era a entrada principal do parque. Pois é, o motorista do taxi que chamei me deixou nos fundos do parque. Se tivesse me deixado na entrada principal, eu já tinha era curtido tudo aquilo há muito mais tempo! É na entrada principal que tem uma pequena história do parque, contando como eram terras de uma fazenda, cedidas para a prefeitura local. Por conta disso, na entrada damos de cara com uma escultura em forma de carro de boi, em homenagem à fazenda que existia ali.
Além disso, é na entrada principal que tem um lago imenso, com o Recanto dos Peixes. Um lugar muito lindo e calmo, com peixes de vários tipos e tamanhos, para a gente admirar, olhando de uma espécie de ponte, que rende fotos incríveis (mas eu tava tão exausta, que nem consegui tirar fotos como queria).
 
Parque do Sabiá
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Parque do Sabiá
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Parque do Sabiá
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Parque do Sabiá
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
   
No dia seguinte, as apresentações começaram no congresso, e eu fiquei o dia todo por lá. Inclusive a minha apresentação foi nesse dia, no fim da tarde. Na quarta feira, consegui conhecer um outro museu da UFU, o Museu de Biodiversidade do Cerrado
 
 
Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
   
Ele é o que fica mais distante da universidade (pelo menos eu achei). O museu é conhecido pela coleção de animais taxidermizados, os quais representam a fauna do cerrado brasileiro. Ele não é apenas a coleção, mas também todo um espaço, que faz parte do Parque Municipal Victório Siqueirolli, desde 2002. 
 
Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
 
 
   
O parque é enoooooorme, mas não tanto quanto o Parque do Sabiá (232,300 m², enquanto o Parque do Sabiá compreende 1.850,000 m²). O Museu de Biodiversidade possui visitas guiadas para grupos escolares e tem um anfiteatro muito amorzinho, ao ar livre, com bancos feitos de toras de madeira. 
 
Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
   
Além disso, é possível fazer trilhas por lá, que são marcadas e aparentam ser bem levinhas (dessa vez aprendi minha lição e fui mais despojada para passear, rsrsrs), mais acabei não fazendo a trilha de fato, apenas certa parte (não acho legal fazer trilhas sozinha, questão de segurança mesmo, mas vontade não faltou, rsrsrs).
 
Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu de Biodiversidade do Cerrado
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
 
   
Nessa mesma quarta feira, à noite, o povo do congresso foi convidado a assistir uma peça de teatro, estrelada pela Companhia Delas de Teatro, que veio de São Paulo especialmente para se apresentar para nós. A Companhia Delas é composta por três atrizes, que contam histórias de verdadeiras Mulheres Maravilha, que deixaram sua marca na história. E, claro que na paleontologia também temos nossas mulheres notáveis. A peça se chamava ‘Mary e os monstros marinhos’, onde conhecemos parte da vida de Mary Anning, só a primeira paleontóloga da história, que descobriu alguns dos fósseis mais incríveis que conhecemos (inclusive um que deu origem à lenda do tal Monstro do Lago Nesse, na Escócia), mas nunca recebeu o reconhecimento merecido… a não ser muito tempo depois. 
 
 
 
Companhia Delas de Teatro
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Companhia Delas de Teatro
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Companhia Delas de Teatro
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
 
Companhia Delas de Teatro
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
 A peça foi emocionante, arrancou lágrimas de baixinhos e altinhos e, caso estejam/morem em São Paulo, vale a pena conferir a peça completa. Os ingressos costumam esgotar beeem rápido, então dá para imaginar que é um grande espetáculo. As atrizes são incríveis e super simpáticas, claro que não perdemos a oportunidade de tietar um pouco também, né?
   
O congresso também não perdeu tempo e elegeu logo um mascote. O nosso foi um T-Rex, que apareceu em quase todas as ocasiões, seja dançando, tirando foto, animando a criançada (os adultos também, rsrs) e até entregando homenagens aos organizadores do evento.
 
Centro de convenções
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
   
Na sexta feira, último dia de nosso evento, aproveitei para dar uma escapadinha e conhecer uma amiga/correspondente de longa data. A Aline Lívia é uma das minhas primeiras correspondentes, que mora atualmente em Uberlândia.
Combinamos de passear para conhecer museus, mas como era feriado do funcionário público, nosso plano acabou quase dando errado. Muitos museus estavam fechados, mas conseguimos entrar no Museu Universitário de Arte da UFU, que fica no centro de Uberlândia.
 
 
Museu Universitário de Arte
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Museu Universitário de Arte
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
   
Conheci também a parte mais movimentada, já pelas bandas do centro da cidade. Andei pelas praças, conheci o famoso pequi e o Guaraná Mineiro. Ah, e entrei na igreja matriz da cidade, a Paróquia de Santa Teresinha.
 
 
Paróquia de Santa Teresinha
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Paróquia de Santa Teresinha
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 
 
   
A Aline é uma pessoa super fofa, do mesmo jeito que é nas cartas, e até teve todo o cuidado de olhar a lista de leitura aqui do blog, só para garantir que me daria um livro que eu não tinha. Não é um amor?
 
Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva || Mundinho da Hanna
 
 
F*ck Love
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
   
No sábado pela manhã eu embarquei de volta para o Rio de Janeiro, cansada, mas cheia de boas lembranças e querendo voltar mais vezes a Uberlândia. Aliás, fatores que me levariam a voltar lá são que tudo é mais barato do que aqui no Rio.
Desde valores de corridas de taxi até restaurante mesmo. O povo lá tem uma rotina tão calma, que eu me senti em outro planeta, sério… foi muito relaxante, ainda mais por ser uma cidade que não tem engarrafamento! Já ganhou meu coração só nesse quesito!
 
Aeroporto de Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna

 

Rio de Janeiro
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
   
E não é a terra do pão de queijo à toa. Acho que comi minha cota de pão de queijo pelo resto do ano e ainda garanto parte do ano que vem (rsrsrs). Só nos coffebreak do evento tinha tanto pão de queijo, que não aguentava mais
nem o cheiro no terceiro dia… Mas nos primeiros, eu comi tanto e me lambuzei bastante, porque o original é muito bom, mas todo dia também é um pouco demais.
   
E essa foi minha viagem até Minas, logo ali… O que acharam? Moram, conhecem Uberlândia? Me contem aí!
 
Universidade Federal de Uberlândia
Foto: Hanna de Paiva | Mundinho da Hanna
 

 

Postado por:

Hanna de Paiva

Gostou? Leia esses outros:

Momentos de Abril

Memórias do Mês | Abril

Olá meu povo, como estamos? O mês de abril […]

Memórias do Mês | Março

Olá meu povo, como estamos? As novidades só vão […]

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Classificação de resenhas

Péssimo
Ruim
Regular
Bom
Ótimo

anuncie aqui